26.03.2012 / Moda / por

Vale o ingresso: doc de Wim Wenders sobre Pina Bausch está em cartaz

Algumas das imagens do documentário de Wim Wenders para Pina Bausch ©Stylesight/Reprodução

Esta semana o portal Stylesight publicou um artigo sobre o documentário “Pina”, dirigido por Wim Wenders para Pina Bausch. Há um ano ele estreou no Berlinale, o Festival Internacional de Cinema de Berlim, e foi aclamado pela crítica especializada. Esteve entre os concorrentes ao Oscar de Melhor Documentário e agora está nas telas dos cinemas brasileiros. “Pina” é um projeto concebido por Wenders com a colaboração da própria coreógrafa, que morreu em 2009, aos 68 anos. O filme, em 3D, conta sobre a vida, a carreira e a obra dessa bailarina que marcou a história da dança no mundo.

A mistura de Wenders e Bausch resulta em uma sequência de imagens maravilhosas que fica com a gente mesmo depois que o filme termina. O figurino de Rolf Borzik tem um papel muito importante nesse sentido, na medida em que contribui para toda a estética deslumbrante de todo o filme e retrata o trabalho de Bausch. A peça central são os figurinos em estilo camisola, uma peça de roupa íntima de tendência minimalista que varia de tons nudes a cores pastel que entre saltos e piruetas prova uma vez mais a sua beleza e elegância atemporais.

A coreógrafa alemã Pina Bausch ©Reprodução

A figura de Pina Bausch teve uma extrema importância para o universo da dança e da arte. Apesar da sua formação clássica na tradicional Julliard School, em Nova York, Pina foi além. Em 1976, ela rompe com os padrões de dança da época, buscando novos movimentos em outras formas de expressão artísticas, como o teatro, a performance e as danças contemporâneas, construindo assim a obra que a transformou em uma das coreógrafas mais inovadoras e prestigiadas do mundo.

O documentário rende um caldeirão de inspirações, seja para o design, para o mercado de lingerie, para a dança ou para a vida. O filme promete colar o público na poltrona com imagens estonteantes de alguns dos trabalhos mais renomados de Pina.  Tudo em 3D. Se ainda precisa de mais incentivo para assistir ao filme, deixe-se encantar pelo trailer abaixo:

Wim Webers fala sobre o filme e sobre a morte da bailarina:

“Pina era mais do que a personagem principal, ela era a razão de eu fazer este filme. Estávamos em meio aos preparativos imediatamente antes do primeiro teste da filmagem em 3D, com a equipe em Wuppertal, quando recebemos a notícia da sua morte repentina. Claro que paramos tudo imediatamente. Parecia que tinha perdido o sentido fazer o filme. Afinal, Pina e eu pensávamos juntos neste projeto há mais de 20 anos! Originalmente, fui eu que sugeri a Pina, ainda nos anos 80, de fazermos um filme juntos. Virou até piada. Ela perguntava: “Que tal a gente fazer o filme agora Will?” e eu respondia que ainda não sabia como fazer. Eu não tinha ideia de como se filmava dança apesar de já ter estudado todos filmes com esse tema. O Tanztheater de Pina Bausch (academia de dança na Alemanha) tinha tanta energia, tanta jovialidade, era tão cheio de vida que eu realmente não sabia como o filmar propriadamente. Até que um dia vi pela primeira vez uma mostra de 3D Digital. Liguei para ela, ainda da sala de cinema: “Agora eu sei Pina”. Não precisei dizer mais nada, ela entendeu na hora”.


Relacionadas