Criador de looks inesquecíveis de Lady Gaga e Madonna elenca seus figurinos favoritos

19/03/2014

por | Moda

Estilista Michael Schmidt com a réplica da pulseira usada por Madonna no Grammy 2014 ©FFW

O que o primeiro vestido inteiramente feito em uma impressora 3D, o figurino de bolhas de Lady Gaga para a “Rolling Stone” e os vestidos de malha de metal de Cher e Tina Turner têm em comum? Todos eles são criações do estilista americano Michael Schmidt. Ele é muito conhecido por seus figurinos para turnês de artistas, incluindo Madonna, para quem já trabalhou em quatro temporadas. Em 2012, ele criou 300 peças para a The MDNA Tour.

Michael Schmidt começou trabalhando com elos de metal nos anos 1980. Seu trabalho chamou a atenção de Cher, que passou a vestir suas criações. A partir daí, ele teve contato com outros artistas, como Tina Turner, que passaram a encomendar peças para suas aparições. Ao longo de toda a carreira, seu trabalho se destacou pelo uso inovador de materiais para criar imagens fortes e sensuais.

Em sua primeira vinda ao Brasil para a apresentação da coleção Primavera/Verão 2015 da Swarovski, Michael conversou com o FFW e contou que é um grande fã do trabalho do estilista Bob Macky — ele é o autor da peça vestida por Cher quando ela ganhou o Oscar de Melhor Atriz em 1988. Questionado sobre os seus figurinos inesquecíveis, Michael explicou que tem uma grande dificuldade em responder esse tipo de questão pois não costuma olhar para o passado. “Estou sempre olhando para a frente. Minha preocupação é com o que está por vir.” Mas ele fez um esforço e conseguiu elencar suas peças favoritas que, segundo o próprio estilista, “sempre têm pouco de sensualidade e um pouco de brilho”. Confira os seis figurinos escolhidos por Michael Schmidt.

Dita Von Teese

Dita Von Teese com o primeiro vestido inteiramente feito em uma impressora 3D ©Albert Sanchez/Reprodução Michael Schmidt Studios

Michael contou que o vestido da foto foi um grande desafio e uma grande responsabilidade. Ele foi convidado a criar uma peça para um evento, mas decidiu que queria aproveitar a oportunidade para criar algo inesquecível. Ele desenhou o vestido a partir da fórmula matemática de Fibonacci, que representa as formas orgânicas. Depois, trabalhou com o arquiteto Francis Bitonti e a empresa Shapeways para a impressão do vestido, um trabalho que levou ao todo quatro meses.

Rihanna

Rihanna na capa da “Rolling Stone” em 2011 com o shorts de malha de metal ©Reprodução

Detalhes do shorts de malha de metal ©Reprodução Michael Schmidt Studios

A cantora Rihanna pediu a Michael que criasse um shorts jeans para uma foto para a “Rolling Stone”. O estilista resolveu então escanear a peça e imprimir o “desenho” do shorts (como costuras e bolsos) na malha de metal. Só então a peça foi montada.

Cher

Cher com vestido de malha de metal, uma das primeiras criações de destaque de Michael Schmidt ©Herb Ritts/Reprodução Michael Schmidt Studios

 O vestido de malha de metal da cantora Cher certamente foi o que abriu caminho para Michael. Criado nos anos 1980, era uma inovação para a época e acabou sendo adotado por outros artistas.

Lady Gaga

Lady Gaga com figurino improvisado por Michael Schmidt na capa da “Rolling Stone” de junho de 2009 ©David LaChappelle/Reprodução Michael Schmidt Studios

Michael contou que, quando chegou ao local onde seria feita a foto, o fotógrafo David LaChappelle tinha preparado todo um cenário com bolhas e lhe pediu — de improviso — algo que combinasse com a atmosfera. Muito calmamente ele pediu que esperasse apenas alguns instantes que ele ia fazer algo — na verdade, sem ter a mínima ideia do que fazer. Ele então pegou algumas das “bolhas” do cenário, costurou uma na outra e elas foram presas com fita dupla face ao corpo de Lady Gaga.

Madonna

Armadura criada para a turnê de 2012 de Madonna ©Reprodução

Para o The MDNA Tour , de 2012, Michael Schmidt criou 300 peças, mas a sua favorita é a armadura da foto. A cantora queria algo que parecesse uma armadura, e ele fez, mesmo temendo que ela fosse achar pesado — o que Madonna acabou dizendo que não se importava, já que tinha gostado muito do figurino.

Tina Turner

Tina Turner e seu vestido criado por Michael Schmidt ©Herb Ritts/Reprodução Michael Schmidt Studios

Michael contou que um dos dias mais divertidos de sua vida foi quando ficou em quarto de hotel com Tina Turner para que ela experimentasse alguns vestidos seus. “Ela vestia e testava se dava para dançar. Fazia aqueles movimentos de Tina Turner. Foi incrível.”

The Sound of Change Live: megashow beneficente da Gucci tem Madonna, Beyoncé, Jennifer Lopez e mais

28/05/2013

por | Gente

Campanha da Gucci de apoio às mulheres anuncia mega-show liderado por Beyoncé ©Divulgação

Madonna é a mais recente confirmação do The Sound of Change Live, megashow anunciado pela Chime for Change, campanha global criada pela Gucci com o objetivo de arrecadar fundos e apoio para a emancipação de mulheres ao redor do mundo. O show televisionado acontece dia 1° de junho no estádio de Twickenham, em Londres; Madonna será uma das apresentadoras, ao lado do arcebispo Desmond Tutu, o ex-primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, e sua esposa Sarah, Jessica Chastain, Gloria Steinem, Freida Pinto, Aishwarya Rai,  Zoe Saldana, Blake Lively, James Franco e Jada Pinkett-Smith.

Beyoncé lidera o line-up estrelado das apresentações musicais, que conta com Jennifer Lopez, Ellie Goulding, Florence + the Machine, HAIM, Iggy Azalea, John Legend, Laura Pausini, Rita Ora e Timbaland, entre outros nomes que ainda serão anunciados.

Vale lembrar que Beyoncé faz parte do comitê fundador da Chime for Change ao lado de Salma Hayek Pinault e Frida Giannini, diretora criativa da Gucci. A grife italiana, como idealizadora do projeto, assumiu o compromisso de fazer com que o valor arrecadado com a venda dos ingressos (sem IVA e taxas de serviço) seja destinado a organizações que apoiam meninas e mulheres, mais especificamente nas áreas da Educação, Saúde e Justiça. “Esta é a emergência e a oportunidade de hoje”, afirmou Giannini, completando que “chegamos a um momento significativo da história da emancipação de meninas e mulheres, e esta é a hora de mudar. (…) Espero que o The Sound of Change Live ajude a fazer com que as vozes que clamam por mudanças sejam tão altas que não possam ser ignoradas”.

Além de ter as apresentações musicais, o concerto servirá também como uma plataforma para a divulgação de curtas-metragens que retratam a situação de meninas e mulheres ao redor do mundo. Abaixo você pode assistir a “Humaira: The Dream Catcher”, dirigido pela premiada diretora paquistanesa Sharmeen Obaid-Chinoy. O segundo de uma série de 10 curtas criados para o Chime for Change, ele narra a jornada de Humaira Bachal, uma jovem mulher que luta para poder educar meninas em uma comunidade do Paquistão, criando uma escola que atualmente tem mais de 1.200 alunos:

O The Sound of Change Live será produzido por Kevin Wall e Aaron Grosky, da Control Room, em associação com Harvey Goldsmith – nomes por trás de eventos como o Live Earth e o Live Aid. Os ingressos já estão à venda e, com uma ferramenta criada em parceria com o site de crowdfunding Catapult, o comprador pode escolher a entidade beneficente a receber o valor do seu ingresso.

The Sound of Change @ Estádio de Twickenham
Dia 1° de junho de 2013, a partir das 17h30
Whitton Road, Twickenham
Londres
TW2 7BA

Ingressos a partir de £55
Vendas pela internet ou pelo telefone 44-0844-847-1693

+ chimeforchange.org

Mamãe, eu quero!

16/05/2013

por | Cultura Pop

Rita Ora é o novo rosto da Material Girl, criada por Madonna e sua filha Lourdes Maria; ainda não há data prevista para o lançamento da campanha ©Reprodução

Rita Ora é o novo rosto de campanha da marca de roupas e acessórios Material Girl, criada por Madonna e pela sua filha Lourdes Maria. A jovem cantora de 22 anos assinou um contrato de R$ 1,55 milhão para substituir a modelo Georgia May Jagger nos anúncios da marca, ainda sem previsão para o lançamento das primeiras imagens. Ainda antes de Jagger, a linha também teve como protagonistas Kelly Osbourne e a modelo e atriz Taylor Momsen.

Georgia May Jagger na campanha da grife Material Girl, de Madonna e Lourdes Maria ©Reprodução

A escolha de Rita partiu de Lourdes Maria, fã da cantora há algum tempo, e Madonna comprou a ideia quando a conheceu este ano na noite de gala do Metropolitan, em Nova York.

 A grife, que tem como público alvo meninas adolescentes, está disponível apenas na Macy’s nos Estados Unidos, mas, segundo o “The Telegraph”, existem planos para uma expansão britânica em junho.

Relâmpago

23/04/2013

por | Cultura Pop

Dois dos figurinos escolhidos por Madonna para a mostra: o vestido de noiva que usou nos prêmios da MTV em 1984 e o bustiê criado por Jean Paul Gaultier para a Blonde Ambition Tour em 1990 ©Reprodução

A Macy’s, loja de departamento americana, vai exibir uma exposição com os figurinos mais representativos de Madonna. A mostra, intitulada “Madonna’s Fashion Evolution”, pretende retratar a evolução do estilo da cantora e estará disponível para visitação apenas durante duas horas do dia 25 de abril, na loja da marca em Century City, na Califórnia. A ação relâmpago serve para divulgar a mais recente coleção da linha Material Girl que a cantora criou para a loja em conjunto com a sua filha Lourdes Maria. “A exposição exemplifica perfeitamente a inspiração e o espirito da linha Material Girl e vai permitir que os meus fãs vejam a evolução do meu estilo ao longo dos anos”, diz a cantora ao “WWD”.

Com a supervisão de Arianne Phillips, stylist de Madonna que esteve em São Paulo para o seminário Pense Moda 2011, a cantora escolheu pessoalmente oito peças favoritas do seu vasto arquivo de figurinos, entre elas o icônico bustiê criado por Jean Paul Gaultier, utilizado durante a Blonde Ambition Tour em 1990, e o vestido de noiva que usou para a sua performance nos prêmios da MTV em 1984. “A moda não foi mais a mesma desde Madonna. Corajosa e implacável, bem humorada e chocante, podemos sempre contar com ela para nos desafiar a repensar a moda”, diz a stylist à “Vogue” britânica.

De looks provocantes com referências religiosas a peças mais sóbrias, o estilo de Madonna é um dos mais difíceis de definir e caracterizar, mas uma coisa certamente não lhe falta: atitude.

Relembre aqui a evolução de estilo que o FFW fez da cantora.

Madonna’s Fashion Evolution @Macy’s Century City
10250 Santa Monica Boulevard, Los Angeles
25 de abril, das 18h às 20h

MDNA

04/12/2012

por | Cultura Pop

Madonna durante show da turnê MDNA ©Reprodução

Chega a São Paulo na terça e quarta-feira (04 e 05.12) a MDNA, maior turnê mundial de Madonna, que começou em maio em Tel Aviv, Israel, e que vai passar por um total de 32 países. No Brasil, os shows em São Paulo foram precedidos pelo do Rio de Janeiro, que aconteceu domingo, e que foi marcado, assim como as demais apresentações desta turnê, por um maior esforço da cantora em se relacionar com o público; no Rio, ela interagiu com as pessoas falando em português, e chegou a exibir uma tatuagem (de mentira, claro) nas costas, escrito “PERIGUETE”.  Após São Paulo, Madonna leva seu espetáculo para Porto Alegre, onde faz show no dia 9, no estádio Olímpico.

+ Veja o momento do show no Rio de Janeiro em que Madonna revela sua tatuagem de periguete:

A vontade de se relacionar com o público local também se manifestou no lançamento do single “Superstar” no Brasil: por meio de um projeto promovido pela Johnnie Walker, foi realizada uma oficina de arte urbana no Museu da Imagem e do Som (MIS) com o apoio do artista Binho Ribeiro e do diretor de arte Giovanni Bianco, colaborador de longa data da cantora. A oficina resultou em uma exposição de 30 artistas brasileiros, que criaram possíveis capas para a nova música. Com votação online, chegou-se a 10 finalistas, cujas obras foram analisadas pela própria Madonna, que selecionou então o trabalho que irá ilustrar o encarte do Projeto Keep Walking, Brazil Edição Especial, com a faixa “Superstar”. Veja abaixo a imagem vencedora, criada por Simone Sapienza, a Siss:

©Divulgação

+ Assista a trechos do show da turnê MDNA:

A turnê MDNA, apesar de focar no novo álbum de trabalho da cantora, com músicas como “Girl Gone Wild” e “Give Me All Your Luvin’”, traz também clássicos como “Papa Don’t Preach”, “Like a Virgin” e “Like a Prayer”. Durante “Express Yourself”, Madonna aproveita para fazer uma “indireta direta” emendando “Born This Way”, de Lady Gaga — lembra da polêmica gerada na época do lançamento desse single? Ela ainda completa a provocação fechando o mashup com algumas linhas de “She’s Not Me” (“Ela não sou eu”), cuja letra fala de uma mulher que tenta copiar tudo o que Madonna faz.

+ Veja o momento do show no Rio de Janeiro em que Madonna canta “Express Yourself” / “Born This Way” / “She’s Not Me”:

O tour book da turnê MDNA; a arte da capa é assinada pelo brasileiro Giovanni Bianco ©Reprodução

O figurino, coordenado por Arianne Phillips, é um show à parte, com looks criados especialmente por Jean Paul Gaultier e Jeremy Scott, além de sapatos da Prada e Miu Miu e peças de Alexander Wang; entre outras grifes envolvidas ainda estão Dolce & Gabbana, Fausto Puglisi, J Brand e Agent Provocateur. Segundo a “Folha de S.Paulo”, Madonna “faz seis trocas de roupas durante as duas horas de show. Para dançarinos, performers e músicos, são 700 elementos de figurino”. Veja alguns croquis abaixo:

Design de Arianne Phillips ©Divulgação

Design de Arianne Phillips inspirado em Joana d’Arc, de malha de metal com cristais Swarovski ©Divulgação

Visual “Super Vixen” ©Divulgação

Look assinado por Jean Paul Gaultier que Madonna usa para a performance de “Vogue” ©Divulgação

Look Jeremy Scott for Adidas usado pelas dançarinas da turnê ©Divulgação

Peças da Truth or Dare, linha de lingerie de Madonna, fazem parte do figurino da turnê ©Divulgação

Peças da Truth or Dare, linha de lingerie de Madonna, fazem parte do figurino da turnê ©Divulgação

Peças da Truth or Dare, linha de lingerie de Madonna, fazem parte do figurino da turnê ©Divulgação

Peças da Truth or Dare, linha de lingerie de Madonna, fazem parte do figurino da turnê ©Divulgação

Peças da Truth or Dare fazem parte do figurino da turnê ©Divulgação

Turnê MDNA em São Paulo @ Estádio do Morumbi
Dias 4 e 5 de dezembro de 2012, a partir das 20h
Ingressos de R$ 150 a R$ 850; mais informações aqui

Turnê MDNA em Porto Alegre @ Estádio Olímpico
Dia 9 de dezembro de 2012, a partir das 19h30
Ingressos de R$ 120 a R$ 800; mais informações aqui 

Tags: ,

Madonna

16/07/2012

por | Cultura Pop

A capa do single “Turn Up the Radio” ©Divulgação

Foi lançado na segunda-feira (16.07) o videoclipe para a música “Turn Up the Radio”, o terceiro single do álbum “MDNA”, da Madonna. O vídeo foi gravado em Florença, na Itália, e tem direção de Tom Munro, responsável pelo clipe de “Give It 2 Me” (2008), entre outros trabalhos em parceria com a cantora. Assista abaixo a “Turn Up the Radio”:

Lembrando que Madonna está viajando com a turnê MDNA, com quatro shows marcados no Brasil, em dezembro. São eles:

Dia 2 de dezembro, no Parque dos Atletas, no Rio de Janeiro (anteriormente programado para o dia 1º; mas de acordo com o site oficial da cantora, não há necessidade de troca de ingressos; quem já tiver adquirido o ingresso para o dia 1º e não puder ir ao show na nova data pode pedir reembolso no local da compra). Mais informações aqui!

Dias 4 e 5 de dezembro no Estádio do Morumbi, em São Paulo. Mais informações aqui!

Dia 9 de dezembro no Estádio Olímpico, em Porto Alegre. Mais informações aqui!

+ Madonna provoca Lady Gaga em turnê MDNA

Tags:

Divas

05/06/2012

por | Cultura Pop

Lady Gaga e Madonna em quadro do Saturday Night Live, onde encenaram uma briga física e verbal ©Reprodução

Ao longo dos últimos 15 anos, para uma cantora estabelecer-se no papel de “diva” da música pop, parece ser inevitável as comparações com Madonna. Hoje, quem se encontra no centro da rivalidade midiática com a “rainha”, é Lady Gaga. Antes mesmo de Madonna iniciar sua nova turnê, “MDNA”, no dia 31 de maio, em Israel, especulava-se que a americana faria um mashup das músicas “Express Yourself”, “Born This Way” e “She’s Not Me”, como já havia acontecido em um ensaio. Os boatos se confirmaram, e a “alfinetada” de Madonna abriu espaço na imaginação fértil de seus fãs mais ávidos, bem como se multiplicou em pautas dos mais distintos veículos internacionais.

©Terry Richardson/Reprodução

Dois dias antes da apresentação de Madonna em Israel, Terry Richardson, colaborador habitual e amigo de Lady Gaga, publicou em seu Tumblr uma imagem dos pôsteres oficiais da turnê “MDNA” pichados com a palavra “Fuck!”. A atitude do fotógrafo, sempre afeito a polêmicas, foi considerada uma resposta às provocações de Madonna – ou à ameaça delas, já que a cantora só as tinha feito em caráter privado, nos ensaios prévios ao lançamento da turnê. Logo em seguida ao show em Israel, o produtor de Lady Gaga, Fernando Garibay, respondeu a um fã em um fórum afirmando que, a cada vez que Madonna cantava “Born This Way”, ele (e a “Mãe Monstro”, claro) ganhava mais dinheiro.

- Mashup de “Express Yourself”, “Born This Way” e “She’s Not Me”: 

A verdade é que toda essa rivalidade já aconteceu anteriormente com outras cantoras, mas sempre foi, acima de tudo, uma fonte inteligente de autopromoção. Se há alguns anos Britney Spears ou Christina Aguilera eram as “arquirrivais” da vez, Lady Gaga surgiu para fazer frente a Madonna com uma produção gigantesca por trás e, aparentemente, uma cabeça astuta e empreendedora. Mesmo de maneira jocosa, o produtor de Gaga não falou mais que a verdade em sua resposta; a cada vez que Madonna canta uma música de alguém ou lança uma indireta, todas as atenções do planeta são voltadas a ela e isso, como uma via de mão dupla, torna-se publicidade e muito dinheiro para ambos os lados.

Madonna tem grandes contribuições às indústrias pop e da moda. Sempre usou a plataforma da moda como uma grande aliada para se manter no topo como diva, musa polêmica, provocadora e “novidadeira” através de seus figurinos para shows, capas de álbuns e videoclipes. A cada lançamento, um novo visual, um novo estilo. É uma verdadeira trendsetter. Já Lady Gaga não tem o poder de ditar a moda, uma vez que suas roupas funcionam apenas para deleite e admiração, mas a bordo de figurinos absurdos e por vezes jamais vistos, ela ultrapassa barreiras e, claro, vira notícia. Por trás do closet de Madonna, está Arianne Phillips, figurinista acostumada ao showbizz e à indústria do cinema. Já Gaga tem o expert Nicola Formichetti, diretor criativo da Thierry Mugler e da “Vogue Hommes” japonesa, como o cérebro por trás de toda sua loucura fashion.

Para os fãs, a questão ganha proporções (ir)reais. No entanto, é correto afirmar que, seja essa briga genuína ou programada, Madonna e Lady Gaga estão lucrando milhões em marketing espontâneo. O FFW  fez uma galeria com os looks mais icônicos de ambas; do início de Madonna, em meados da década de 1980, às produções vanguardistas – e absurdas – de Lady Gaga. Quem escolhe aqui é você (no Facebook a discussão está quente!).

Madonna-1990-Blonde-Ambition-Lady-GagaMuchMusic-Toronto
©Reprodução
Madonna, em 1990, na turnê ''Blonde Ambition'', e Lady Gaga, no MuchMusic Awards, de Toronto

L-U-V Madonna! Novas imagens da cantora são divulgadas na internet

14/03/2012

por | Cultura Pop

Madonna ©Mert & Marcus/Reprodução

“MDNA”, o novo álbum de Madonna, tem lançamento previsto para o dia 26 de março, mas, enquanto a data não chega, novas imagens promocionais são divulgadas na rede, junto a pequenos teasers dos prováveis primeiros singles do disco.

- Teaser de “Superstar”:

Nesta terça-feira (13.03), caíram na internet três novas fotografias de Madonna, feitas pela dupla Mert Alas e Marcus Piggott, responsável também pela capa de “MDNA”, divulgada no fim de janeiro, além de um teaser de um minuto da música “Superstar”. Poucos dias antes, no dia 09 de março, um vídeo de 27 segundos, que mostra parte do clipe de “Girl Gone Wild” foi jogado na rede – a estética apresentada nesses curtos instantes, no entanto, é extremamente sedutora e lembra trabalhos mais antigos da cantora, como “Vogue” e “Erotica”. As imagens mais uma vez têm direção de arte do designer Giovanni Bianco, que também fez a arte dos últimos dois álbuns dela, “Confessions on the Dancefloor” e “Hard Candy”.

- Teaser de “Falling Free”:

Em “Superstar”, a filha mais nova de Madonna, Lourdes Maria, pode ser ouvida cantando nos backing vocals e, em “Girl Gone Wild”, os modelos Jon Kortajarena (trabalhou no filme “Direito de Amar”, de Tom Ford), Rob Evans, Sean O’Pry e Simon Nessman contracenam ao lado da cantora, que aos 53, mostra que está em plena forma.

- Teaser de “Girl Gone Wild”: 

Já neste domingo (18.03), a oito dias do lançamento do álbum, a cantora resolveu liberar no facebook a faixa completa de “I Fucked Up” e também o teaser de “Best Friend”. Com doses homeopáticas de teasers, fotos e faixas, a nova obra da popstar vai tomando forma e, é claro, deixando todos ansiosos.

-Faixa completa de “I Fucked Up”:

-Teaser de “Best Friend”:

Madonna-MDNA03
©Mert & Marcus/Reprodução
Novas imagens de divulgação de Madonna
Tags:

Tudo sobre o espetáculo comandando por Madonna no intervalo do Super Bowl

06/02/2012

por | Cultura Pop

Madonna durante apresentação no intervalo do Super Bowl 2012 ©Reprodução

Jogo? Que jogo? É verdade que o Super Bowl é, em sua essência, um espetáculo para os amantes do futebol americano, mas é inegável que muitos dos 101 milhões de espectadores (só nos EUA!) que estavam ligados à telinha no domingo (05.02) queriam ver é a apresentação de Madonna no tradicional show de intervalo do evento.

A responsabilidade da cantora era grande: animar o público que acompanhava o jogo, saciar os fãs que só ligaram a TV para ver sua apresentação, celebrar os maiores sucessos de sua carreira, e ainda promover seu álbum “M.D.N.A.”, com previsão de lançamento para o dia 26 de março.

Assista abaixo à apresentação de Madonna (e convidados) no intervalo do Super Bowl 2012:

E Madonna não decepcionou. Os 13 minutos de show foram divertidos e envolventes, com uma superprodução que contou com um palco pirotécnico, a colaboração de artistas do Cirque Du Soleil, dezenas de dançarinos-gladiadores, um coral gospel, quatro participações especiais e muitas trocas de figurino.

A apresentação começou com um remix de “Vogue” seguido por “Music”, que teve interferência do duo LMFAO e seu hit “Party Rock Anthem”; foi impagável ver a rainha do pop fazer o “shuffle”, passo de dança celebrizado nesta música. Em seguida, durante o novo single de Madonna, “Give Me All Your Luvin’”, entraram Nicki Minaj e M.I.A. – esta, no momento “polêmico” da noite, mostrou o dedo do meio para a plateia. A atitude causou certa comoção nos EUA, mas nada comparado ao “Nipplegate” de 2004, quando a cantora Janet Jackson ficou com um seio à mostra durante apresentação com Justin Timberlake. Uma passagem rápida por “Open Your Heart” trouxe ao palco Cee Lo Green, que acompanhou Madonna em “Express Yourself” e na rendição de “Like a Prayer”, que fechou a apresentação com chave de ouro.

Também merece destaque o figurino do show, responsabilidade da stylist B. Akerlund, que já havia trabalhado com Madonna em clipes como “Celebration” “Jump” e “4 Minutes”. A cantora usou três looks de alta-costura da Givenchy, uma coroa de metal com cristais feita por Philip Treacy para a marca, joias Bulgari e botas Miu Miu. “As pessoas dizem que tudo tem um limite, mas o limite não existe com a Madonna”, o designer afirmou em comunicado oficial.

À esquerda, croqui da Givenchy; à direita, o look ao vivo ©Reprodução

À esquerda, croqui da Givenchy; à direita, o look ao vivo ©Reprodução

À esquerda, croqui da Givenchy; à direita, o look ao vivo ©Reprodução

Carismático, Jean Paul Gaultier fala para plateia lotada no Rio

10/10/2011

por | Moda

jpg 3Farida Khelfa, Jean Paul Gaultier e Camila Yahn ©Renata Ambrósio

Nesta segunda, dia 10 de outubro, o Rio de Janeiro sediou uma palestra com um dos mais importantes criadores de moda: Jean Paul Gaultier veio para apresentar o documentário “Jean Paul Gaultier ou les codes bouleversés” no Festival do Rio, dirigido pela ex-modelo e musa Farida Khelfa, que acompanhou seu processo de criação durante um ano, e estava presente na palestra. A convite de Paulo Borges e Bethy Lagardère, com realização do FFW, o estilista bateu um papo ao vivo com Camila Yahn, editora do FFW, em que falou sobre seu trabalho, processos, figurinos para filme, os trabalhos com Madonna, entre outros assuntos. Uma baita chance de ficar cara a cara com alguém tão peculiar e interessante. A plateia estava lotada de estudantes e profissionais da moda, que ao final, cercaram Gaultier para fotos e autógrafos.

jpgFeliz, ao sair do evento, Gaultier é alvo de muitos flashes e pedidos para fotos ©Renata Ambrósio

plateiaPlateia lotada no Teatro Tom Jobim, no Jardim Botânico ©Renata Ambrósio

Ele é extremamente generoso e divertido e contou histórias saborosas, como por exemplo, de onde surgiram os sutiãs cones que fez para a turnê Blonde Ambition, de Madonna. O FFW publicará em breve mais sobre esse encontro. Enquanto isso, fique com um pouco de sua história:

Jean Paul Gaultier nasceu em 1952, na França, e nunca teve nenhum tipo de estudo formal sobre moda, desenhos, ou algo do tipo. No entanto, sempre gostou de desenhar, o que lhe rendeu uma história interessante sobre sua infância. Gaultier era o garoto desajustado na escola, ruim em todos os esportes e rejeitado pelos coleguinhas. Um dia, a professora o pegou desenhando na sala e lhe aplicou um castigo, batendo no menino com uma régua, e depois o fez andar pela sala com o desenho preso em suas costas, para que ele se envergonhasse. O efeito foi o inverso: o desenho do pequeno Gaultier era de uma mulher apenas de sutiãs e cinta-liga, inspirada nas mulheres do espetáculo “Folies Bergère”, que ele havia visto na casa de sua avó. Ao invés de ser ridicularizado – ou disciplinado, como esperava a professora –, ele se tornou objeto de admiração entre os meninos da escola. “Foi como um passaporte. Percebi que se desenhasse as pessoas iriam sorrir”, contou em entrevista à “New Yorker”.

jpg_dressVestidos Gaultier em editoriais de moda ©Reprodução

Sua inserção na moda também aconteceu graças aos seus desenhos, enviados por correio para Pierre Cardin, que ficou intrigado com o talento de um garoto de 18 anos totalmente desconhecido de Arcueil, Val-de-Marne (subúrbio no sul de Paris), e o contratou como seu assistente. Enquanto trabalhava com Cardin, o namorado de Gaultier, Francis Menuge, o encorajava a fazer sua própria linha de prèt-a-porter. Francis, que morreu em 1990 de Aids, é citado incontáveis vezes por Gaultier como o maior encorajador de seu trabalho: “Eu seria uma pessoa diferente hoje se nunca tivesse conhecido Francis”, declarou certa vez o estilista. “Foi Francis quem realmente me ‘pressionou’ para que eu começasse minha carreira, porque eu sou uma pessoa mais abstrata do que ambiciosa. Ele viu meu talento e sentiu minha paixão, e sempre me colocava pra cima quando eu ficava preguiçoso ou desmotivado. Ele jocosamente encorajou que eu construísse ‘meu império’”, contou ao “Telegraph”.

jpg_coutureDuas de suas coleções recentes de haute couture mais icônicas de Verão 2007 e Inverno 2009 ©Reprodução

Assim, ao lado de Francis, juntaram dinheiro, recrutaram amigos e familiares – a prima Évelyne tricotou os suéteres, o porteiro do prédio ajudou com as costuras, e o próprio Francis fez os acessórios e cuidou das burocracias – e em 1976 Jean Paul Gaultier apresentou sua primeira coleção, no planetário de Paris. Eram nove modelos, que usavam vestidos feitos com jogos americanos, lonas e estofos, e jaquetas biker combinadas com tutus. As roupas eram muito sexies e espirituosas, e faziam uso de motivos icônicos da moda como a estampa toile de Jouy, jaquetas de motoqueiro e figurinos de ballet de maneiras imprevisíveis, e com materiais humildes de maneira respeitosa e reverente. E é esse espírito que tem orientado seu trabalho desde então, transmitindo sua apreciação por coisas híbridas e surpreendentes, e o que ele mesmo explica, “a questão do que é belo e do que não é”. Outra frase que exemplifica admiravelmente seu trabalho é a recorrente “Por que não?”. Gaultier diz que explica muito de suas decisões assim. Por que alguém iria vestir um tutu com uma jaqueta de motoqueiro? “Bem, por que não?”.

jpg_adfragranceCampanhas de seus perfumes mais vendidos ©Reprodução

No começo dos anos 80 foi chamado de “enfant terrible” da moda, título que o acompanha trinta anos depois de sua estreia, e foi um dos primeiros criadores a polemizar sobre a questão de gêneros, ao fazer saias para homens e colocar modelos masculinos em sua passarela, justificando com um “acredito na igualdade dos sexos”.

Gaultier é também um dos mais famosos estilistas fora do métier, tanto por seus perfumes, pilares que pagam as contas do nome Jean Paul Gaultier, como também pelas blusas tatuadas e as  indefectíveis malhas de listras ao estilo Breton. O mais-mais nesse quesito, porém, é sua quedinha pela cultura pop, que começou em 1990, ao vestir Madonna em sua turnê “Blond Ambition” com sutiãs em formato de cone, e persiste até hoje, com o estilista fazendo figurinos para filmes, como “O Quinto Elemento”, de Luc Bresson, e “Kika”, de Pedro Almodóvar; para as turnês de Marilyn Manson e Kylie Minogue; e colocando a vocalista do “The Gossip” Beth Ditto em sua passarela, bem como a burlesca Dita Von Teese.

jpg_figurinoCroquis para a “Blond Ambition” ©Reprodução

jpg_madonnacelebJean Paul Gaultier e suas musas Madonna, Dita Von Teese e Beth Ditto ©Reprodução

E mesmo sendo tão moderninho, o estilista também desfila coleções de haute couture e ficou sete anos à frente da criação da Hermès, uma das marcas mais tradicionais da atualidade.

São trinta e cinco anos de história de um criador que se destaca por seu sempre presente bom humor, sua paixão pelo corpo feminino e por uma moda original e criativa. “É uma época de menos criatividade. Sou um dos últimos dessa geração”, declarou o estilista em entrevista ao FFW em seu último desfile na semana de moda de Paris. Em tempos que o que mais se valoriza em um estilista é a rapidez e a capacidade de gerar dinheiro para um grande conglomerado, é admirável alguém como Gaultier não arredar o pé de suas convicções. A moda – criativamente falando – agradece.

Conheça a superstylist Arianne Phillips, que fala quarta no Pense Moda

30/09/2011

por | Gente, Moda

arianne_ABRE©Reprodução

Na quarta-feira, dia 05.10, o MuBE recebe para uma palestra no Pense Moda a nova-iorquina Arianne Phillips, que tem no currículo as atribuições de figurinista, stylist – de moda e de celebridades – e personal stylist de Madonna, cargo que exerce desde 1997. Como definí-la em uma palavra? Impossível. “Eu sou um stylist quando trabalho com moda. Quando trabalho em um filme, sou creditada como figurinista, que é o que sou. Meu trabalho com músicos, e certamente com Madonna, normalmente carrega aspectos de ambos – stylist e figurinista. Como stylist, meu trabalho é juntar, caçar, editar e geralmente criar um “look”, um “feeling” com roupas vindas de designers, brechós ou shoppings… Quando estou trabalhando em um filme ou em uma grande turnê, e às vezes em clipes musicais, nós estamos criando personagens e ajudando a contar uma “história narrativa”, e nosso trabalho não é só ser capaz de ‘juntar’, mas ‘criar e desenvolver  roupas/figurinos a partir do nada”, explicou em entrevista.

A carreira de Arianne começou no finzinho dos anos 80, quando foi assistente durante um curto período de tempo. “Eu era uma assistente muito ruim. No entanto, [...] me ensinou muito sobre como tratar pessoas, e o quão importante são as ‘relações’ nessa indústria”. Antes disso, enquanto fazia faculdade na San Francisco State University, teve um acidente de carro e ficou meses de repouso em casa. Após a recuperação, pegou o dinheiro do seguro, US$ 10 mil, e fez um mochilão pela Europa, com amigos, onde entrou em contato, e se surpreendeu, com a cena musical e da moda de cidades como Londres. Antes disso, enquanto morava com os pais, Arianne se mantinha longe da influência da cultura pop – não via televisão, por exemplo – e se orgulhava de se interessar pelo lado mais underground das coisas.

Foi em Nova York que Arianne começou a trabalhar com moda, fazendo alguns editoriais, e o primeiro deles foi para a “Details”, a revista do momento, na época. “Achei o mundo da moda muito intimidante e competitivo, então mudei meu foco para música e músicos… Isso foi exatamente quando eu conheci Lenny Kravitz”, explicou ela em entrevista. Os dois ficaram amigos, e ele acabou chamando-a para colaborar com as seções de fotos e vídeos de deu novo CD. “Minha amizade com Lenny foi o começo de minha jornada como stylist, que me trouxe aqui onde estou hoje”.

FILMES

arianne_walkabre“Johnny & June” ©Reprodução

Em uma época em que sair de Nova York e morar em Los Angeles era considerado cafona, Arianne o fez, com a cara e a coragem, e a vontade de trabalhar com algo novo. “Eu sentia que precisava ir para algum lugar que pudesse criar minha própria ‘identidade’/ ‘persona’ criativa”. Ela se mudou tendo trabalhado em apenas dois filmes pequenos, de baixo orçamento, e o primeiro roteiro que chegou em suas mãos foi “Cães de Aluguel”, um clássico de Quentin Tarantino. Mas… Arianne rejeitou. “Pensei que o roteiro era estúpido. Óbvio que não havia ‘pegado’ o filme. Demorou um tempo de tentativa e erro para descobrir o que era um ‘bom’ roteiro… Por exemplo, eu não tinha ideia que “Destino Insólito”, de Guy Ritchie seria um desastre, nós nos divertimos tanto trabalhando nele”. E o oposto claramente poderia acontecer, como de fato, aconteceu. “Eu não tinha ideia que tantas pessoas amariam o filme [Johnny & June], e eu absolutamente não fazia ideia que seria indicada ao Oscar”.

arianne_singlemanCena de “Direito de Amar”, com a modelo brasileira Aline Weber ©Reprodução

Além de “Johnny & June”, Arianne foi responsável também pelo figurino de arrancar suspiros de “Direito de Amar”, primeiro longa de Tom Ford, pelo qual recebeu uma indicação no BAFTA Awards. Sua mais recente empreitada é o novo longa de Madonna, “W.E.”, com figurinos de época misturados com atualidade. A maneira admirável com que trabalha seus figurinos pode ser explicada por uma paixão pela pesquisa.

arianne_girl“Garota, Interrompida” ©Reprodução

“Pesquisa é tudo para mim”, declarou ela. Quando está preparando um filme, ela e a assistente acumulam pilhas de materiais, desenhos de biografias, jornais, fotos e livros de arte. Quando fez “Garota, Interrompida”, por exemplo, leu muito sobre as instituições mentais e hospitais dos anos 60. O processo de criação também inclui a criação de um livro de referências recheado de inspirações visuais. “É como um grande projeto de arte. Nós cortamos fotos de pessoas reais e também de personagens icônicos do cinema de antigamente e fazemos colagens”. Para ela, fazer figurinos de um filme é “criar ferramentas para auxiliar o ator a compreender suas emoções”.

arianne_walk2Reese Witherspoon e Joaquin Phoenix em “Johnny & June” ©Reprodução

arianne_walk3Reese Witherspoon e Joaquin Phoenix, em “Johnny & June” ©Reprodução

arianne_singleman2Colin Firth e Julianne Moore em “Direito de Amar” ©Reprodução

arianne_girl2Angelina Jolie e Winona Rider em “Garota, Interrompida” ©Reprodução

MADONNA

madonna_abreMadonna em editorial para a “W”, de junho de 2006 ©Reprodução

Pode-se dizer que o encontro com Madonna foi outro momento crucial na vida profissional de Arianne. Após trabalhar em “O Povo Contra Larry Flynt” com Courtney Love, as duas se tornaram amigas, e quando a roqueira foi chamada para a capa da edição “As Mulheres no Rock” da “Rolling Stone” de 1997, ao lado de Madonna e Tina Turner, levou a stylist e ainda a indicou para Madonna. Em um primeiro momento Arianne não queria o trabalho, pois já estava cuidando de Courtney. A cantora, porém, contatou o agente da stylist sem que ela soubesse, pegou seu portfólio e o enviou para Madonna, com um bilhete de próprio punho recomendando os serviços da stylist. A sugestão foi acatada e dura até hoje.

madonna_musicaTurnê “Re-Invention” e capa do single “Confessions on a dance floor” ©Reprodução

madonna_capasCapa da “W” de junho de 2006 e capa da “Vanity Fair” de maio de 2008 ©Reprodução

madonna_0Em editorial para a “W” de abril de 2003 ©Reprodução

madonna_revista2No mesmo editorial para a “W” de 2003, com fotos de Steven Klein ©Reprodução

CELEBRIDADES

Para Arianne, cuidar do visual de um artista é muito mais do que apenas escolher uma roupa. “É importante ter um ‘ponto de vista’, e ser franca e honesta sobre a estética. Há tantas pessoas contratadas por aí apenas para satisfazer os artistas… Eu tento acelerar e fazer a visão deles ganhar vida ou eu tento traduzir o que eles expressam em suas músicas de uma maneira visual”, explicou. Além disso, Arianne é do tipo que prefere longos relacionamentos com seus clientes, em vez de chamadas ocasionais. Ela, por exemplo, não veste celebridades apenas para eventos. “Eu não participo disso, não porque eu estou acima disso, mas porque eu não sou boa nisso”, explica modestamente.

arianne_courtneyCourtney Love com styling de Arianne Phillips ©Reprodução

MODA

E no meio de tantas atribuições, Arianne Phillips assina o styling de diversos editoriais de moda, perpetuando seu estilo “narrativo” de trabalhar. Ela, aliás, já declarou que “não é muito da moda”. Achou estranho? Ela explica: “Na verdade, eu amo moda. O que eu quis dizer é que eu não sou muito interessada no lado comercial da moda. Eu não me relaciono com a cultura “O Diabo veste Prada” ou “Sex and the City”, uma cultural comercial. Eu amo a arte e a pompa da moda”.

loveDuas das oito capas da “LOVE” F/W 11, com styling de Arianne Phillips e Katie Grand ©Reprodução

vmag_penelopePenélope Cruz na capa da “V Magazine”, edição de Inverno/11 ©Reprodução

voguegermanyAline Weber em editorial para a “Vogue” Alemanha, de julho de 2011 ©Reprodução

karenelsonKaren Elson para edição de junho de 2011 da “Zoo Magazine” ©Reprodução

arianne_dianeDiane Kruger e Quentin Tarantino em editorial para a “The New York Times Magazine”, edição do verão 2009 ©Reprodução

arianne_evanEvan Rachel Wood em editorial para a “Vogue” Italia de setembro de 2007 ©Reprodução

arianne_mag5As brasileiras Bruna Tenório e Carol Pantoliano, fotografadas ao lado de outros modelos para editorial da “Vogue” Italia de setembro de 2008 ©Reprodução

arianne_mag3Editorial dedicado ao ballet, na “Vogue” Italia de fevereiro de 2008 ©Reprodução

+ Leia aqui tudo o que já foi publicado sobre Pense Moda

Estée Lauder quer lançar perfume com assinatura de Madonna

14/09/2011

por | Beleza

madonnaMadonna pode lançar perfume em breve ©Reprodução

A semana de moda de Nova York ainda é o assunto mais comentado do mundo da moda (pelo menos até começar a temporada de Londres), e parece que a Estée Lauder aproveitou o timing para discutir novas parcerias de perfumes fashion. A primeira marca confirmada a lançar uma fragrância licenciada é a Marni.

Ainda há uma especulação com a possibilidade de que Tory Burch seja a próxima grife a se juntar ao hall de frangrâncias da Lauder. De acordo com o “WWD”, a conversa entre a gigante dos cosméticos e a estilista está rolando. A diretora criativa da Lauder, Aerin Lauder, esteve até na primeira fila do desfile de Tory nesta semana.

Quem também parece estar em negociação com a Lauder é Madonna. Dá para imaginar que a rainha do pop ainda não tem nenhum acordo de licenciamento grande com um perfume em sua homenagem? Desde 1997 há um rumor de que Madonna teria seu próprio perfume, mas desde então, nada surgiu concretamente.

Se a Lauder de fato fechar a parceria com a cantora, a marca vai ter uma tríade incrível de perfumes do pop, junto com Lady Gaga (que lançará sua fragrância no ano que vem) e Beyoncé (que tem dois perfumes assinados). Já pensou?

Começa o Festival de Veneza com novos filmes de George Clooney e Polanski

veneza_abreTodos querem o Leão de Ouro; aqui na abertura do Festival de Veneza do ano passado ©Reprodução

Começa na quarta-feira (31.08) o 68º Festival Internacional de Cinema de Veneza, no Palazzo del Cinema, que vai até o dia 10 de setembro. O diretor dessa edição é Marco Müller, que encabeça a divisão de cinema da Bienal de Veneza desde 2004.

Durante esses dez dias, a mostra exibirá trabalhos de diretores dos mais renomados, como Roman Polanski, David Cronenberg e Abel Ferrara. O filme “W.E”, que falamos nessa matéria, da rainha do pop Madonna, também será apresentado na mostra. O Brasil também deixará sua marca com “Girimunho”, de Helvécio Marins Jr. e Clarissa Campolina. Como em toda edição, há um homenageado, que este ano é o diretor italiano Marco Bellocchio, diretor de “Bom Dia, Noite” e “Vincere”, entre outros. Sobre o homenageado, Müller declarou: “Com cada novo filme, Bellocchio te leva para outra direção, diferente das que você pensava já ter alcançado e descoberto”. A cerimônia de homenagem acontece na sexta-feira, dia 9 de setembro.

Mas as homenagens não terminam aí. Al Pacino, diretor e ator (difícil esquecer suas atuações como Tony Montana e Michael Corleone), é o escolhido para receber o prêmio “Jaeger-Le Coultre – Glória ao Cineasta” dedicado a artistas que deixaram uma marca original no cinema contemporâneo.

idesofmarchPôster e cenas de “Tudo pelo Poder” ©Reprodução

Uma das maiores estrelas do festival é “Tudo pelo Poder”, o mais recente trabalho de George Clooney como diretor, que narra os bastidores da corrida presidencial nos EUA, e abre o festival nesta quinta-feira. Não é a primeira vez que Clooney se envereda pela política (no cinema). Em 2005 ele apresentou no mesmo festival o filme “Boa Noite e Boa Sorte” (2005), produção em preto e branco que se passava na era do macarthismo. Em “Tudo pelo Poder”, além de dirigir, Clooney atua como um governador na disputa pelo cargo, que tem como estrategista um jovem (Ryan Gosling, de “Namorados para Sempre”) um tanto idealista e mal preparado para os entraves – e sujeiras – que encontra pelo caminho. Paul Giamatti e Philip Seymour Hoffman também estão no filme, como gerentes de campanhas rivais. “Tudo pelo Poder” estreia no Brasil em 21 de outubro.

Ao todo, 21 filmes estão na disputa pelo Leão de Ouro. Roman Polanski, cineasta franco-polonês, compete com “Carnage”, cujo roteiro foi feito por Polanski durante prisão domiciliar e narra a história de dois casais que tentam solucionar suas diferenças quando o filho de um deles bate no outro filho em um parque. Estão no elenco Jodie Foster, Kate Winslet, Christoph Waltz e John C. Reilly.

Outro nome forte é “A Dangerous Method”, do canadense David Cronenberg, que conta com Keira Knightley, Viggo Mortensen e Vincent Cassel. O filme é baseado na relação turbulenta entre o psiquiatra Carl Jung, seu mentor Sigmund Freud e Sabina Spielrein, a mulher que surge entre os dois, e como isso contribuiu para o surgimento da psicanálise.

Fora da competição, mas no line-up da mostra, está, entre outros, “Contagion”, com Matt Damon, Kate Winslet, Marion Cotillard e Jude Law, dirigido por Steven Soderbergh.

Abaixo, veja a lista dos concorrentes ao Leão de Ouro e conte nos comentários a sua aposta:

“The Ides Of March”, George Clooney
“Tinker, Tailor, Soldier, Spy”, Tomas Alfredson
“Wuthering Heights”, Andrea Arnold
“Texas Killing Fields”, Ami Canaan Maan
“Quando La Notte”, Cristina Comencini
“Terraferma”, Emanuele Crialese
“A Dangerous Method”, David Cronenberg
“4:44 Last Day On Earth”, Abel Ferrara
“Killer Joe”, William Friedkin
“Un Ete Brulant”, Philippe Garrel
“A Simple Life”, Ann Hui
“The Exchange”, Eran Kolirin
“Alps”, Yorgos Lanthimos
“Shame”, Steve McQueen
“L’ultimo Terrestre”, Gian Alfonso Pacinotti
“Carnage”, Roman Polanski
“Chicken With Plums”, Marjane Satrapi and Vincent Paronnaud
“Faust”, Aleksander Sokurov
“Dark Horse”, Todd Solondz
“Himizu”, Sion Sono
“Seediq Bale”, Wei Te-Sheng

Com apresentação de Madonna, Gucci cria prêmio para mulheres do cinema

31/08/2011

por | Cultura Pop

frida-madonnaFrida Giannini e Madonna juntas em Veneza ©Reprodução

Sabia que a Gucci premiará mulheres que são destaque no cinema na próxima edição do Festival de Veneza? O evento começa nesta quarta-feira (31.08) e o Gucci Award for Woman in Cinema será na sexta (02.09).

A cerimônia premiará mulheres que trabalham na indústria cinematográfica, na produção, edição, direção, figurinos e demais atividades. No júri, além de Frida Giannini, diretora criativa da Gucci, estão os atores James Franco e Robin Wright.

As indicadas ao prêmio são: Caroline Champetier, diretora de fotografia de “Of Gods and Men”; Jessica Chastain, que estrelou em “A Árvore da Vida” com Brad Pitt e Sean Penn; a roteirista Federica Pontremoli; a produtora Nansun Shi; e a diretora e produtora Athina Tsangari. A vencedora ganhará uma bolsa de US$ 25 mil para estudar no Instituto de Televisão Cinema da New York University.

Quem vai apresentar a premiação é Madonna, que vai aproveitar um jantar em sua homenagem oferecido por Frida para lançar o filme “W.E”. O longa é escrito e dirigido pela cantora, baseado no relacionamento entre Wallis Simpson e o príncipe de Gales, Edward.

Figurino de novo filme de Madonna é de arrancar suspiros; veja fotos!

we_03
Andrea Riseborough e James D’Arcy ©Tom Munro

A “Vanity Fair” divulgou, nesta sexta-feira, imagens inéditas do próximo filme de Madonna, “W.E.”, que já falamos aqui. As fotos mostram o figurino e as personagens do longa, que se passa na Inglaterra nos anos 1930, fala da abdicação de Eduardo VIII e seu caso com Wallis Simpson, socialite americana e divorciada. Muito moderna para sua época, Wallis também era linda e carismática, e a história de amor entre os dois culminou na renúncia ao trono por parte de Eduardo, que preferiu viver com sua amada a ser rei da Inglaterra. Se depender das imagens, vem coisa muito boa – e bonita – por aí.

O ensaio estará na edição de setembro da publicação, foi fotografado por Tom Munro, e traz os protagonistas do filme, James D’Arcy, de “Mestre dos Mares – O Lado Mais Distante do Mundo”, como Rei Eduardo VIII e Andrea Riseborough, de “Não Me Abandone Jamais” como Wallis Simpson na West Wycombe House, em Buckinghamshire. O nome por trás dos figurinos lindíssimos é Arianne Phillips, que, surpresa surpresa, trabalhou nos filmes “Direito de Amar” e “Johnny e June”, pelo qual foi indicada ao Oscar, com figurinos igualmente belos. Arianne também foi, por muito tempo, figurinista de Madonna.

we_04
Andrea Riseborough e James D’Arcy ©Tom Munro

Segundo a “Vanity Fair”, há cerca de 60 trocas de roupas no filme, ou seja, praticamente uma troca e meia de figurino a cada 1 minuto! Entre as marcas escolhidas pela figurinista estão Dior, Cartier, Dunhill, Chapelaria Stephen Jones e joias Alexis Bittar.

we_mat2
Andrea Riseborough e James D’Arcy ©Reprodução

Já está ansioso para ver esses figurinos em tamanho maximizados? Clique na galeria para ver mais!