WGSN: a evolução do 3D e o futuro da tecnologia no mundo da moda

04/04/2012

por | Techno

“Avatar” (2009) foi a grande obra do cinema que revitalizou o uso da tecnologia 3D ©Reprodução

Em 2009, o mundo conheceu o filme “Avatar”, projeto ambicioso de James Cameron, que demorou quase 14 anos tirá-lo do papel. Apesar de que falar sobre a ambição e grandiosidade de filmes deste diretor é quase uma redundância, “Avatar” está no topo das bilheterias de todos os tempos principalmente por outro fator: a popularização do cinema 3D. Desde então praticamente não há um filme hollywoodiano de ação ou aventura que não tenha sido produzido usando tecnologia 3D, seja nas filmagens ou na pós-produção.

O WGSN fez uma matéria sobre o assunto, intitulada “O futuro do 3D na publicidade”, onde ressalta a importância de Hollywood para a popularização do 3D, que se tornou uma espécie de artimanha infalível para conseguir uma alta bilheteria. Assim, as pessoas começaram a pagar mais caro para assistir a filmes 3D que não acrescentavam em nada. Mas há esperanças. Jeffrey Katzenberg, CEO da DreamWorks Animation, diz acreditar no futuro do 3D: “Se você coloca ferramentas nas mãos de visionários, talentos verdadeiros, elas conseguem ser incríveis”.

Mas e quando isso irá sair de Hollywood? Já saiu e aos poucos está incorporando outros setores, principalmente o da moda. Não existe marca melhor para começar a falar de inovação do que a Burberry: já conhecida como a marca mais eficiente nas redes sociais, ela também foi pioneira no uso da tecnologia quando passou o vídeo do desfile de sua coleção Inverno 2010 ao vivo em 3D para fashionistas em Tóquio, Nova York, Paris e outras capitais. Pouco depois, a Armani Exchange soltou a sua campanha em 3D para a mesma temporada. Já em setembro de 2011, Nicola Formichetti realizou um vídeo para a Mugler em sua loja pop-up em Nova York, além de permitir que as pessoas interagissem com seus iPads.

Campanha 3D da Armani Exchange Inverno 2010:

Interação e realidade. É nestes fatores que Robin Harvey da Atelier, parte da agência de publicidade Leo Burnett, acredita que reside o verdadeiro futuro na moda. “A indústria de moda tem usado muito bem o 3D em projeções por mapping e hologramas”. A Ralph Lauren demonstrou isto em 2010, com projeções nas fachadas de suas lojas em Nova York e Londres. Já em abril de 2011, a Burberry realizou um evento para celebrar a abertura de sua nova loja em Pequim com mistura de projeção 3D com hologramas e modelos reais:


Para além do espetáculo

Para Norma Kamali, a tecnologia 3D pode e deve ir além do espetáculo. No final de 2011, Ermenegildo Zegna lançou sua loja online 3D, onde a atriz Milla Jovovich aparece como hostess de um ambiente onde o usuário pode navegar pelas prateleiras e vestir modelos com suas roupas. Até um novo nome está sendo promovido pelo criador do conceito, James Lima, que também trabalhou em “Avatar”. Em vez do website, temos o webplace.

As marcas Brooks Brothers e a Selfridges também pensam da mesma maneira e criaram um sistema onde um leitor faz uma leitura do corpo do cliente para que este possa “experimentar” roupas em suas lojas virtuais. Apesar de ser uma ideia genial, a tecnologia ainda é cara demais para ser encontrada em qualquer lugar.

Loja virtual 3D da Ermenegildo Zegna para o iPad:

O que o futuro nos reserva?

Apesar de parecer perfeitamente engatilhado, Robin Harvey da Atelier diz que tudo irá depender do sucesso da tecnologia, ou seja, se as televisões 3D começarem a ser vendidas, o mercado irá atrás, mas não é o que está acontecendo agora. O cinema parece estar bem consolidado quanto a isso, mas não se vê ou ouve falar de muitas pessoas que compraram um aparelho 3D para suas casas.

É claro que o otimismo prevalece. No mundo da moda, o 3D ainda está em fase de experimentos, mas o que todos ressaltam é a importância de se ter em mente que o seu uso deve ter um sentido, uma utilidade, e não somente ser usado para encantar o público. Nas palavras de Chris Spencer, diretor da Brand Transparency: “Atualmente me parece que o 3D é um brinquedo. Com o tempo nós vamos ver um firmamento entre o entretenimento, info-entretenimento, brand utility e brand experience”, com os dois últimos termos se referindo a elementos em produtos que deem sentido e agreguem um valor às vidas de quem os consome.

+ No Blog: ainda não viu “Pina”? Filme é bela experiência visual

Kate Moss encarna deusa hindu (de Swarovski) em 3D

16/09/2010

por | Moda

Em 2006, quando Kate Moss enfrentava o escândalo em que estava metida, Alexander McQueen colocou um emocionante holograma seu dentro de uma pirâmide de vidro, ao som do violino de Itzhak Perlman, ao final do desfile de Inverno 2006. Quatro anos depois, Baillie Walsh, o diretor daquele vídeo, juntou-se à Kate para fazer “KM3D-1″.

Dessa vez o contexto é mais ameno, mas o curta promete: Moss encarna Kali, deusa todo-poderosa do hinduismo que destroi sua imagem através de uma explosão de centenas de cristais. As cenas foram filmadas com a precisa câmera Phantom, o que permitiu um slow motion extra lento dos cristaizinhos voando.

O vídeo será exibido em 17/09 numa festa fechada da “AnOther Magazine”, em Londres. Uma versão menor e em preto-e-branco do trabalho estará disponível online e poderá ser vista com os óculos 3D inclusos na nova edição.

Novo “Harry Potter” e remake de “Gremlins”: agora em 3D!

01/02/2010

por | Cultura Pop

O sucesso sem precedentes de “Avatar” abriu, de uma vez por todas, as portas do 3D para o cinema. Dirigido por James Cameron, o filme quebrou o recorde de maior bilheteria da história, que pertencia à “Titanic” (também de Cameron).

E os números já contaminaram produtores em Hollywood. A Warner Bros anunciou que os dois próximos filmes da saga Harry Potter, “Harry Potter E As Relíquias da Morte” (partes 1 e 2) devem ser lançados em 3D. Detalhe: como ambos já foram gravados, a conversão digital custará ao estúdio mais de 5 milhões de dólares. Os filmes chegam ao cinema em 19 de novembro de 2010 e 15 de julho de 2011.

Outros rumores dão conta que uma sequência do clássico “Gremlins”, de 1984, deve ganhar um remake em 2011, também em 3D. Quem estaria na direção do longa é Joe Dante, responsável pelos dois primeiros episódios da série. De acordo com o site MarketSaw, o projeto já saiu do papel e está em fase de pré-produção.