Anos 1990, Harajuko e cogumelos: a trip de inverno da Triton

19/01/2010

por | Moda

Veja as fotos, leia a análise e assista ao desfile Triton inverno 2010.A

Radar FFW: hotpants ativam o fator sexy do inverno brasileiro

19/01/2010

por | Moda

As hotpants são tendência do inverno?

hotpantHotpants invernais da Osklen, Cori, Rosa Chá e Colcci © Agência Fotosite

Se depender de algumas marcas que desfilaram nesta edição do SPFW, a resposta é sim. A peça, uma espécie de maxi calcinha inspirada nos anos 1940, apareceu com considerável freqüência (até agora) nas passarelas do evento.

Elas foram as estrelas do verão 2008 e na época viraram itens essenciais nas principais coleções do planeta fashion. Porém, nunca saíram das passarelas ou dos editoriais de moda. Com exceção de Lady GaGa, alguém aí usou? Agora, para o inverno 2010, as hotpants voltam a dar as caras nos desfiles da semana de moda paulistana. A novidade vem nos looks que acompanham as hotpants: peças de alfaiataria ou elementos mais fechados e até mesmo sisudos. A maior parte delas também é confeccionada em lingerie, para contrapor ainda mais os tecidos pesados do restante do look.

A imagem é sedutora, e até faz sentido para o atual clima sensual (feminino e sofisticado) pelo qual passa a moda. Mas fica a pergunta: vai para as ruas ou não?

Ellus investe nas tendências da hora com jeanswear cool em seu inverno 2010

19/01/2010

por | Moda

Veja as fotos, leia a análise e assista ao vídeo do desfile Ellus inverno 2010.

Tecnobrega, Lady Gaga e The xx: o iPod de Jackson Araujo

19/01/2010

por | Gente

Ligado em tudo o que acontece na música e na moda, Jackson Araujo tem um dos iPods mais antenados de São Paulo. Jornalista, consultor de tendências e DJ, ele contou ao portal FFW o que tem ouvido recentemente: “Estou num momento super mega hiper Lady Gaga. Acho que ela trouxe o elemento da moda de volta para o pop”.

Como DJ, ele também comanda mensalmente as pick ups do Bar Secreto em São Paulo. “É uma experiência”, conta. “Assim como fui a primeira pessoa a tocar funk carioca em São Paulo, sou o primeiro a tocar tecnobrega num bar mais moderninho. Sem perceber, as pessoas estão dançando kaoma e achando a coisa mais incrível do mundo”

Ouça abaixo!

DSC09092Jackson Araujo: DJ, consultor e jornalista sabe-tudo de música © Acervo FFW

“Bad Romance”  – Lady Gaga

“Stars” – The Xx

“Something a la Mode” – G Strink

“Esperar Pra Quê” – Cidadão Instigado

“Me Libera” – Deja Vu

Direto de Milão: entrevistamos Ângela Missoni

19/01/2010

por | Gente, Moda

Enquanto acontece o SPFW aqui no Brasil, os holofotes internacionais se dividem entre a nossa semana de moda e os lançamentos masculinos de inverno que rolam em Milão. O portal FFW não poderia ficar de fora dessa cobertura: nossa correspondente local, a intrépida jornalista Juliana Lopes, envia conteúdos exclusivos direto do mundo de lá. Confira:

Por Juliana Lopes, de Milão para o FFW

Um clima de quermesse, gente de todas as idades confraternizando ao ar livre, rodeadas por plantas, aperitivos, drinks e, amarrando tudo isso, a moda da família Missoni. O lançamento da coleção masculina para o inverno 2010, durante a Semana de Moda Masculina em Milão, que terminou nesta terça-feira (19/01), foi uma apresentação num quintal sofisticado em um elegante bairro milanês, perto da Basílica de Sant’Ambrogio. O clima era de total informalidade: tanta que algumas pessoas subiram ao palco pra tirar foto ao lado dos meninos (!).

Modelos mostram nova coleção da Missoni, em festa em Milão
Modelos mostram nova coleção da Missoni, em festa em Milão

E, nas roupas, uma busca extrema por sobreposições, não só das peças em si, mas dos conceitos de confortável e elegante. Dentro de um limite comercial, mas bastante perfeccionista. Tricôs que vêm por cima de coletes estruturados de linho. Calças estreitas, retas, combinadas com cardigans volumosos e cachecóis infinitos. Gravatas aparentemente austeras, mas feitas com pontos propositadamente falhados.  A escolha pela cartela de cores parte do nude, o azul, o marrom, e tem alguns “pulos” para tonalidades mais altas. “Busquei um homem real”, diz Ângela Missoni, que assume o design da marca desde a década de 90. Ela cedeu entrevista ao FFW enquanto degustava seu drink:

As festas no interior do Brasil têm o mesmo clima dessa apresentação, com gente bebendo, comendo, crianças, jovens e idosos misturados no mesmo ambiente. A moda tem que ser assim?
A moda é uma festa de família! (A Missoni, de fato, é, como tradicionalmente nas industrias italianas, uma empresa familiar). A moda tem que ser acessível e ter o mesmo espírito intimista dos porta-retratos com fotos de nossos parentes. A Missoni desenha para três gerações. Meu pai (Ottavio Missoni, fundador da empresa) aos 89 anos fica feliz com o que veste. É claro que ele não quer se vestir como um jovenzinho, mas ele também quer se sentir contemporâneo.

Quando você diz que as pessoas têm vontades de ser contemporâneas, impossível não pensar: o que é contemporâneo agora?
Contemporâneo é o que é real.

A inspiração vem de um conforto das nossas origens?
Sim. Pensei na natureza, mas também nas culturas que se cruzam, por isso os patterns mais étnicos. Não sei dizer exatamente o caminho da criação mas no final encontra-se harmonia e é preciso ter harmonia sempre.

Super cachecóis e sobreposições na nova coleção da Missoni, apresentada em Milão
Super cachecóis e sobreposições na nova coleção da Missoni, apresentada em Milão

Um exército de Joanas d’Ark sob o comando de Fabia Bercsek

19/01/2010

por | Moda

Veja as fotos, leia a análise e assista ao vídeo do desfile Fabia Bercksek inverno 2010.

Uma rapidinha com… Lovefoxxx!

19/01/2010

por | Gente

No SPFW para comandar a trilha sonora da Triton, Luísa Lovefoxxx, (a vocalista do CSS), é todo um carão. Com a banda – que já foi considerada a mais hype do mundo – de férias, ela se divide entre a ponte-aérea São Paulo-Londres, onde é casada com Simon Taylor, da banda Klaxons.

Confira a rapidinha que ela deu com a gente:

loveLuísa Matushita, aka Lovefoxx: o carão é sua especialidade © Acervo FFW

Sonho mais recente.
Sonhei que um bofe que eu tava afim cozinhava pra mim com duas frigideiras ao mesmo tempo.

Quem é seu cineasta favorito?
John Waters. Cada hora eu gosto de um filme. Recomendo “Desperate Movie”, aquela cena em que os personagens dizem: “The children are having seeex!” [risos].

As pessoas deveriam desencanar de…
Gossip Girl. Não entendo o hype! Aqueles bofes que parecem o Ken da Barbie, aquelas meninas uó,  outra que tenta ser a Courtney Love. Detesto. Gosto mesmo é de True Blood, que os bofes são incríveis (e imortais).

Onde você estava ontem à meia noite?
[risos] Em casa tomando banho.

Uma virtude que admira num homem.
Saber cozinhar.

Um talento escondido.
Saber cozinhar!

Uma coisa que te irrita.
Milhões de coisas. Taxista que dirige devegar. Aí quando peço pra acelerar eles ficam putos.

Palavra favorita.
Aquaris. É engraçada, e atrai coisas boas.

A maior extravagância.
Ai, não sei! Sou muito consumista!

O maior tombo que você levou num show.
Nossa, tem vários! Teve um em Londres, no Koko. Enrosquei o pé num cabo – e como eu fazia Ai Ki Do quando era criança, tive um reflexo e acabei fazendo um enrolamento. Mas eu caí de verdade no chão!

E o pior voo que fez durante uma turnê?
Lembro direitinho. Foi no dia 8 de abril de 2009. Da Austrália para Oakland para Santiago. Foram 35 horas.

Como você se ocupou durante todo esse tempo?
Quis morrer! Tomei um remédio tipo Dramin para dormir e fiquei grogue o tempo inteiro. Mas o momento mais excitante foi quando um rato apareceu num aeroporto. Pânico!

Patinadoras de gelo anunciam o inverno de Simone Nunes

19/01/2010

por | Moda

Veja as fotos, leia a análise e assista ao vídeo do desfile Simone Nunes inverno 2010.

Pina Bausch aciona a poesia em forma de roupa de Ronaldo Fraga

19/01/2010

por | Moda

Veja as fotos, leia a análise e assista ao vídeo do desfile Ronaldo Fraga inverno 2010.

Mulheres guerreiras e Floresta Amazônica inspiram a Iódice

19/01/2010

por | Moda

Veja as fotos, leia a análise e assista ao vídeo do desfile Iódice inverno 2010.

Judaísmo, medleys e anos 1990: ouça as trilhas do SPFW

19/01/2010

por | Cultura Pop

Acordes dramáticos, canções judaicas e batidão. No segundo dia de desfiles do SPFW, as trilhas sonoras foram pesadas, intensas e deram força (ou excesso?) às coleções apresentadas.

Ouça abaixo:

Maria Bonita – No cenário imponente do SESC Pompeia, a coleção assinada por Danielle Jensen teve Vinicius e Baden Powell com “Pro Samba”. Saravá!

Alexandre Herchcovitch - Composta por Max Blum, a trilha é uma faixa frenética da banda-de-um-homem-só Final Fantasy, aka Owen Pallet. Intenso e maximalista, a trilha deu ainda mais força à coleção apresentada.

Reinaldo Lourenço – Composta por Giancarlo Lorenci, a trilha do desfile – que tinha uma pitada de inspiração em militares judeus e no filme Bastardos Inglórios – começou bem com “Hava Nagila”, uma tradicional canção judaica. Mais tarde, electro e clima 80s à la Siousxie And The Banshees.

Maria Garcia – Inspirada pela música e a nostalgia dos anos 90, a coleção assinada por Camila Cutolo teve o grupo de hip-hop Salt\’n\’Pepa e o grupo norte-americano Cake, com “Daria” na trilha. Quem assina a trilha é Adriano Costa e Boris Fratogianni.

Cori – A visão musical de Arthur Joly dá luz à coleção de inverno da Cori, assinada por Gisele Nasser. Um rock poluído, com cara de shoegaze, deu ritmo ao desfile baseado em alfaiataria.  

Forum Tufi Duek - Intercalando uma orquestra de cordas dramáticas e um batidão de electro, o DJ só acertou com o remix de “Big Time Sensuality”, da Björk, ao final do desfile.

Samuel Cirnansk – Dramático e poderoso. O jornalista e DJ Jackson Araújo fez um medley da trilha de “Sherlock Holmes” (de Hans Ziemer) mixados com trechos do novo disco da Yoko Ono, inspirada pelo amor. Ouça abaixo:

Pop 5 por… Giovanni Frasson!

Cultuado no mundo fashion, o stylist e editor de moda e projetos especiais das revistas “Vogue Brasil” e “Iguatemi”, Giovanni Frasson garimpou seus itens preferidos nas prateleiras da Pop Up Store – o espaço mais descolado dentro da Bienal nesta edição do SPFFW.

Para presentear? “Meu irmão faz origamis imensos e sem cola alguma. Eu daria esta carteira-origami pra ele”. Por R$ 40,00, da Slimpak.

DSC_5322Dobradura de bolso ©Priscilla Vilariño/FFW

Um luxo? “Os óculos Ray-Ban flúo me fazem lembrar os meus 18 anos!”. Modelo verde neon, por R$ 390,00.

DSC_5323Óculos que remetem aos anos 80 ©Priscilla Vilariño/FFW

Só para cobiçar? “O carrinho de controle remoto, que não está à venda!”

DSC_5327Um carro fora do caos de Sampa ©Priscilla Vilariño/FFW

Item indispensável? “Coleção de revistas Visionaire 55, Krug”, por R$ 770,00.

DSC_5334A bíblia dos fashionistas ©Priscilla Vilariño/FFW

Giovanni por Giovanni? “O duende, do coletivo Amor de Madre”, por R$ 288,00.

DSC_5330Com as mãos no alter-ego ©Priscilla Vilariño/FFW

Colaboraram Bianca Pelliciari e Lica Altafim

Produção Lêda Villas Bôas

Pop Up
1º piso Bienal.
Até sexta-feira, 22 de janeiro, das 12 às 21h30.
Aberta apenas para convidados do evento.

Sameer Reddy, do NY Times, dá o recado: “Desencanem da moda!”

19/01/2010

por | Gente

Com passagens pela “Vogue India”, “NewsWeek”, “Style.com” e “The New York Times”, o jornalista e consultor Sameer Reddy está cobrindo esta temporada de moda brasileira a todo vapor.

Nascido em Michigan e graduado em Moda, ele começou a escrever sobre o assunto como assistente na “Hint Magazine”. “Eu era assistente de marketing ou whatever“, conta. “Mas só comecei a escrever artigos de verdade há uns dois anos”. Hoje, ele se divide entre as coberturas de moda e artes. “Trabalho com esculturas e fotografia”.

O portal FFW falou com ele. Confira:

DSC08883Sameer Reddy: jornalista americano está cobrindo a temporada brasileira de moda ©

Qual foi o seu sonho mais recente?
Não lembro o que era, mas foi um sonho de ansiedade.

Você já mencionou que sabe muito sobre modelos. Quais meninas têm chamado a sua atenção recentemente?
Eu adoro modelos. O artigo que estou escrevendo aqui para o [jornal New York] Times é sobre a Laís Ribeiro. Ela não é a maior, mas que ela é incrível, tem muito potencial. Mas no mundo a minha favorita é a Raquel Zimmermann.

Qual foi o desfile mais impressionante que você já viu pessoalmente?
Acho que foi o de alta costura da Chanel Inverno 2009. Os adornos de cabeça feitos de papel eram impressionantes.

Clipboard02Desfile de alta costura da Chanel Verao 2009: esculturas de papel impressionaram Sameer Reddy © Marcio Madeira

Um medo?
Muita coisa. A vida!

As pessoas deveriam desencanar de…
Moda.

Onde você estava ontem à meia-noite?
Num bar gay com cheiro de vômito.

Qual foi o último filme que você viu?
O documentário “Lagerfeld Confidential”, no avião a caminho do Brasil.

O que você achou?
Como documentário, achei medíocre. Como personagem, o Lagerfeld é fascinante.

Palavra favorita?
Difícil falar uma só. Eu uso muito essa: “amazing” (“incrível” em português).

Um herói na moda?
A estilista Isabel Toledo. Fui estagiário dela na faculdade e a reencontrei dez anos depois. Agora ela foi projetada pela família Obama e tudo mais. Ela não é muito conhecida por aqui, mas deveria.

Brilha muito no inverno! Glitter é tendência no make da estação

19/01/2010

por | Beleza

Se ainda não é uma tendência concreta, não dá para deixar passar como coincidência: o glitter apareceu em alguns desfiles do Fashion Rio, como Cantão, Têca (nos olhos) e Giulia Borges (na boca) e, já no primeiro dia de SPFW, na apresentação de Priscilla Darolt.

beleza-glitter-priscillaO make criado por Max Weber para Priscilla Darolt ©André Conti/Agência Fotosite

O pó brilhante é um jeito fácil de transformar a maquiagem básica de festa, e não há necessidade de gastar uma centena de reais em um potinho da M.A.C.: na maioria das vezes, o glitter comum, vendido em papelarias, serve do mesmo jeito.

Para fixar no rosto, alguns maquiadores elegem o gloss. Outros preferem colas cosméticas criadas para aplicações do tipo. Para tirar, o conselho é um só: pegue outros ou dobre, mas não use o mesmo lado do algodão duas vezes para retirar o glitter – senão, as partículas se espalham pelo rosto inteiro.

O furacão Lara Stone passa pelo SPFW, mas não deixa rastros

19/01/2010

por | Gente

Quatro obstáculos, duas horas de espera, um camarim, 3 perguntas, uma modelo: eis o resumo da passagem de Lara Stone pela Bienal.

A top chegou com uma entourage formada pelo namorado, pelo empresário e por mais três assessores de imprensa nacionais e, um pouco atordoada pelo número de pessoas que tiravam suas fotos, foi rapidamente isolada em uma sala particular no backstage da Forum Tufi Duek.

lara-stone-forumLara Stone ao final do desfile da Forum Tufi Duek: a cara de choque pode ser resultado do tratamento de diva que recebeu dos assessores ©Agência Fotosite

Pelo entra-e-sai do espaço, alguém de fora poderia imaginar algo como: Lara estava com frio, então chegaram roupas. Lara estava com preguiça, então chegou uma camareira para vesti-la. Lara estava com fome, então chegou comida. Lara foi ao banheiro, então todo mundo foi acompanhá-la (este é fato). Lara estava solitária, então chegaram fotógrafos, diretores, maquiadores e outros mil.

“Não sei quando percebi o sucesso, na verdade. Acho que foi quando ganhei um guarda-costas. Achei exagerado, mas agora penso que foi uma boa ideia.” Isso, ela explicou, aconteceu ontem.

Quando chegou afinal o glorioso e semi-exclusivo meio minuto do FFW com a favorita de Carine Roitfeld, foi tão rápido que mal deu para reparar nas ações da holandesa fora das passarelas, exceto sua evidente timidez diante da imprensa – câmeras eram terminantemente proibidas.

“Adoraria ter uma família e ser uma dona-de-casa, e logo”, disse antes de beijar o namorado, o comediante David Williams. Planos simples para alguém que, aos 26 anos, quebrou paradigmas em uma das indústrias mais competitivas do mundo.