Aline Weber tira fotos exclusivas para o FFW Models dos bastidores do Fashion Rocks

10/09/2014

por | Gente

Número um do nosso Ranking Top 50 Feminino, Aline Weber, representada pela Mega Partners, participou na noite desta terça-feira (09.09) do Fashion Rocks, que agitou Nova York e trouxe performances de artistas como Usher, Jennifer Lopez, Kiss, Nicki Minaj, Rita Ora, Pitbull, Duran Duran e Justin Bieber, entre outros, enquanto modelos desfilavam vários looks na passarela/palco. Ela enviou ao FFW Models cliques exclusivos dos bastidores do evento; clique aqui para ver o post completo.

Karl Lagerfeld faz 81 anos! Veja infográfico com curiosidades sobre o estilista da Chanel

10/09/2014

por | Gente

Karl Lagerfeld faz aniversário! O estilista sopra, nesta quarta-feira (10.09), 81 velinhas. Quer dizer, todas as evidências levam a crer que o alemão nasceu em 10 de setembro de 1933, mas ele afirmava ser de 1938. Só que os pais de Karl publicaram um anúncio com o nascimento do menino em 1933, fato que, quando descoberto, acabou de vez com as dúvidas.

+ Veja primeira imagem da Barbie criada por Karl Lagerfeld para comemorar 55 anos da boneca

+ Karl Lagerfeld assina sua terceira coleção para a Melissa; confira os preços

Independentemente de quantos anos ele está fazendo, fato é que hoje é dia de festa para o estilista da Chanel. Para marcar a data, o pessoal do Stylight preparou um infográfico sobre Karl com curiosidades, os principais momentos da carreira e fatos engraçados e compartilhou com o FFW. Confira abaixo:

FFW Models: queridinha de stylists, Janete Friedrich retoma carreira após quatro anos

10/09/2014

por | Gente

She is back! Janete Friedrich, modelo andrógina brasileira queridinha dos stylists e fotógrafos, voltou ao mercado após quatro anos longe dos holofotes. Dona de uma capa de “Vogue” Itália e “FFWMAG”, além de editoriais para “Vogue” Japão e Brasil, “Love”, “Elle”, e catálogos da marca britânica Alexander McQueen, Janete trabalhou com os principais nomes do mercado internacional e nacional, como Greg Lotus, Emma Summerton, Patti Wilson, Daniel Ueda e Paulo Martinez. Batemos um papo com a catarinense de 24 anos, que nos contou tudo o que aconteceu durante este tempo fora; clique aqui para ler no FFW Models.

FFW Models: mineira Amanda Wellsh é destaque internacional com campanhas e ensaios

04/09/2014

por | Gente

A modelo brasileira Amanda Wellsh em foto para a “Vogue” espanhola ©Reprodução

O que define o surgimento de uma top model? Fotografar as melhores campanhas, posar para revistas importantes, trabalhar com profissionais de renome, desfilar nas mais concorridas passarelas? Se forem estes os fatores que definem o sucesso, Amanda Wellsh atingiu todos e vai muito bem, obrigado. A mineira de Patos de Minas está em seu melhor momento profissional: em menos de um ano viu seu nome e sua imagem crescerem rumo ao sucesso e é apontada como uma das próximas brasileiras a se consagrar.

A até então “promessa” da temporada internacional de Verão 2014 tornou-se conhecida dos fashionistas após abrir e fechar o disputado desfile da Gucci em Milão, e assim virar a nova queridinha de Frida Giannini, diretora criativa da marca, para a qual Amanda também estrelou a campanha. Há tempos uma new face brasileira não atingia tanto sucesso dentro da Gucci; a última a realizar tal feito foi Carol Ribeiro nos tempos em que Tom Ford ainda estava à frente da grife

Para terminar de ler esta matéria, vá para a página do FFW Models

Gisele Bündchen assina maior contrato da sua carreira; veja detalhes no FFW Models

03/09/2014

por | Gente

“Gisele Bündchen está cada vez mais rica, ela é poderosíssima!” É com essa famosa frase que virou meme na internet que começamos esta matéria.

Gisele acaba de assinar um contrato com a gigante norte-americana dos esportes Under Armour. Em 20 anos de carreira, a modelo brasileira nunca havia fechado uma parceria de tanto valor, que supera os US$ 25 milhões que ela ganhou em um acordo de cinco anos com a Victoria’s Secret, em 2000. Segundo a “Forbes”, os valores envolvidos são semelhantes aos recentemente oferecidos para Kevin Durant, jogador de basquete do time Oklahoma City Thunder: US$ 275 milhões para um contrato de 10 anos. Recentemente, a revista publicou que o faturamento de Gisele é o maior entre todas as modelos, com ganhos de US$ 47 milhões entre junho de 2013 e junho de 2014.

Para continuar a ler essa matéria, vá para o FFW Models

Ex-presidente da grife Louis Vuitton, Yves Carcelle morre aos 66 anos

01/09/2014

por | Gente

O executivo francês Yves Carcelle morreu aos 66 anos após lutar contra um câncer ©Getty Images

Morreu neste domingo (31.08) o executivo francês Yves Carcelle, ex-presidente e CEO da Louis Vuitton. Ele tinha 66 anos e, de acordo com o portal “WWD“, lutava contra um câncer de rim desde 2013.

Carcelle trabalhou durante mais de 20 anos na maison francesa, deixando a empresa em 2012. Figura respeitada e admirada na indústria fashion, ele foi responsável pela expansão dos negócios da Louis Vuitton, incluindo novas categorias como óculos e joias e aumentando sua presença global. A nomeação de Marc Jacobs como diretor criativo da grife, em 1997, também foi obra de Carcelle.

+ “Tenho orgulho da jornada da Louis Vuitton no Brasil”, diz Yves Carcelle

“É com grande tristeza e emoção que eu soube da morte do viajante incansável Yves Carcelle”, disse o presidente do grupo LVMH Bernard Arnault, em comunicado oficial, segundo divulgado pelo site da “Vogue” UK. “Yves era a imagem da grife que ele personificou por tantos anos: um pioneiro, sempre curioso, apaixonado; ele foi um dos homens mais inspiradores que eu já conheci. LVMH perde hoje um dos seus mais queridos amigos.”

A célebre editora de moda Suzy Menkes também prestou sua homenagem a Carcelle em sua coluna internacional publicada pela “Vogue“. “Yves Carcelle marcou a história da moda, trabalhando com o LVMH para transformar o luxo em um mercado de massa”, escreveu ela.

FFW Models: conheça o fresh face Gabriel Marques, novo queridinho de Hedi Slimane

28/08/2014

por | Gente

Dono de uma beleza à la Mick Jagger nos anos 70, Gabriel Marques, representado pela Way Management, é o novo rosto masculino despontando no mercado fashion internacional. Carioca de ascendência italiana, o fresh face de 18 anos e 1,86 m começou a carreira há apenas seis meses e já vem conquistando clientes de peso como o designer Hedi Slimane, da Saint Laurent, que o colocou como modelo exclusivo no seu desfile de Verão 2015 em Paris. Além disto, Gabriel fez editoriais para as revistas “Love” e “Dazed & Confused” e promete nos mostrar muita coisa ainda. Leia mais e veja ensaio fotográfico exclusivo no FFW Models.

Entenda por que Christopher Bailey, da Burberry, é um dos maiores nomes da moda atual

27/08/2014

por | Gente

Christopher Bailey no fim do desfile masculino de Inverno 2015 da Burberry ©Getty Images

O Brasil recebe nesta quarta-feira (27.08), pela primeira vez, uma visita fashion para lá de ilustre: o estilista britânico Christopher Bailey. O Chief Creative Officer e CEO da Burberry vem para a abertura da exposição “In Your Face”, do fotógrafo Mario Testino, que será inaugurada nesta quinta no Museu de Arte Brasileira, da Fundação Armando Álvares Penteado (MAB – FAAP), em São Paulo.

+ Mario Testino e Christopher Bailey, da Burberry, vêm ao Brasil para mostra do fotógrafo

Bailey vem se consagrando como um dos mais expressivos (e bem remunerados) nomes da indústria fashion atual graças ao trabalho que tem feito ao longo dos últimos 13 anos no sentido de renovar e reiventar a Burberry, grife com mais de 150 anos de história, tornando-a ainda mais desejada e lucrativa. Um bom exemplo dessa renovação é o próprio trench coat, peça icônica que surgiu há 100 anos, durante a Primeira Guerra Mundial. A Burberry, é claro, ainda é mundialmente famosa pela capa de chuva em sua forma mais tradicional, feita de gabardine cáqui. Mas o designer deu novo fôlego fashion ao casaco ao injetar boa dose de cor e brilho, com tecidos metalizados, lurex e materiais plastificados, por exemplo.

Modelos com o trench coat metalizado no backstage do desfile de Verão 2013 da Burberry ©Reprodução/Facebook

A estratégia digital da Burberry é outro trunfo que leva a assinatura de Bailey. A grife foi uma das pioneiras no investimento em redes sociais, com a transmissão de desfiles ao vivo e ferramentas que permitiam a compra quase que imediata das roupas mostradas na passarela. O reconhecimento do mercado veio logo em 2010, quando o estilista conquistou a primeira edição do prêmio de Inovação Digital concedido pelo British Fashion Council (BFC), conselho de moda do Reino Unido.

+ Entre a passarela e o mundo virtual: Instagram é novo campo de batalha das grifes

O quesito celebridade, fundamental para o sucesso de uma marca, também é preenchido pela marca com louvor. Dona de um estilo fácil, porém arrojado – “uma elegância desarrumada”, como descreveu o próprio estilista em entrevista à “The New Yorker” -, a Burberry está entre as etiquetas queridinhas das it girls britânicas, Kate Moss e Emma Watson entre elas. A atriz Sienna Miller também faz parte do fã clube e já declarou, inclusive, que “poderia viver nas roupas dele [Bailey]”, como reporta a revista “People”.

Elas vestem Burberry: Sienna Miller e Emma Watson (ao lado de Bailey) ©Getty Images

Talvez o segredo do sucesso de Bailey esteja justamente na sua forte conexão com o Reino Unido. Criado em uma família de classe média (seu pai era carpinteiro e, sua mãe, vitrinista da Marks & Spencer) no interior da Inglaterra, ele sempre buscou inspirações para suas coleções em todas as camadas sociais britânicas, de artistas marginais como Sid Vicious até o glamour da família real. “O negócio da Burberry é que ela apela a tipos muito diferentes de pessoas… Nossa filosofia é muito democrática”, contou ele à revista “Details” em 2005.

O primeiro nome de peso do mundo da moda a enxergar o talento de Bailey foi Donna Karan, que o levou para Nova York em 1994 para integrar sua equipe de estilo feminino. Dois anos depois, o britânico se mudou para Milão para trabalhar com Tom Ford na Gucci como designer sênior, posto que ocupou durante cinco anos, até entrar para a Burberry a convite da então CEO Rose Marie Bravo.

De lá para cá, Bailey conquistou diversos prêmios: Designer do Ano em 2005 e 2008, segundo a revista “GQ”; Designer do Ano em 2006 e 2009, na premiação British Fashion Awards; Designer Internacional em 2010, pelo CFDA; apenas para citar alguns. Esse bem sucedido percurso (aliado a um relevante incremento nas vendas e lucros da empresa, é claro) levou o estilista a um acontecimento inédito na indústria fashion: este ano, com a saída de Angela Ahrendts da Burberry, ele se tornou o primeiro estilista a acumular as funções de CEO e de Chief  Creative Officer em uma marca.

+ Christopher Bailey acumula funções e é nomeado novo CEO da Burberry

Toda essa trajetória de sucesso deixa pelo menos uma coisa clara: desde o seu primeiro dia na grife e até hoje, Bailey parece estar em perfeita sintonia com o lema Prorsum da Burberry, que quer dizer “adiante” ou “para frente”, em latim.

Gisele vem ao Brasil para lançar nova coleção de sua linha de lingerie; saiba tudo aqui

24/08/2014

por | Gente

Campanha da linha de lingerie Gisele Bündchen Intimates ©Reprodução/Facebook

O furacão Gisele já tem data para voltar ao Brasil. Na próxima terça-feira (26.08), a top lança em São Paulo a coleção de Verão 2015 de sua linha de lingerie, a Gisele Bündchen Intimates (GBI). O evento está marcado para às 20h, no hotel Tivoli. O FFW, é claro, estará lá para registrar tudo sobre o lançamento – acompanhe em primeira mão pelo Instagram (@ffw).

+ Com multidão de fãs, Gisele lança coleção de lingerie na NK Store

É esperado que a passagem de Gisele por aqui cause o mesmo rebuliço provocado no último lançamento da GBI em dezembro passado, quando uma multidão de fotógrafos, jornalistas, tietes e curiosos se espremeu na NK Store apenas para fotografar e chegar perto dela. Esse é o efeito Gisele.

FFW Models: fresh face Reno di Gois era fisiculturista antes de se tornar modelo

20/08/2014

por | Gente

Reno di Gois tem um corpo de causar inveja – esta é a primeira impressão que temos do fresh face cearense natural de Fortaleza. Com 1,85 m de altura e uma beleza tipicamente brasileira, Reno, representado por Alisson Chornak, da Tango Management, era atleta de fisiculturismo e teve que remodelar o seu corpo para entrar no mercado da moda. Confira mais sobre ele no FFW Models.

“Quem não mudar vai ficar para trás”, diz Formichetti em entrevista exclusiva à FFWMAG

20/08/2014

por | Gente

Nicola Formichetti por Jean Paul Pietrus ©Divulgação

“Vamos quebrar tudo”, diz Nicola Formichetti no início da nossa conversa. Quem acompanha o trabalho do novo diretor criativo da Diesel não duvida. Sua meta é colocar a grife em outro patamar em termos de marca, produto e presença nas plataformas digitais.

Se ele vai conseguir? Para dar essa reposta, voltamos um pouco na história. Filho de mãe japonesa e pai italiano, Nicola, nos anos 1990, encontrou-se nas ruas de Londres, onde o gosto pela moda virou paixão e a fissura por novidade, obsessão.

Assim, no início dos anos 2000, ele virou um dos principais criadores de imagens do mundo, usando as páginas da cultuada “Dazed & Confused” para mostrar sua visão de moda que trocava modelos por jovens que abordava na rua e era marcada por um styling que priorizava a criação, a loucura e o improvável.

Hoje, Nicola virou celebridade online e off-line e está à frente da direção criativa da marca Diesel. A “FFWMAG” teve uma longa conversa com ele por Skype, em que ele fala sobre mercado, criatividade, celebridades, revistas e sobre a “bolha da moda” em que se meteu ao trabalhar para a Mugler.

Aqui você tem um petisco da matéria completa, que vale a leitura. A entrevista está na “FFWMAG” #37 NeoSpirit, que está à venda em bancas e nos e-commerces do FFWSHOP e da Livraria Cultura. Compre a sua aqui

Nicola! Como você está?

Maluco, aquela coisa de sempre.

Como você divide seu tempo hoje?

Passo duas semanas na Itália, onde fica a Diesel, e duas em Nova York, onde é minha casa. Mas sinto falta de Londres e daquela energia que vem das ruas. Em Nova York, tudo tem a ver com grana e em Londres você simplesmente conhece as pessoas, sem interesses. A cidade é cheia de gente que quer criar coisas. Estou pensando em voltar para lá.

Estamos em um momento em que a energia das ruas está enfraquecendo porque as pessoas passam muito tempo online?

Com a internet, nós finalmente podemos dizer que somos globais. É uma ótima ferramenta de comunicação, mas o que acontece é que ninguém vai para a rua como antes. E a rua é onde as coisas estão acontecendo, o espírito do momento, gente jovem misturada com gente velha, tem uma energia única. Hoje tem tanta coisa acontecendo online que as pessoas não olham mais para isso. As coisas continuam insanas e fodidas e as pessoas pararam de olhar para isso. Com a internet, qualquer pessoa pode ter seu espaço, o que é ótimo, mas isso era o que tinha a ver com as ruas, quando as pessoas se reuniam em pequenos grupos de amigos e criavam suas próprias tribos. Hoje, tudo está completamente diferente. Fora que a internet é tão maluca, você nunca sabe o que vai acontecer.

+ Especial Jeans: da contracultura à Alta-Costura

+ Especial Jeans: shooting especial com várias formas de usar o denim

Como devemos medir hoje o quanto o online é essencial?

Como uma empresa você tem que seguir com as ruas, mas é impossível hoje ignorar o digital. Instagram, Twitter, Tumblr mudaram tudo e eu amo, pois nós podemos fazer ainda mais coisas incríveis. Na Diesel vamos ter mais mídia digital e muita energia nas redes sociais e em imagens em movimento. Nossa nova campanha foi fotografada pelo Nick Knight com um iPhone e dois aplicativos (Glitch e Mega Photo), especialmente para a comunidade online. Mas ainda queremos ser surpreendidos por uma linda capa de revista ou uma matéria ou algo da “vida real”. É um bom momento para parar e observar o que está acontecendo.

A moda sempre teve uma conexão com o novo e a vanguarda. Hoje, muitas marcas ainda não acreditam no poder da internet, o que parece uma atitude muito antiquada. Por que essa resistência?

As pessoas com poder na alta moda são mais velhas e querem proteger o que elas sabem. Até para mim, que tenho 37 anos, às vezes é difícil de acompanhar. Imagine para eles, que têm quase o dobro. Esta é a questão: a pessoa com poder de decisão é velha. Eu acredito que, se eles não mudarem, vão ficar para trás. Um dia tudo vai mudar. Acredito que nos próximos dois anos grandes mudanças aconteçam nesse sentido. Quem compra CDs hoje em dia?

Qual a sua visão da moda hoje?

A moda é baseada no medo. Modelos esqueléticas em roupas apertadas… Quem vai conseguir ser assim na vida real? Essa mulher está anos-luz das mulheres nas ruas. É o fator medo, e o pior é que ele funciona. Acho que há outras maneiras de mostrar coisas incríveis e que sejam positivas. Com Renzo Rosso e o time da Diesel, nós temos isso em comum, vivemos a vida de forma positiva. Nós nos reunimos, ficamos bêbados, comemos uma boa massa (risos). Não tem frescura.

+ Veja o desfile da Diesel em Veneza capitaneado por Nicola Formichetti

+ Conheça Brooke Candy, nova musa de Formichetti

Paula Cademartori: bolsas da designer brasileira fazem sucesso com design fresco e inovador

15/08/2014

por | Gente

A designer brasileira de bolsas Paula Cademartori ©Reprodução

Sentar para conversar com um designer talvez seja um dos modos mais próximos de entender a realidade da moda hoje. A realidade de quem trabalha. Muito antes da superfície das imagens de peças e campanhas, a moda nasce no cotidiano de pessoas que mergulham em seus sonhos, em suas empresas. O que elas têm a dizer?

Brasileira de 31 anos radicada em Milão, Paula Cademartori abre o jogo espontaneamente. Em sua experiência como fashion designer, ela conta que para acontecer no mercado teve que gastar muito suor, criatividade, insistência e disciplina. Mas quem é ela? Seu nome tem conquistado cada vez mais espaço, dos braços de garotas descoladas mundo afora às páginas da revista “Vogue” americana. Bolsas coloridas, de design inovador, fresco, feito por alguém que vem de uma nação nova no mundo da moda (o Brasil), mas que construiu sua formação numa capital tradicional da moda (Itália). Um mix que também acontece em suas peças.

Nascida em Porto Alegre, mudou-se para Milão em 2005 para estudar mestrado em Fashion Accessories no Istituto Marangoni. Já desenhava desde pequena, conhecia sua paixão. Mas faltava a prática e encarar desafios de quem é jovem e chega de fora. No começo da carreira, Paula ouviu muitos “nãos”. As lojas que contatava não se mostravam interessadas em vender seus produtos. “Eu passava o dia no telefone e tentava mostrar meus produtos para as pessoas”, relembra.

Hoje encontramos as bolsas da Paula à venda em boutiques renomadas da Europa, como a 10Corso Como, em Milão. Alguns fashionistas famosos desfilam suas bolsas, como Anna Dello Russo. É uma espécie de passaporte para o hype ter uma super fashionista usando sua peça. Causa curiosidade, vontade de imitação e, claro, divulgação. A moda vive também disso, de quem a veste. Mas até chegar a decorar o look de Dello Russo existem outras etapas: se inspirar, desenhar e, o mais duro para qualquer criativo, saber todos os processos pelos quais passa o mercado. Para ficar afinada nas operações comercias, Paula paga consultores que vão até seu escritório para dar o termômetro real das vendas.

Aqui no país, uma seleção de suas bolsas pode ser encontrada online na Farfetch Brasil, por preços que podem alcançar mais de R$ 8 mil. Paula também está presente nas multimarcas Zezé Duarte (Belo Horizonte) e Ana Paula (Brasília).

Encontrei com a Paula em seu estúdio, num prédio em Milão. O escritório é impecável. Ela chega e começa a conversar em italiano até perceber que a entrevista é em português. Suspira aliviada: “Que bom, eu posso falar português! Que saudade, é outra coisa. Eu quase não falo português aqui!”.

Você fica tão feliz em falar português. Sente saudade de estar entre brasileiros?

Sinto. Eu sou brasileira. Mas não posso nem imaginar sair daqui. A minha marca está toda aqui, foi formada aqui, a sede de produção é aqui, seria impossível sair. Quero conseguir ir mais vezes ao Brasil para ver as pessoas, faz dois anos que eu não vou. Mas me estabeleci em Milão.

Sua criação parece mesclar o que vê na Itália e o que traz do Brasil.

Eu acho que o gosto é algo que nasce com a gente, mas que também vai sendo construído com o que vemos e vivenciamos. Apesar de estar na Itália e ter aprendido muito aqui, o Brasil está presente no modo como eu trabalho. Estou sempre dançando, me movimentando, tenho essa alegria brasileira dentro, escuto canções brasileiras para trabalhar. Fico fechada na época da criação, ouvindo músicas obsessivamente e na coleção passada eu estava muito ligada em Tom Jobim, Marisa Monte.

O que tem na Itália que te faz feliz?

Gosto da qualidade e do estilo de vida. Gosto da segurança que sentimos aqui. E do fato que, estando em Milão, estou bem conectada ao panorama internacional da moda. A Itália tem uma qualidade de matéria-prima que é superior. O universo em geral que eu vivo aqui me inspira em 360 graus.

Você passou por momentos da carreira em que podia ter desistido?

Caramba, eu levei vários nãos! Ligava para os lugares para falar da minha coleção e ninguém se interessava. Lembro muito de como foi duro nesse comecinho, na época da coleção de 2011. Eu tinha só uma assistente, fazia absolutamente tudo na raça. Mandava tantos emails, fotos… Hoje tenho mais gente trabalhando comigo, mas foi um caminho árduo.

Qual é o tipo de mulher que você vê usando suas bolsas?

Vejo mulheres globais, cosmopolitas. E é claro que encontrar pessoas conhecidas usando minhas bolsas provoca uma divulgação do meu produto. Mas o que me deixa surpresa é quando encontro assim, do nada, gente que não conheço usando. Fico observando. É ainda uma situação inesperada pra mim. Mas eu sou super tímida. Uma vez me perguntaram qual era a marca da bolsa que eu estava usando e eu falei o nome da minha marca, que é meu nome, mas não falei que a designer sou eu.

Como você vê o papel de um acessório no look? O que isso representa na imagem de moda que transmite?

Antes de ser um transmissor de personalidade, a roupa é uma necessidade. O acessório é algo que complementa e não é absolutamente necessário como a roupa, está mais ligado ao desejo. Demonstra a parte mais íntima do nosso gosto. Porque é um adorno, uma coisa a mais, algo que usamos simplesmente para enfeitar.

Existem vários momentos na produção de moda, que vão da inspiração à realidade das vendas. Como você se organiza?

Me responsabilizo por todo o processo. Sempre foi assim, mas no começo eu não tinha condições de ter uma equipe grande. Hoje eu tenho funcionários e pago consultores que me trazem uma visão de mercado. A partir dessa visão mercadológica eu tomo decisões como quais modelos de bolsa continuar, que tipo de novos materiais usar, quantidade de produção, enfim, como me direcionar.

Então você separa bem a Paula Cademartori criativa da Paula empresária?

Não sou uma artista maluca que pode de repente ficar dois meses no Nepal sentindo aromas e se alimentando de outras sensações. Quem me dera. Eu sou pé no chão. Tenho que ralar.

Qual o papel do criador e empresário de moda?

Cada empresário de moda tem que saber aonde quer chegar. Tem que estar atento, ficar em cima, ligar pra fornecedores, encher o saco. Se eu tenho que fazer caixa, contabilidade, vou lá e faço. Não posso fazer estrelismo. O empresário de moda não pode ter frescura. Tem que acreditar no projeto e ter um time que funciona. Tem que estar todo mundo no mesmo barco. E eu tenho que orquestrar os desempenhos, os humores. Aqui somos em nove mulheres e um homem. As pessoas têm que estar motivadas, ego inflado não funciona.

Ainda assim o mercado de moda é cheio de egos, não?

Ah, tem gente que gosta só de fazer performance né? Essa parte é a cereja do bolo, o glamour. Claro que em semana de moda você acaba se divertindo, se inspirando na hora de se vestir, é estimulante esse momento. São duas vezes ao ano em que você sente no ar essa excitação, essa borbulha. Mas são só duas vezes ao ano, a maior parte do tempo é de ralação. E ninguém sabe que esse tal “glamour” é só uns 2% de toda a coisa. Porque em semana de moda a gente nem almoça, vive de água e chiclete de menta (risos).

@pcademartori

Veja abaixo imagens de personalidades da moda usando bolsas de Paula e uma seleção especial:

paula-cademartori-anna-dello-russo
Anna Dello Russo com uma de suas bolsas Paula Cademartori

Blogueira e atriz: após dois filmes, Tavi Gevinson estreia nos palcos da Broadway

14/08/2014

por | Gente

Tavi Gevinson e Julia Louis-Dreyfus em cena do filme “À Procura do Amor” (2013) ©Reprodução/IMDb

Aos 18 anos, Tavi Gevinson tem um currículo de dar inveja a muito veterano por aí. A escritora, blogueira de moda, editora e fenômeno midiático trilha agora seu caminho em um novo campo, o do teatro. Ela se prepara para sua estreia nos palcos da Broadway com a peça “This Is Our Youth”, do dramaturgo Kenneth Lonergan.

O espetáculo, que tem ainda Kieran Culkin e Michael Cera no elenco, entra em cartaz na próxima segunda-feira (18.08), mas Tavi já vem arrancando elogios com sua performance. “Ao longo dos ensaios, ela se mostrou uma atriz incrivelmente esforçada, séria, sensível, divertida, flexível e imaginativa”, escreveu Lonergan na “Vanity Fair” de setembro. Autoproclamado avesso à internet e computadores, o dramaturgo contou ainda que nunca tinha ouvido falar dela antes da audição, nem do seu blog Style Rookie, da sua revista online Rookie (que atingiu 1 milhão de visitantes apenas cinco dias após ser lançada em 2011) ou da sua participação no TEDXTeen quando tinha apenas 15 anos (assista aqui ao seu discurso de sete minutos).

“Quando a escalamos para o papel, choveram mensagens de vários amigos dizendo que estavam felizes com a novidade, porque eles a amavam”, afirmou Lonergan. “Eu fiquei contente, mas surpreso, porque no meu universo, qualquer que seja ele, pessoas de 18 anos famosas geralmente não são amáveis.” Mas no fim do texto, em que rasga elogios à personalidade e talento de Tavi, o escritor conclui dizendo que hoje ele também faz parte do fã clube da garota.

A peça se passa na Nova York de 1982 e mostra 48 horas na vida de três adolscentes perdidos, Warren, Dennis e Jessica (o papel de Tavi). O “The New York Times” já chamou o texto de ”corrosivo, cruel e  humano”.

Vale lembrar que essa não é a primeira vez que ela encara o desafio de atuar. Seu primeiro papel foi em 2008 no curta “First Bass”. Depois disso, ela já deu voz a Lynn, personagem do premiado filme de animação “Cadáver” (2012) e contracenou com Julia Louis-Dreyfus no longa “À Procura do Amor” (2013). E ainda participou do documentário “The Punk Singer” (2013), concedendo uma entrevista sobre a ícone do punk Kathleen Hanna, que foi vocalista das bandas Bikini Kill e Le Tigre. Tavi se diz feminista e se espelha em outras mulheres mais velhas com os mesmos ideais.

Veja abaixo o vídeo-entrevista com os atores:

This is Our Youth @ Cort Theatre
De 18 de agosto de 2014 a 4 de janeiro de 2015
138 West 48th St, Nova York

tavi gevinson this is our youth poster
O poster da peça

FFW Models: fresh face Willian Verona foi descoberto por meio do Facebook

08/08/2014

por | Gente

Catarinense natural de Videira, Willian Verona é a nova aposta masculina de sua agência paulistana Elo Management. Com ascendência italiana, o fresh face de apenas 17 anos e 1,87 m foi descoberto por um scouter por meio do Facebook. Veja o post completo, com entrevista e fotos, no FFW Models.

Lupita Nyong’o, Cate Blanchett e Pharrell na lista dos mais bem vestidos de 2014 da “Vanity Fair”

06/08/2014

por | Gente

Lupita Nyong’o fez seu début na lista dos mais bem vestidos de 2014 da “Vanity Fair” ©Getty Images

A “Vanity Fair” divulgou nesta quarta-feira (06.08) sua lista anual com as celebridades mais bem vestidas do mundo. Entre os estreantes de 2014 está a premiada atriz Lupita Nyong’o, que conquistou admiradores pelo mundo afora com o estilo impecável exibido ao longo do último ano. Ela contou à publicação que suas referências de estilo são Elizabeth Taylor e Audrey Hepburn.

+ Lupita Nyong’o é eleita a mulher mais bonita do mundo; reveja os melhores looks da atriz

Merece destaque ainda a presença do cantor Pharrell Williams (com seu já icônico chapéu Vivienne Westwood) pelo segundo ano, das atrizes Cate Blanchett e Emma Watson e da top Natalia Vodianova, que não apenas entrou na lista, mas também foi a garota da capa da edição especial da revista.

+ Pharrell Williams é o cara de 2014; entenda o hype

Depois de aparecer quatro vezes no ranking, a Duquesa Kate Middleton entrou para a categoria especial “Hall da Fama”, ao lado do kaiser da moda Karl Lagerfeld. Outros dois membros da realeza europeia também marcaram presença entre os mais elegantes do ano: a Princesa Mary da Dinamarca e a Rainha Maxima da Holanda.

Para ver a lista completa com as celebridades mais bem vestidas de 2014, acesse o site da “Vanity Fair”.

Natalia Vodianova na capa da edição especial da “Vanity Fair” ©Reprodução