09.01.2012 / Moda / por

Em visita ao Brasil, editor da série "Illustration Now!" fala sobre design

Capa do livro “Illustration Now! 4″ ©Juliana Knobel/FFW

O trabalho de ilustração existe desde que o homem passou a ter necessidade de se expressar, comunicar ao mundo ao seu redor suas opiniões e sentimentos. Da metade dos anos 1990 até o começo dos 2000, no entanto, esse tipo de arte vinha sendo deixada de lado em consequência do rápido desenvolvimento da tecnologia digital e da criação de imagens feitas a partir dos recursos gerados por ela. Em contrapartida a esse “movimento”, Julius Wiedemann, editor especializado no segmento de designer gráfico da Taschen, editora alemã que publica livros há mais de 30 anos, tomou para si a missão de descobrir e divulgar ilustradores das mais diferentes partes do globo na série “Illustration Now!”, que se tornou um hit entre os profissionais da área.

No Brasil para o lançamento do volume quatro da série – “Illustration Now! 4” –, que aconteceu sexta-feira (06.01) na FNAC, Julius Wiedemann bateu um papo com a ilustradora paulistana Catarina Gushiken e André Diniz, dono da galeria Urban Arts, que promove o trabalho de novos artistas nacionais. Sobre a compilação e seu propósito, Wiedemann mencionou que o livro foi desenvolvido para valorizar a ilustração contemporânea e criar um diálogo entre profissionais de diversos países. Segundo o editor, todas as edições da série têm sido feitas a cada 18 meses e exibem o trabalho de 150 ilustradores, entre os quais estão sempre alguns brasileiros.

André Diniz, Julius Wiedemann e Catarina Gushiken ©Juliana Knobel/FFW

Após falar um pouco sobre o seu próprio processo de criação, Julius Wiedemann passou a palavra para Catarina Gushiken contar um pouco de sua experiência como ilustradora: “Eu sempre gostei de desenhar, desde criança. Pintava até as paredes de casa”, divertiu-se ela, emendando que, com o apoio do pai, investiu em sua paixão e começou a estudar ilustração a sério. Sem nenhuma experiência anterior, Catarina estagiou na editora Abril e depois na parte de estamparia e estilo da Cavaleira, onde permaneceu trabalhando por oito anos ao lado da estilista Thais Losso. Sobre o mercado da moda e suas exaustivas exigências, ela comentou que decidiu mudar os rumos de sua carreira e tornar-se ilustradora em tempo integral quando percebeu que não tinha mais prazer com o que fazia (“O desenho ficou sufocado. Precisava sair!”).

Além dos questionamentos sobre o panorama atual da ilustração e o mercado de talentos nacional, Julius, Catarina e André falaram sobre o retorno financeiro desse tipo de arte e da conexão direta que a imagem possui com o seu “espectador”. O FFW conversou o editor, que apesar do nome é brasileiro, e descobriu que seu interesse por ilustração surgiu no período que morou em Tóquio trabalhando com design e direção de arte. “Eu era muito ruim”, ele brincou sobre sua aptidão como designer. A ideia da série “IIlustration Now!” veio após Julius observar a revolução pela qual passou a ilustração após os anos 1990, época em que predominou a imagem vetorizada e ocorreu a “explosão dos quadrinhos”, e o retorno do traço humano.

Ilustração de Catarina Gushiken ©Juliana Knobel/FFW

Para Julius, os profissionais brasileiros não estão devendo nada ao mercado de ilustração internacional. Com a praticidade da internet, o ilustrador brasileiro adquiriu a possibilidade de mostrar sua obra e até desenvolver projetos para fora: “Hoje existe um grande número de ilustradores brasileiros que desenham quase que exclusivamente para publicações internacionais e enviam seus trabalhos digitalizados”, diz o editor.

O livro “Illustration Now! 4″ pode ser encontrado na Livraria Cultura, na Saraiva e no Amazon.


Relacionadas