“In Your Face”: vibrante, exposição de Mario Testino em SP está aberta ao público

29/08/2014

por | Cultura Pop

Exposição “In Your Face”, de Mario Testino, fica aberta ao público na FAAP, em São Paulo, até o dia 12 de outubro ©Divulgação

De 29 de agosto até 12 de outubro, o público pode visitar (gratuitamente!) a exposição “In Your Face”, de Mario Testino, que fica aberta no Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Álvares Penteado, em São Paulo. A mostra, apresentada pela primeira vez há cerca de um ano no Museum of Fine Arts, em Boston, conta com 122 imagens selecionadas pelo próprio fotógrafo peruano que traduzem a diversidade da sua obra. A edição contempla de fotografias de moda e publicidade até cliques autobiográficos, tendo como aspecto comum a irreverência e a beleza características de sua obra. O FFW viu tudo em primeira mão durante visita guiada para a imprensa; gostamos muito da montagem, com molduras coloridas e fotos enormes e colocadas como se estivessem simplesmente apoiadas na parede, sem pregos.

+ Mario Testino reúne top fashionistas em abertura de sua mostra em São Paulo

+ Entenda por que Mario Testino é um dos maiores ícones da fotografia atual

Exposição “In Your Face”, de Mario Testino, reúne fotografias de moda e publicidade e cliques de acervo pessoal ©Divulgação

Exposição “In Your Face”, de Mario Testino, fica aberta ao público na FAAP, em São Paulo, até o dia 12 de outubro ©Divulgação

Apaixonado pelo Brasil, Testino vive entre Rio e São Paulo. É natural que a mostra chegasse por aqui – e que atraísse muitos players da moda, que prestigiaram em peso a abertura da exposição. Entre os convidados especiais, estava Christopher Bailey, Chief Creative Officer e CEO da Burberry, que veio ao Brasil pela primeira vez, especialmente para o evento. (“In Your Face” conta com o apoio da marca britânica Burberry, da qual Testino é fotógrafo oficial desde 1996; duas imagens da grife clicadas por ele fazem parte do acervo que está exposto – dá para ve-las nas fotos acima).

+ Assista ao vídeo oficial da exposição “In Your Face”, de Mario Testino:

“In Your Face” @ São Paulo
De 29 de agosto a 12 de outubro
De terça a sexta-feira, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h (fechado às segundas-feiras, inclusive quando feriado)
Museu de Arte Brasileira da FAAP –  Rua Alagoas, 903, Higienópolis
(11) 3662-7198
Entrada gratuita

Com figurino de Samuel Cirnansck, novo espetáculo de Deborah Colker chega a SP

29/08/2014

por | Cultura Pop

Cena de “Belle”, novo espetáculo da Cia de Dança Deborah Colker ©Reprodução Facebook Cia de Dança Deborah Colker

O estilista Samuel Cirnansck, que faz parte do calendário do SPFW, assina o figurino do novo espetáculo de Deborah Colker, “Belle”, livremente inspirado no romance “Belle de Jour”, do escritor francês Joseph Kessel (e que virou o filme homônimo de Luis Buñuel estrelado por Catherine Deneuve). A obra revela a transição de visão e as experiências de uma jovem dona de casa que deseja intimidade física e não a consegue em seu casamento; no guarda-roupa criado por Samuel, isso se reflete nas roupas que começam com comportados comprimentos mídi em tons pastel, evoluindo para trajes em tule ilusione e bordados feitos à mão, insinuando nudez e ousadia. “O maior desafio foi traduzir a nudez em figurinos funcionais e belos”, afirma o designer. Os looks são arrematados com sapatos Jorge Bischoff.

Esta não é a primeira vez que Samuel Cirnansck cria para os palcos; em 2007, ele desenvolveu o figurino do espetáculo “Cruel”, também de Deborah Colker e, em anos anteriores, colaborou com diversas produções teatrais, como as obras “Don Giovanni”, “Cavalleria Rusticana” e “La Bohème”, todas apresentadas no Theatro Municipal de São Paulo.

+ Assista ao vídeo de divulgação de “Belle”, de Deborah Colker:

A beleza dos bailarinos foi criada por Celso Kamura com produtos Oceane Femme, “com um ar retrô de sombras coloridas e delineador”, ele diz. “Todas terão cabelo curto, um perfume retrô, porém com um look mais contemporâneo. Os curtos, além de dinâmicos, são práticos e as bailarinas podem cuidar do visual sem erro”, acrescenta o beauty artist.

O espetáculo já passou pelo Rio de Janeiro, Curitiba e Maringá. Veja mais datas:

Belle @ São Paulo
De 29 de agosto a 7 de setembro
Teatro Alfa
+ Veja informações sobre ingressos

Belle @ Porto Alegre
De 17 e 18 de setembro
Teatro do Sesi
+ Veja informações sobre ingressos

Belle @ Montevidéu, Uruguai
De 23 e 24 de setembro
Teatro Sodré

Belle @ Buenos Aires, Argentina
De 27 e 28 de setembro
Teatro Coliseo

belle-deborah-colker-temporada-figurino-samuel-cirnansck-2
Cena de ''Belle'', novo espetáculo da Cia de Dança Deborah Colker ©Reprodução Facebook Cia de Dança Deborah Colker

A universalidade multicolorida de Mario Testino, que está com exposição no Brasil

28/08/2014

por | Cultura Pop

Kate Moss após seu casamento, em editorial desenvolvido com exclusividade para a edição de setembro de 2011 da “Vogue” americana ©Mario Testino/Reprodução

Vibrante, a obra de Mario Testino é como sua personalidade. Por meio da utilização frequente da cor, aliada à luz perfeita, o fotógrafo peruano desenvolveu uma estética impecável, que remete à latinidade e saúde e é, comercialmente, um sucesso. Ao longo dos mais de 30 anos de carreira, Testino se estabeleceu como um dos profissionais mais requisitados – e bem relacionados – da indústria da moda: é colaborador assíduo da “Vanity Fair”, “V”, “Allure”, “GQ” e das edições americana, britânica e francesa da “Vogue”, além de ser responsável por dezenas de campanhas publicitárias da Burberry, Versace, Gucci, Michael Kors e Lancôme. Na quinta-feira (28.08), ele participa da abertura da sua exposição “In Your Face” no Museu de Arte Brasileira, da Fundação Armando Álvares Penteado (MAB – FAAP), em São Paulo. A mostra, apresentada pela primeira vez há cerca de um ano no Museum of Fine Arts, em Boston, conta com 122 imagens selecionadas pelo próprio, e que traduzem a diversidade da sua obra. “In Yor Face” abre para o público na sexta-feira (29.08); saiba mais aqui.

Mario Testino entre Lily Donaldson e Lara Stone ©Reprodução

“Minha fotografias são os meus olhos. Quero fotografar o que vejo – e o que quero ver”, justificou Testino em seu terceiro livro, “Alive”, publicado em 2001. O fato é que, a partir da visão do peruano, e, claro, de suas lentes, o mundo é um lugar dotado de extrema beleza e sensualidade. O universalismo da obra de Testino, que mescla as raízes latino-americanas a elementos globais, é reflexo da educação multicultural que recebeu: seu pai, um imigrante italiano que se converteu em empresário, e sua mãe, dona-de casa de origem espanhola, lhe possibilitaram um nível educacional superior ao conseguido pela maior parte da população peruana à época. Em 1976, com 22 anos, após tentativas mal sucedidas de começar uma carreira em Direito, Economia e Relações Internacionais, Testino deixou sua cidade natal, Lima, para viver em Londres.

Kate Moss na edição de outubro de 2009 da “Vogue” britânica ©Mario Testino/Reprodução

Na Inglaterra, Testino estabeleceu residência em um apartamento localizado em uma ala abandonada do Hospital Charing Cross, onde viveu por sete anos. Para se manter, o peruano passou a produzir portfólios para modelos iniciantes por apenas £ 25 (R$ 79), atividade que exerceu até conseguir sua primeira oportunidade como fotógrafo na revista “Over 21”, ainda em 1976. Dez anos mais tarde, Testino mudou-se novamente, mas dessa vez para Nova York; durante os quatro anos seguintes, ele se dedicou à busca da luz correta, além de realizar ensaios de nus masculinos. Foi a partir do início da década de 1990, no entanto, que a trajetória do peruano encontrou a de Carine Roitfeld, ainda apenas stylist, que o aconselhou a adotar uma assinatura própria.

Campanha de Primavera/Verão de 1996 da Gucci ©Mario Testino/Reprodução

Madonna, em 1995, e Diana, Princesa de Gales, em 1997 ©Mario Testino/Reprodução

Já em 1995, Testino passou a trabalhar com Roitfeld nas campanhas publicitárias da Gucci, ainda sob a direção criativa de Tom Ford. Depois, fotografou os anúncios da Versace com Madonna, que utilizou uma das imagens do peruano na capa de seu álbum “Something to Remember”, além de ter estrelado várias capas para a “Vanity Fair” a partir de suas lentes. Dois anos depois, em 1997, Testino realizou um ensaio histórico com Diana, Princesa de Gales, somente cinco meses antes de sua morte; a colaboração com a família real britânica continua até hoje, inclusive, quando em 2011, foi o responsável pelas imagens oficiais do noivado do Príncipe William com Kate Middleton. Em 2012, ele inaugurou em Lima a MATE, fundação que concebeu com o objetivo de promover a cultura local e conservar parte de seu acervo; para a ocasião, foi promovida uma grande festa, que teve personalidades como Lily Donaldson, Karlie Kloss e Hamish Bowles entre os convidados.

As capas dos livros “Mario Testino: Portraits”, de 2002, e “Mario de Janeiro Testino”, de 2009 ©Mario Testino/Reprodução

Após o lançamento de 11 livros, entre eles um dedicado ao Rio de Janeiro, publicado em 2009, e dezenas de exposições internacionais, Testino converteu-se em um fotógrafo-celebridade, retratando momentos íntimos de seus amigos, como Kate Moss, grande musa do peruano e tema de sua coletânea “Kate Moss by Mario Testino”. A relação com o Brasil também vai além das campanhas publicitárias da Zoomp e das capas da “Vogue” brasileira: o fotógrafo inaugurou em 2011 uma agência criativa de branding e comunicação em São Paulo, a Higher and Higher. Enfim, responsável por cinco capas da edição de setembro da “Vogue” americana e por encantar a realeza britânica, Testino pode não possuir uma produção completamente autoral, mas é um cânone da moda contemporânea.

Veja mais da série “Ícones da Fotografia”:

Robert Capa
Deborah Turbeville
Patrick Demarchelier
Paolo Roversi
German Lorca
Nick Knight
- Steven Meisel
- Tim Walker
- David Bailey
Helmut Newton

+ Veja na galeria abaixo mais imagens de Mario Testino:

gucci-ford-testino-ss200
©Mario Testino/Reprodução
Campanha da Gucci de Primavera/Verão de 2000

Moda pop: cantoras Iggy Azalea e Miley Cyrus revelam colaborações com estilistas

26/08/2014

por | Cultura Pop

Iggy Azalea e Miley Cyrus no tapete vermelho do VMA 2014 ©Getty Images

Não é de hoje que a moda flerta com a música pop, mas essa história de amor acaba de ganhar dois novos capítulos com as jovens estrelas Iggy Azalea e Miley Cyrus. A primeira colaboração fashion da rapper australiana será para o designer de sapatos Steve Madden. Ela irá assinar uma linha que deve chegar às lojas em fevereiro de 2015.

“A ideia desta parceria surgiu há alguns meses, quando Iggy se apresentou no Brooklyn como parte do nosso projeto Madden Music”, contou um porta-voz da marca ao site Fashionista. “Ela tem um olho excelente para moda, e nós estamos trabalhando na coleção agora.”

Apesar de esta ser sua primeira colaboração fashion, Iggy já vinha conquistando seu espaço no mundo da moda há um tempo. Além de ter lançado o clipe mais fashion de 2014 – com “Fancy” (assista abaixo) -, a rapper participou do reboot de “House of Style”, da MTV, e fez aparições em vários desfiles das últimas temporadas.

Já Miley está trabalhando com outro nome de peso do mundo da moda: o irreverente estilista Jeremy Scott, que também é o atual diretor criativo da Moschino. “Miley e eu temos algo muito emocionante que estamos preparando para o futuro”, contou o designer ao site da “Vogue” UK após o VMA Awards da MTV nesse domingo (24.08). No entanto, ele não revelou muitos detalhes sobre a parceria, apenas que ela deverá ser apresentada durante o desfile da sua grife homônima na próxima edição da semana de moda de Nova York. Promete!

+ Veja quem passou pelo tapete vermelho do VMA 2014

De James Dean a Beyoncé, o jeans faz história em 36 momentos do showbiz

25/08/2014

por | Cultura Pop

Na reta final do nosso Especial Jeans, reunimos 36 imagens de momentos ou personalidades que marcaram a indústria do showbiz, tanto na música quanto no cinema. O ponto em comum é o uso do jeans, desde como tradução do comportamento jovem da época até como marketing em campanhas publicitárias.

Das inesquecíveis fotos de Marlon Brando, James Dean e Elvis Presley, representando a rebeldia dos anos 1950, a momentos não muito felizes de Madonna e Britney Spears, o denim passeou pelas décadas inovando, espelhando gerações ou simplesmente transformando o ato de se vestir em algo democrático e confortável.

Abaixo, passeie com o FFW pelos momentos que ajudam a contar a história do jeans na cultura pop.

+ Veja todas as matérias do “Especial Jeans FFW”

jeans marlon brando the wild one 1953
Marlon Brando no filme ''The Wild One'' (1953)

Pode-se dizer que Brando criou o status de rebelde do jeans no início dos anos 1950, tornando-se uma voz da cultura jovem da época. Além do estilo, sua beleza ajudava a propagar a imagem do jeans como nova vestimenta para os jovens. Até hoje, Brando é considerado um ícone do cinema e de estilo

Vitrines fantásticas assinadas por Alber Elbaz para a Lanvin viram tema de livro

25/08/2014

por | Cultura Pop

Vitrines fantásticas assinadas por Alber Elbaz para a Lanvin viram tema de livro ©Divulgação

A Lanvin se prepara para ganhar uma retrospectiva contada sob um novo ponto de vista: suas vitrines. “Lanvin I Love You”, livro publicado pela Rizzoli New York, traz 200 fotografias de vitrines da loja da Rue du Faubourg-Saint Honoré, em Paris, e de instalações feitas para diversos eventos pelo mundo, tudo assinado pelo diretor criativo da grife, Alber Elbaz. A publicação com 260 páginas chega às lojas em outubro, mas já está disponível para pré-venda no site da Amazon.

+ Desejo: bolsas e acessórios do Pre-Fall 2014 da Lanvin desembarcam no Brasil

“Quando crio vitrines, não começo com um vestido vermelho ou um casaco branco, eu começo com o sonho de uma história e com um croqui”, escreve Elbaz no prefácio, segundo o “WWD”. “Vitrines são o meio mais direto de se comunicar com as pessoas.”

O diretor criativo já usou os mais diversos adereços na criação dos seus atraentes cenários, desde obras de arte até um conjunto completo de instrumentos musicais feitos de latas amassadas.

Ao “WWD”, Elbaz contou ainda que vasculhou dezenas de imagens feitas por profissionais, funcionários e amigos em celulares ou câmeras Polaroid, e que arranjou tudo por instinto para compor o livro. O estilista rabisca notas sobre algumas dessas imagens, descrevendo os personagens que aparecem nas vitrines.

+ Veja, na galeria abaixo, algumas fotografias que compõem o livro “Lanvin I Love You”:

livro-lanvin-i-love-you-alber-elbaz-vitrines (6)
©Divulgação
Capa do livro "Lanvin I Love You"

Música e moda: os melhores videoclipes com a participação de supermodelos

19/08/2014

por | Cultura Pop

Lily McMenamy e Lara Stone no vídeo de “Weight of Love”, do The Black Keys ©Reprodução

O recém-lançado vídeo de “Weight of Love”, do The Black Keys, é a mais nova demonstração pública do amor entre música e moda. Nele, a top holandesa Lara Stone é a líder de uma seita de mulheres que inclui Lily McMenamy, do ranking The Hot List do Models.com, e Camille Rowe, do ranking Top Sexiest do mesmo site. Este, no entanto, está longe de ser o único exemplo de videoclipes estrelados por supermodelos; do The White Stripes com Karen Elson a Michael Jackson com Iman (além de uma lista só da Kate Moss – veja aqui), confira a nossa seleção:

“Weight of Love”, The Black Keys, com Lara Stone, Lily McMenamy e Camille Rowe:

“Baby Did a Bad, Bad Thing”, Chris Isaak, com Laetitia Casta:

“Blue Orchid”, The White Stripes, com Karen Elson:

“Daughters”, John Mayer, com Gemma Ward:

“Dive”, Usher, com Chanel Iman:

“Freedom! ‘90”, George Michael, com Naomi Campbell, Linda Evangelista, Christy Turlington, Tatjana Patitz, Cindy Crawford, John Pearson, Mario Sorrenti e Peter Formby:

“Girl Panic”, Duran Duran, com Naomi Campbell, Cindy Crawford, Eva Herzigova, Helena Christensen e Yasmin Le Bon:

“I Get Along”, Pet Shop Boys, com Natalia Vodianova:

“In The Closet”, Michael Jackson, com Naomi Campbell:

“Kowalski”, Primal Scream, com Devon Aoki e Kate Moss:

“November Rain”, Guns N’ Roses, com Stephanie Seymour:

“Please Come Home for Christmas”, Jon Bon Jovi, com Cindy Crawford:

“Remember the Time”, Michael Jackson, com Iman:

“Rich Girls”, The Virgins, com Behati Prinsloo:

“Sacrilege”, Yeah Yeah Yeahs, com Lily Cole:

“Te Amo”, Rihanna, com Laetitia Casta:

“The Stars (Are Out Tonight)”, David Bowie, com Andrej Pejic e Saskia De Brauw:

“Too Funky”, George Michael, com Linda Evangelista, Nadja Auermann, Emma Sjöberg, Estelle Hallyday, Shana Zadrick e Tyra Banks:

“Uptown Girl”, Billy Joel, com Christie Brinkley:

“Wicked Game”, Chris Isaak, com Helena Christensen:

“Yoncé”, Beyoncé, com Jourdan Dunn, Joan Smalls e Chanel Iman:

Tags:

Marca Dercanvas lança documentário que investiga universo dos zines; assista

13/08/2014

por | Cultura Pop

A marca Dercanvas São Paulo, criada pelos estilistas Stef Bacon e Futoshi Nakayama, lançou no sábado (09.08) o minidocumentário “Zine.doc”. Produzido em parceria com o estúdio Liga, o filme investiga a cena de publicações independentes no Brasil. O lançamento aconteceu na Balsa, em São Paulo.

+ Marca cool Dercanvas agora pode ser encontrada no FFWSHOP

Dirigido por Alice Neves, “Zine.doc” dá voz aos responsáveis pelas editoras Kaput Livros, Meli Melo Risograph, Drüm, Editora Contra e Pingado-Prés. Em comum, todas surgiram da necessidade de jovens profissionais de diversas áreas exporem seus trabalhos de forma livre, deixando o universo virtual de lado e explorando a carência do público pelo contato direto com o papel. Segundo eles, o zine é capaz de retomar a sensibilidade de tocar e folhear uma publicação, além de fomentar o trabalho independente de artistas, escritores e designers, entre outros.

+ Assista ao minidocumentário “Zine.doc”:

O minidocumentário faz parte do projeto “Dercanvas Community”, que reúne filmes sobre pessoas e coletivos que buscam movimentar e modificar a cidade de São Paulo. Outros dois episódios estão no site da marca.

Tags:

Últimos dias: mostra “Cores do Brasil” tem moda e fotografia sob direção de Basso & Brooke

31/07/2014

por | Cultura Pop

Imagem que faz parte da exposição “Cores do Brasil”, na Oca ©Divulgação

Bruno Basso e Christopher Brooke, da grife britânica Basso & Brooke, assinam a direção da mostra “Cores do Brasil”, que fica na Oca, no parque do Ibirapuera, em São Paulo, até sábado (02.08). A exposição, que une arte, responsabilidade social, moda e fotografia, é composta por registros fotográficos feitos por 64 jovens em situação de risco social das cidades de Belém, Fortaleza, Rio de Janeiro e São Paulo.

“O Bruno [que é brasileiro] entrou em contato comigo em 2012, pois queria realizar um projeto que envolvesse responsabilidade social. Em uma conversa com a Kalina [Bourgeois], ela me falou do desejo de fazer um projeto sobre estamparia. Foi aí que eu disse: ‘Nossa estou conversando com a Basso & Brooke, pioneira em estampa digital no mundo’”, contou Didi Rezende, curadora do projeto ao lado de Kalina, sobre a parceria que deu origem ao “Cores do Brasil”.

+ Veja quem passou pelo jantar em torno de Basso & Brooke em São Paulo

Todas as imagens que integram a exposição foram produzidas durante oficinas orientadas pelo fotógrafo Tuca Vieira. Elas retratam a busca dos participantes por uma identidade nacional que não estivesse limitada a propagandas e clichês. O trabalho resultou em um banco com mais de 12.600 fotografias, a partir das quais Basso e Brooke criaram estampas digitais, que podem ser aplicadas nas mais diferentes superfícies, como madeira, tecido, couro e azulejo. A marca de lenços Scarf Me, por exemplo, já fechou parceria com o projeto para lançar uma coleção de peças de cetim de seda com as padronagens exclusivas.

O formato da exposição, por sua vez, é inovador: ele é composto por um grande livro de 5 metros de altura por 10 metros de comprimento e recheado por sete capítulos, que revelam a pluralidade das fotografias realizadas pelos jovens – desde a imagem original até a manipulação no desenvolvimento do processo digital. A dupla de estilistas também desenvolveu nove looks especialmente para o projeto, sendo cinco femininos e quatro masculinos. Para completar, Basso e Brooke trazem ainda para a Oca nove chapéus elaborados pelo aclamado designer Stephen Jones para compor o styling dos looks.

Exposição “Cores do Brasil” @ São Paulo
De 3 de julho a 2 de agosto
Oca, Parque do Ibirapuera (acesso pela Av. Pedro Álvares Cabral – Portão 3)
Terça a domingo, das 10h às 18h, e quinta, das 11h às 22h
Entrada franca

+ Veja algumas das imagens que fazem parte da mostra “Cores do Brasil”:

exposicao cores do brasil 3
Divulgação

Agenda de shows gratuitos by Converse vai até domingo no Cine Joia; veja a programação

31/07/2014

por | Cultura Pop

O duo Chromeo é uma das atrações da programação do Converse Rubber Tracks Live Brasil ©Reprodução

Moda e música têm um novo encontro marcado no dia 30 de julho, quando começa o Converse Rubber Tracks Live Brasil, série de shows gratuitos que acontece durante cinco dias no Cine Joia, em São Paulo. Misturando nomes conhecidos e emergentes, nacionais e internacionais, o line-up conta com 20 projetos tais quais Chromeo, Brand New, Busta Rhymes, Dinosaur Jr e The Clutch e vai até 3 de agosto (veja a programação completa abaixo).

O festival é uma sequência do Converse Rubber Tracks Brasil Pop-Up Studios, edição nacional do projeto global da marca de tênis, que foi lançado em 2011 em Nova York com o objetivo de apoiar e incentivar novas bandas. Para complementar a iniciativa, a Converse lança ainda um vídeo exclusivo, que destaca a efervescente cena musical de São Paulo.

Um dos destaques é a apresentação do Chromeo, o duo de Nova York e Montreal formado por P-Thugg e Dave 1, que fazem um som dançante e electrofunk, com referências dos anos 1980 e perfeito para esquentar qualquer pista.

Aperte o play!

Converse Rubber Tracks Live Brasil @ São Paulo
De 30 de julho a 3 de agosto
Cine Joia – Praça Carlos Gomes, 82
Sempre às 21h
Os ingressos são gratuitos. Para adquiri-los, é preciso se cadastrar no site a partir de 23 de julho. As inscrições pelo site estão fechadas, mas a Converse está distribuindo pares de ingresso pelo Twitter – siga aqui.

Programação:
Quarta-feira (30.07): Chromeo, Classixx, Schoolbell, Godasadog
Quinta-feira (31.07): Brand New, Minus The Bear, Vespas Mandarinas, Coyotes
Sexta-feira (01.08): Busta Rhymes, Chet Faker, Don L, Nego E
Sábado (02.08): Dinosaur Jr., F*cked Up, Single Parents, Churrasco Elétrico
Domingo (03.08): Clutch, The Sword, DLC, magüeRbeS

Snoopy ganha guarda-roupa de grifes para comemorar os 65 anos de “Peanuts”

30/07/2014

por | Cultura Pop

Snoopy e sua irmã Belle em look da Opening Ceremony ©Reprodução

Para comemorar os 65 anos da tirinha “Peanuts”, o Snoopy vai ganhar um guarda-roupa novinho cheio de roupas de grifes. Aliás, não é só ele que vai renovar o visual. Belle, a irmã do cãozinho beagle, também vai ganhar modelitos novos.

Será reeditado neste ano o projeto “Snoopy and Belle in Fashion” (“Snoopy e Belle na Moda”), originalmente lançado em 1984 — então, além dos 65 anos da HQ, também serão comemorados os 30 anos da ação. Na primeira versão, a dupla foi vestida com as tendências da época por nomes como Giorgio Armani, Gucci, Gianni Versace, Thierry Mugler, Jean Paul Gaultier e Karl Lagerfeld. A coleção de bonecos do Snoopy e de Belle foi exibida no museu do Louvre, em Paris, no Museu de História Natural de Los Angeles e pela Europa e Ásia.

Desta vez, entre os designers e grifes que assinarão os figurinos estão Dries Van Noten, Calvin Klein Collection, Isabel Marant, Rodarte, Betsey Johnson e Diane von Furstenberg — estas duas últimas também participantes da primeira edição do projeto. Diane von Furstenberg contou ao “WWD” que criou pijamas para o Snoopy e um wrap dress para Belle, ambos com a estampa de elos, símbolo da marca.

A exposição itinerante dos bonecos vestindo as roupas das grifes será lançada no dia 8 de setembro no New Museum durante a semana de moda de Nova York. Depois disso, a mostra será apresentada no Palais de Tokyo, em Paris, Moscou e Milão.

Snoopy é um dos personagens de “Peanuts”, tirinha criada por Charles Schulz, que morreu em 2000. Originalmente, o cachorrinho beagle usava apenas uma coleira preta.

A exposição é uma das ações de marketing que têm por objetivo apresentar “Peanuts” para uma nova geração. Em 2015, o primeiro longa-metragem sobre Charlie Brown e sua turma chega aos cinemas. O Iconix Brand Group detém 80% da Peanuts Worldwide, sendo os 20% restantes da família Schulz. “Os próximos 12 meses são críticos para a marca, com o filme que sai com a 20th Century Fox”, disse Neil Cole, CEO da Iconix. “Uma de nossas grandes metas é incrementar a parte fashion do negócio.”

Existe um grande negócio de vestuário envolvendo a marca “Peanuts”, que movimenta entre US$ 300 milhões e US$ 400 milhões (entre R$ 674 milhões e R$ 899 milhões) anuais, e que a Iconix pretende elevar para US$ 500 milhões (R$ 1,1 bilhão) em 2015. Essa não é a única ação de moda do “Peanuts”. Recentemente foi feita uma colaboração com a Colette, em Paris, e a marca italiana Fay lançará no Outono do hemisfério Norte uma coleção centrada no passarinho Woodstock.

+ Veja croquis e imagens da coleção que será lançada neste ano e fotografias dos bonecos criados na primeira edição do projeto, em 1984:

Snoopy in fashion Peanuts Dsquared
Reprodução
Snoopy e Belle em croqui da Dsquared2

Direto da “FFWMAG” #37: as jaquetas pintadas à mão do artista Ornamental Conifer

30/07/2014

por | Cultura Pop

O artista Nicolai Sclater, que também assina como Ornamental Conifer ©Divulgação

Uma das matérias da edição #37 da “FFWMAG” mostra o trabalho do artista britânico Nicolai Sclater, conhecido também como Ornamental Conifer. No lugar de telas, ele usa jaquetas, shapes de skate, capacetes, motos e até carros como plataforma para sua arte. Suas frases são pintadas de forma simples e trazem mensagens provocadoras, irônicas, bem humoradas ou até nonsense. Mas são as jaquetas de couro e denim que se destacam, não só porque são muito fáceis de usar, mas porque são peças icônicas da cultura jeanswear, que traduzem o espírito da “juventude transviada” desde os anos 1950. E é desse espírito jovem e livre que tratamos “FFWMAG” atual.

+ Saiba tudo sobre a nova “FFWMAG” e veja onde comprar a edição #37

Entre os fãs de Ornamental Conifer, está Alex Turner, vocalista do Arctic Monkeys, que usou sua jaqueta com a frase “one for the road”, nome de um single da banda, em diversas ocasiões. O trabalho do artista é baseado em uma série de tipografias, fontes e desenhos que têm uma estética familiar e nova ao mesmo tempo. Veja abaixo o vídeo sobre seu processo criativo:

Se na revista nós publicamos uma carta que Nicolai mandou especialmente para a gente, aqui você tem uma galeria com diversos trabalhos do artista para desejar, inspirar e se divertir:

ornamental conifer alex turner
Alex Turner, vocalista do Arctic Monkeys, com sua jaqueta by Ornamental Conifer

Após cinco anos, megaevento de moda e música “Fashion Rocks” retorna durante a NYFW

28/07/2014

por | Cultura Pop

Jennifer Lopez é uma das atrações do retorno do “Fashion Rocks” ©Getty Images

Depois de um hiato de cinco anos, o “Fashion Rocks” está de volta – desta vez com a presença de artistas como Afrojack, Duran Duran, Jennifer Lopez, KISS, Miranda Lambert, Nico & Vinz, Pitbull, Rita Ora, The Band Perry e Usher. O especial de duas horas que celebra moda e música está marcado para acontecer no próximo dia 9 de setembro, durante a semana de moda de Nova York. Ele será transmitido ao vivo para os Estados Unidos pela rede CBS direto do Barclays Center, no Brooklyn, em Nova York.

+ Moda e música: Converse faz shows gratuitos com artistas locais e internacionais

“’Fashion Rocks’ é o único acontecimento que celebra a conexão umbilical entre moda e música, uma relação que é mais relevante hoje do que nunca”, disse o produtor executivo, Richard Beckman, ao site da “Billboard”. “Pela primeira vez transmitiremos o evento ao vivo durante a semana de moda de Nova York, do Barclays Center. Será espetacular, com alguns dos músicos mais talentosos do mundo e a moda mais quente do momento.”

O host da grande produção será Ryan Seacrest, figura bastante conhecida do público norte-americano pelo trabalho como apresentador do programa “American Idol”. Outras performances devem ser anunciadas em breve e os ingressos começam a ser vendidos no próximo dia 1° de agosto via Ticketmaster.

O primeiro “Fashion Rocks” aconteceu em outubro de 2003, em Londres, com a participação de 17 designers e marcas, como Donatella Versace e Alexander McQueen. A última edição, de 2009, foi realizada no Rio de Janeiro, e contou com Riccardo Tisci, Lenny Niemeyer, Calvin Klein, Lino Villaventura, André Lima, Marc Jacobs, Alexandre Herchcovitch e Donatella Versace.

Vale ressaltar que a iniciativa sempre teve uma veia benemerente, arrecadando fundos para instituições internacionais, como a Elton John AIDS Foundation e o fundo de apoio aos atingidos pelo furacão Katrina. No entanto, ainda não foi confirmado se o evento deste ano irá beneficiar alguma entidade.

Uniforme mais icônico da história do futebol foi criado em 1953 por designer de 19 anos

08/07/2014

por | Cultura Pop

A primeira camiseta verde e amarela, criada por Aldyr Garcia Schlee em 1953 ©Reprodução

Um dos símbolos mais fortes do futebol brasileiro é, claro, sua camisa amarela de jersey, usada pelos jogadores e torcedores. Ao longo das décadas o uniforme brasileiro tem passado por modificações, mas a camiseta “canarinho” jamais saiu de cena.

O livro “Futebol – O Brasil em Campo”, do jornalista britânico Alex Bello, dedicado à cultura dessa paixão nacional, traz um capítulo especial focado no criador do uniforme mais célebre da história do futebol.

Em 1950 o Brasil jogava com camiseta branca e colarinho azul quando perdeu a inesquecível final para o Uruguai no Maracanã. Segundo o site da “The New Yorker”, o jogador Ghiggia, que marcou o gol da vitória, disse mais tarde: “Apenas três pessoas conseguiram silenciar o Maracanã: Frank Sinatra, o Papa João Paulo II e eu.” Imediatamente se fez a necessidade de um novo uniforme. Aquele não parecia patriótico o suficiente.

Entra em cena um jovem ilustrador de 19 anos, Aldyr Garcia Schlee. Com o apoio da Confederação Brasileira de Desportos, o jornal carioca “Correio da Manhã” promoveu um concurso para a criação de um novo uniforme para o Brasil, usando as quatro cores da bandeira. Aldyr venceu os mais de 200 concorrentes com a camisa amarela com colarinho e punhos verdes, shorts azuis com faixa branca e meias brancas. O Brasil estreou o novo uniforme no Maracanã, no dia 14 de março de 1954, em uma vitória de 1 x 0 sobre o Chile. Em 1958, em uma partida contra a anfitriã Suécia, teve que improvisar um segundo uniforme pois os suecos também usavam amarelo. Compraram às pressas uma camiseta azul e bordaram o emblema.

Ele deixou Pelotas (RS) e mudou-se para o Rio; parte do prêmio era um estágio no jornal. Também recebeu o equivalente a R$ 20 mil e ainda a convivência perto de grandes figuras da época, como Nelson Rodrigues, Millor Fernandes e Samuel Wainer. Porém, segundo conta o livro, Aldyr se decepcionou com os jogadores, envoltos em bebedeiras e mulherada. “Os jogadores eram um bando de canalhas”, ele conta.

A seleção venceu com o novo uniforme em 1962 e desde então é um símbolo brasileiro. Mas eram outros tempos. Mal sabia o designer que em 1996, a Nike supostamente pagou US$ 200 milhões pelos direitos sobre a camisa de jersey, até então o maior patrocínio dado a um time na época, segundo a “The New Yorker”.

Aldyr voltou para Pelotas, mas foi preso durante a ditadura em 1964. Perdeu seu emprego como professor e sua tese de doutorado foi apreendida pelos militares, atrasando sua finalização em 12 anos. Nada disso impediu que, na volta, ele fizesse uma carreira bem sucedida como autor, professor de universidade e jornalista, vencedor do Prêmio Esso de Jornalismo. A criação do nosso uniforme passa por duas histórias de sucesso.

+ As chuteiras que os jogadores estão usando na Copa do Mundo 2014

+ Os jogadores mais estilosos que arrasam também fora de campo

+ Top 10: os uniformes mais bonitos deste mundial

camisetas-selecao-aldyr-garcia-schlee-2
Foto atual do designer Aldyr Garcia Schlee (Reprodução)

Com looks de Diesel e Versace, figurino de Beyoncé dá o que falar na turnê On the Run

26/06/2014

por | Cultura Pop

Beyoncé com o look da Diesel, parte de seu figurino da turnê On the Run ©Reprodução

Quando ouvimos o anúncio de que Beyoncé e Jay Z fariam uma turnê juntos, já poderíamos imaginar que seria um evento magablaster. A On The Run Tour abriu na noite dessa quarta (25.06), em Miami, e já é o show mais comentado e supostamente imperdível neste verão no hemisfério Norte. A turnê encerra dia 13 de setembro, em Paris.

Mas, claro, como se trata de Beyoncé, um dos pontos altos é o figurino. Já havia sido divulgado anteriormente que ela usaria Versace, Diesel, Tom Ford e Givenchy. Para cantar as 42 faixas da noite, incluindo seu primeiro hit “Crazy in Love”, a cantora fez diversas trocas de roupas.

Queen Bey abre o show com um body de couro preto da marca Versace, o primeiro dos dois looks feitos especialmente feito para ela. A peça é superdecotada e tem efeito arrastão nos braços, que depois ganhou o complemento de uma máscara no mesmo tecido resultando em uma imagem hiperfetichista e sexy, bem ao estilo que Beyoncé gosta.

Os dois looks criados pela Versace especialmente para a turnê On The Run ©Reprodução

O outro modelo da Versace é um body de mangas longas com uma estampa colorida totalmente “versaciana”, vista na coleção de Pre-Fall 14, mais um turbante com uma medusa dourada na frente.

A Diesel, sob direção de Nicola Formichetti, também não ficou de fora. Bey estava linda com um body com a parte de baixo desfiada customizado especialmente para ela com zíperes, correntes de prata e tachinhas.

Entre os outros números, Beyonce também vestiu um body de corpo inteiro metalizado com franjas na lateral e um look branco mais comportado com top de renda. Seus longos cabelos completavam o impactante efeito visual, ora sob o vento, ora nos movimentos de dança.

Mas o que mais chamou a atenção, por razões óbvias, foi o ousado collant de couro fio dental que parte da imprensa já está chamando de “butt cage” (em tradução livre, uma gaiola para o bumbum). A peça é polêmica e divide opiniões: enquanto uns acreditam que ela foi corajosa e poderosa ao exibir o corpo nesse nível, outros acham que foi de mal gosto e sexualizado de maneira desnecessária, já que ela consegue se mostrar sexy com muito menos.

Mas é disso, entre outras coisas, que a luz de uma pop star se mantém acesa. Imagens sexy, ousadas e provocantes que mexem com homens e mulheres. E nesse quesito que equilibra carisma e sex appeal, Beyoncé tem ocupado o primeiro lugar. Who run the world?

figurino-beyonce-8
O fetichista e polêmico fio dental