Stephanie Noelle - Google +

Mamma Mia! Itália dos anos 50 ganha exposição recheada de musas ícones

1959, Roma, Anita Ekberg ©Reprodução

Os anos 50 foram época de efervescência no cinema Italiano, e Roma era o lugar para se estar. Federico Fellini fazia “Noites de Cabíria” e finalizava “A Doce Vida”, Vittorio de Sica filmava “Duas Mulheres” com Sophia Loren – que depois ganharia o Oscar de Melhor Atriz por este filme – e todos os grandes cineastas e artistas do cinema aproveitavam o clima mediterrâneo do país, que foi palco de filmagem de diversos filmes de Hollywood na mesma época, como “A Princesa e o Plebeu”, de William Wyler, com Audrey Hepburn.

1956, Roma, Brigitte Bardot ©Reprodução

E a atmosfera disso tudo pode ser conferida agora em uma exposição em Nova York, chamada “La Dolce Vita. 1950-1960. Stars and celebrities in the Italian Fifties”, que conta com 84 imagens das estrelas, cuja maioria não foi publicada até hoje, sendo inédita para a audiência americana. Personalidades como Brigitte Bardot, de ”E Deus Criou a Mulher”, Clark Gable, de “E o vento levou…”, e Anita Ekberg, de “A Doce Vida”, estão presentes na mostra. A exposição não traz apenas pessoas, mas desvenda a atmosfera italiana de uma de suas décadas mais interessantes – e por que não, divertida?

1957, Roma, Kim Novak ©Reprodução

A mostra, que já passou uma temporada em Roma em 2010, tem curadoria de Marco Panella, é promovida pelo Ministério do Turismo, Cinema e Artes da Itália, e pode ser vista no “Eataly New York”, uma das lojas “made in Italy” mais apreciadas da Quinta Avenida de Nova York.

Conheça a “Herself”, revista de moda feita sem modelos, fotógrafos e roupas!

20/10/2011

por | Moda

Primeira edição da “Herself Magazine” ©Reprodução

Pense no que é imprescindível para fazer uma revista de moda: roupas, modelos, fotógrafos, locação, editores, stylists. Certo? Não mais. Foi lançada essa semana uma revista de moda bianual que dispensa todos esses elementos. É a “Herself Magazine”, inteirinha feita com… ilustrações!

Publicação inglesa criada por Lula, Thorbjørn Ankerstjerne e Fabio Sebastianelli (ambos do Annual Studio), tem como ideia trazer ilustrações de mulheres inspiradoras do decorrer da história, e todas usando os modelitos mais recentes apresentados nas últimas temporadas de moda.

Os retratos de duas das mulheres homenageadas pela edição ©Reprodução

Na capa, Kate Moss usando um casaco preto de pele da Prada. Dentro da revista, Frida Kahlo, Maria Antonieta, Elizabeth I e até a deusa grega Atenas, todas usando peças de desfiles recentes, como vestidos da Lanvin, peles Valentino e jaquetas Céline. Qual outra publicação conseguiria fazer uma seleção tão interessante quanto essa?

Para a criadora da revista, o foco está nas mulheres e na criatividade por trás de suas roupas. “É sobre a criação de um ponto de vista da moda que celebra a beleza e a emoção disso. Nós não precisamos escolher peças vestíveis, e nós não precisamos celebrar o valor comercial. Nós temos o luxo de celebrar a criatividade da moda”, contou a criadora, que quer ser identificada apenas como ‘Lula’ pois “nasceu e criou-se na web”. A criadora já foi designer de moda feminina e criou um blog, chamado “The Subject I Know Best”, também cheio de ilustrações. Foi daí que a ideia da revista surgiu.

Já pensou em ver a deusa grega Atena vestindo Céline? ©Reprodução

Outro ponto a favor das ilustrações, segundo Lula, é que permite que a revista “abrace a velocidade do mundo da moda”. A criadora continua: “Eu sou muito fascinada pela velocidade. Coleções estão se tornando mais rápidas, e as imagens estão imediatamente disponíveis. [A maioria das publicações impressas] leva eras para uma celebridade concordar, para roupas concordarem, para as roupas chegarem. Com ilustração, você pode expressar sua imaginação ao máximo”.

Para o lançamento, escolheram fazer uma edição de retratos, com todo tipo de grandes personalidades femininas. Além das já citadas acima, há ainda Diana Vreeland, Madonna, Donatella Versace e até a Vênus de Botticelli, todas idealizadas como mulheres modernas. Há também entrevistas, como uma inventada – isso mesmo – com a cantora de ópera Maria Callas (uma das musas de Diana Vreeland, inclusive), e outra com a editora Anna Dello Russo, da “Vogue” Japão.

Cinderela sem o vestido feito pela fada madrinha ©Reprodução

Ao ser lançada, a reação foi esmagadora – o estoque da Selfridges se esgotou, por exemplo – e personalidades da moda já se declararam fãs, como Stefano Gabbana. Para a próxima edição, que será lançada em março de 2012, Lula já adianta: “Nós continuaremos a celebrar o melhor da temporada, e por causa de estarmos tão inspirados por tantas mulheres maravilhosas, nós gostaríamos de lhes dar uma segunda vida”.

Como “Herself” está além de amarras publicitárias, egos gigantescos e acordos comerciais, não há duvidas de que há espaço mais do que suficiente para ser criativo, e apenas isso.

A revista custa £10 e os pontos de venda estão descritos neste link.

©Reprodução

A nova da Miu Miu: marca troca uma de 14 por outra de 34

20/10/2011

por | Moda

©Reprodução

Há um tempo o FFW levantou a questão de que o mundo da moda estava se curvando aos adolescentes, com uma participação cada vez maior deles em campanhas publicitárias e revistas de moda, lembram?

Uma das garotas expoentes desse ‘movimento’ é Hailee Steinfeld, que com apenas 14 anos, foi alçada a categoria de rosto da Miu Miu, frequentou semanas de moda, vestiu designers renomados em diversos tapetes vermelho e o combo todo. Acontece que essa inserção precoce parece ter prazo de validade tão longo quanto a experiência de vida dessas garotas, se depender da marca irmã mais nova da Prada.

A nova da Miu Miu ©Reprodução

Indício disso é que para sua mais nova campanha de Resort 2012, fotografada por David Sims e com styling de Joe McKenna, a Miu Miu não chamou Hailee. Ao contrário, o novo rosto da marca é Guinevere Van Seenus, de 34 anos, duas décadas a mais de vida do que a atriz. A Louis Vuitton, no entanto, trocou este ano o casting de mulheres mais maduras (ou nem tanto), que contava com Kristen McMenamy, 46, Raquel Zimmermann, 28, e Freja Beha Erichsen, 23, por modelos entre 16 e 21 anos.

Será que a maré está para Miu Miu ou Louis Vuitton? Comente abaixo!

Luz, câmera, ação! Os 10 filmes de moda mais legais da temporada

14/10/2011

por | Moda

Carol Trentini em foto clássica com o cinegrafista do documentário “The September Issue” ©Reprodução

Por mais surpreendente que isso pareça, dada a sua natureza extremamente visual, a paixão da moda por filmes não é tão antiga. Até pouco tempo atrás, as marcas e a imprensa preferiam focar em outras estratégias, como ensaios e campanhas estáticas, e vez ou outra surgia um vídeo para dar uma animada na temporada. No entanto, tudo isso mudou drasticamente com o advento da tecnologia, e hoje praticamente toda grande marca lança simultaneamente a sua campanha impressa, uma campanha em vídeo, e os veículos de comunicação não se atém mais apenas às fotos.

E ao contrário dos anúncios caríssimos veiculados em revistas do mundo todo, um vídeo colocado no YouTube ou Vimeo rapidamente se espalha pela rede, sendo replicado em sites, blogs e redes sociais sem nenhum custo adicional para a marca além da produção do vídeo. Parece um negócio bom, não? E é.

Nessa temporada, além da quantidade absurda de material que é lançada quase todos os dias, a qualidade também impressiona, com uma safra dos melhores vídeos de moda dos últimos tempos. E o FFW selecionou os mais marcantes, dentre internacionais e brasileiros, e mostra tudo pra vocês.

+ Confira abaixo os 10 (e mais 1!) preferidos do Fashion Forward, em ordem alfabética!

ALEXA CHUNG PARA MADEWELL

DELÍRIO TROPICAL PARA FFW

HUIS CLOS VERÃO 2012

MARKUS LUPFER RESORT

MISE EN DIOR (a versão de make não é menos legal, e a gente já falou dela aqui)

MULBERRY FALL 2011

RAQUEL ZIMMERMANN PARA “ELLE

THE MIU MIU WOMEN’S TALES: “MUTA”

TRITON VERÃO 2012

WE LOVE NEON

+ LANVIN FALL 2011 (que já é hors concours de tão divertido)

Para ver os videos mais legais da temporada passada, clique aqui.

Para suspirar: Chanel libera fotos de detalhes da sua coleção de fundo do mar

14/10/2011

por | Moda

©Benoît Peverelli

Diz o ditado que “o diabo está nos detalhes”. Estão também nos detalhes, no que cabe a moda, os trabalhos mais bem executados (e belos, em grande parte das vezes), cheios de técnicas e preciosismos, mas que muitas vezes passam despercebidos.

E a Chanel, marca que levou para a passarela de Verão 2012 uma coleção inspirada no fundo do mar, quis trazer para mais perto dos clientes – e admiradores – os diversos detalhes que permeavam a coleção, liberando em seu site fotos inéditas dos bastidores do desfile. Como não poderia deixar de ser, há pérolas aos montes. Mesmo!

©Benoît Peverelli

Veja aqui o desfile completo da marca e aqui a cobertura completa da semana de moda de Paris.

+ Confira abaixo as fotos dos bastidores e do fitting da Chanel:


©Benoît Peverelli

Burberry lidera ranking de marcas mais competentes da internet

13/10/2011

por | Moda

burberry_abreChristopher Bailey e suas modelos, no mais recente desfile da Burberry, de Verão 2012 ©Reprodução

Em pleno 2011, com a internet fazendo parte da vida das pessoas praticamente do momento que acordam até a hora em que se deitam (e às vezes durante o próprio sono), ainda é um desafio para as marcas de moda encontrarem maneiras de juntar as duas áreas. Porém, há algumas grifes que estão fazendo o dever de casa muito bem, como mostra um relatório do laboratório de luxo da Universidade de Nova York, o Luxury Lab, conhecido como L2.

De acordo com o laboratório, a Burberry, como não poderia deixar de ser, encabeça a lista das marcas mais competentes digitalmente, aclamada com o título de “gênia”, seguida por Kate Spade, Coach, Gucci e Dolce & Gabbana. O ranking leva em consideração o website, marketing digital, mídias sociais e presença mobile.

Para Scott Galloway, fundador do Luxury Lab, as marcas estão em uma “corrida armamentista” por inovação nas plataformas de mídias sociais. “No entanto, a maioria das abordagens digitais das marcas é de projetos menores ao invés de uma estratégia coerente multiplataformas. Embora 94% das marcas do Index possuam uma página no Facebook, uma em cada cinco ainda não tem capacidade de e-commerce”, explicou Galloway.

kate-spadeCampanha da Kate Spade©Reprodução

A marca Kate Spade entrou na lista com elogios a sua mistura de táticas no e-commerce e presença nas redes sociais (a marca possui twitter, facebook, tumblr e canal no youtube) e mobile cada vez mais fortes. Outras marcas que incorporam o Top 10 de “competência online” são Tory Burch, devido a sua loja online bastante impressionante, Ralph Lauren e seu aplicativo para iPad, Hugo Boss devido ao seu novíssimo canal no YouTube, Louis Vuitton também por causa de aplicativos, e Michael Kors graças ao seu recém-lançado site “Destination Kors”.

No Brasil pode-se dizer que estamos seguindo os mesmos passos, embora nenhuma marca  tenha figurado no ranking. Há algumas grifes com forte presença online e excelentes e-commerces, como a carioca Farm, que mantém um blog bastante ativo, forte presença nas redes sociais e uma loja online de sucesso (como já contamos nessa matéria). É também o caso da Maria Bonita Extra, que está com um site bem completo, informativo e com o e-commerce funcionando. Tem a Neon, que mantém a campanha  “We Like Neon”, bem interativa, em sua página do facebook, que visa aumentar os seguidores da marca com filmes colaborativos e divertidos, e a Huis Clos, que lançou recentemente um filme online concomitante ao lançamento de sua coleção de verão. Assim como acontece fora do Brasil, o e-commerce ainda está longe de ser uma grande força por aqui, já que as marcas estão ainda aprendendo a comunicação deixando para vender em lojas, próprias ou pontos de venda, e através de sites especializados de vendas online.

+ Veja as 10 marcas mais competentes na internet e seus perfis no facebook e twitter:

1. Burberry | @Burberry
2. Kate Spade | @katespadeny
3. Coach | @Coach
4. Gucci | @Gucci
5. Dolce & Gabbana | @dolcegabbana
5. Tory Burch | @toryburch
7. Ralph Lauren
8. Hugo Boss | @Hugoboss
9. Louis Vuitton | @Louisvuitton_HQ
10. Michael Kors | @MichaelKors


Nicola Formichetti leva Mugler e Zombie Boy para a dimensão virtual

11/10/2011

por | Moda

video_02Rick na versão digital ©Reprodução

Nicola Formichetti não para! Além de todos os seus projetos (para quem não lembra, ele é stylist da Lady Gaga, designer da Mugler e editor de moda), ele produziu um vídeo digital, com colaboração de uma companhia que desenvolve jogos multiplayers, a CCP, em que um avatar do modelo Rick Genest, mundialmente conhecido como Zombie Boy, desfila por uma passarela virtual usando roupas da Mugler. A ponte entre tecnologia e moda começa, aos poucos, a ser melhor estruturada.

Confira abaixo os highlights da entrevista que Formichetti concedeu à “Dazed Digital” sobre esse projeto e um vídeo de making of:

DD: Você pode explicar a tecnologia por trás desse projeto para nós novatos?
NF: Nós chamamos de ‘tecnologia sofisticada’. Através do uso de tecnologia gráfica de carbono do CCP, a passarela virtual se tornou uma experiência completamente interativa e em tempo real.

DD: Qual foi o maior desafio tecnológico ao fazer este filme?
NF: Nenhum, na verdade. Eu estava trabalhando com equipes de tecnologia na Islândia, China e Nova York. Como eu normalmente trabalho. Todo mundo era tão profissional, na verdade, nós usamos nossos próprios conhecimentos, não houve muitos desafios.

video_03©Reprodução

DD: Qual a diferença de desenhar para um avatar e para um modelo de verdade?
NF: Ao fazer design digital você têm mais opções para trabalhar, você pode mudar os desenhos no local ao invés de estar limitado por tecidos e estampas, moda digital te dá opções ilimitadas imediatamente.

DD: Qual a relação entre moda e tecnologia hoje?
NF: Os dois mundos estão só começando a se unir e enquanto nós continuarmos a ultrapassar os limites, como nesse projeto virtual, vamos continuar a explorar o que é possível e em que moda e tecnologia continuarão a se mesclar. É emocionante!

video_05©Reprodução

DD: E depois?
NF: Moda e tecnologia se tornarão uma coisa só, moda virtual se tornará parte principal da indústria da moda.

DD: O que vem por aí para você?
NF: Vou continuar a buscar moda digital e todas as formas de tecnologia que estão surgindo no mundo.

video_04©Reprodução

Quer uma pele perfeita? Conheça então a maquiagem High Definition

11/10/2011

por | Beleza

abreA pele que todas querem ©Reprodução/”Vogue” Japão

Hora de falar sobre maquiagem “high definition”! Criada primeiro para agrado das atrizes e atores que ficavam super expostos com a tecnologia de filmagem em HD, ela rapidamente se tornou queridinha também dos meros mortais.

Segundo o beauty artist Ricardo dos Anjos, o que difere a maquiagem HD de uma convencional é a textura, que “é mais fina, tem mais acabamento de pele, cara de pele, sabe?”. O grande trunfo desse tipo de maquiagem é que ela cumpre aquilo que todas querem: fazer o serviço de maneira imperceptível. “Se você usar da cor certa, não dá pra perceber que você está com ela, ao contrário de uma base normal, que mesmo usando na cor ideal, a gente percebe”, explicou Ricardo. É ou não é uma beleza um produto de maquiagem que tem ótima cobertura e não dá para ser notada?

Se você quiser escolher apenas um produto, o maquiador sugere a base. “É o que mais funciona do produto HD, tem esse acabamento siliconado, e dá a impressão do brilho natural da pele”, explica Ricardo. Se você tem dúvidas, o maquiador contou que tem usado bastante esse tipo de produto tanto em filme, fotos e até em shows.

Para aproveitar ao máximo, Ricardo sugere fazer a aplicação com pincel de fibra óptica, pois não “faz risquinho” na pele, aproveita mais o produto, e ainda lustra, conseguindo um brilho bem próximo ao de pele boa, viçosa. “Também não costumo misturar com outro produto. Faço a correção com a própria base, ilumino também com ela, em outros tons, e fica tudo bem natural”.

Em contrapartida, têm algumas coisas que devem ser evitadas; como conta Ricardo, “não é legal aplicar com esponja, porque dá uma esfareladinha. Misturar com algo muito seco, como pó por cima, também não funciona”.

Como é um produto mais sofisticado, tecnologicamente falando inclusive, tem um custo maior que os tradicionais. No entanto, se você costuma usar maquiagem todo o dia para cobrir imperfeições como manchas e espinhas, e faz a pele com base e corretivo sempre, o investimento acaba sendo bastante válido, como explicou Ricardo. E claro, para qualquer pessoa que gosta de maquiagem, sempre vale experimentar.

+ Confira abaixo algumas das opções de maquiagem HD disponíveis no Brasil:

BASES

hd_base

1: Revlon PhotoReady™ Makeup Nude, R$ 64,47

SAC 0800 7733450

2: Contém 1g MD Multi-Definition Base, preço sob consulta

SAC 3660 0378

3: Make B Base Líquida de Alta Definição, R$ 47,90

SAC 0800-413011

4: YSL Perfect Touché, R$ 266

SAC 0800 7017323

5: MAC Face and Body, R$ 147

SAC 0800 282 8998

PÓS

hd_po

1: Make B Pó Compacto de Alta Definição, R$ 59,90 (refil: R$ 42,90)

SAC 0800-413011

2: MAC Mineralize Skinfinish, R$ 125

SAC 0800 282 8998

3: Contém 1g Multi-Definition Pó, preço sob consulta

SAC 3660 0378

4: YSL Pó em creme Teint Singulier, R$ 212

SAC 0800 7017323

+ Para trazer de viagem:

hd_viagem1. Make Up For Ever HD Invisible Cover Foundation, US$ 40

2. Smashbox High Definition Healthy FX Foundation SPF 15, US$38

Carismático, Jean Paul Gaultier fala para plateia lotada no Rio

10/10/2011

por | Moda

jpg 3Farida Khelfa, Jean Paul Gaultier e Camila Yahn ©Renata Ambrósio

Nesta segunda, dia 10 de outubro, o Rio de Janeiro sediou uma palestra com um dos mais importantes criadores de moda: Jean Paul Gaultier veio para apresentar o documentário “Jean Paul Gaultier ou les codes bouleversés” no Festival do Rio, dirigido pela ex-modelo e musa Farida Khelfa, que acompanhou seu processo de criação durante um ano, e estava presente na palestra. A convite de Paulo Borges e Bethy Lagardère, com realização do FFW, o estilista bateu um papo ao vivo com Camila Yahn, editora do FFW, em que falou sobre seu trabalho, processos, figurinos para filme, os trabalhos com Madonna, entre outros assuntos. Uma baita chance de ficar cara a cara com alguém tão peculiar e interessante. A plateia estava lotada de estudantes e profissionais da moda, que ao final, cercaram Gaultier para fotos e autógrafos.

jpgFeliz, ao sair do evento, Gaultier é alvo de muitos flashes e pedidos para fotos ©Renata Ambrósio

plateiaPlateia lotada no Teatro Tom Jobim, no Jardim Botânico ©Renata Ambrósio

Ele é extremamente generoso e divertido e contou histórias saborosas, como por exemplo, de onde surgiram os sutiãs cones que fez para a turnê Blonde Ambition, de Madonna. O FFW publicará em breve mais sobre esse encontro. Enquanto isso, fique com um pouco de sua história:

Jean Paul Gaultier nasceu em 1952, na França, e nunca teve nenhum tipo de estudo formal sobre moda, desenhos, ou algo do tipo. No entanto, sempre gostou de desenhar, o que lhe rendeu uma história interessante sobre sua infância. Gaultier era o garoto desajustado na escola, ruim em todos os esportes e rejeitado pelos coleguinhas. Um dia, a professora o pegou desenhando na sala e lhe aplicou um castigo, batendo no menino com uma régua, e depois o fez andar pela sala com o desenho preso em suas costas, para que ele se envergonhasse. O efeito foi o inverso: o desenho do pequeno Gaultier era de uma mulher apenas de sutiãs e cinta-liga, inspirada nas mulheres do espetáculo “Folies Bergère”, que ele havia visto na casa de sua avó. Ao invés de ser ridicularizado – ou disciplinado, como esperava a professora –, ele se tornou objeto de admiração entre os meninos da escola. “Foi como um passaporte. Percebi que se desenhasse as pessoas iriam sorrir”, contou em entrevista à “New Yorker”.

jpg_dressVestidos Gaultier em editoriais de moda ©Reprodução

Sua inserção na moda também aconteceu graças aos seus desenhos, enviados por correio para Pierre Cardin, que ficou intrigado com o talento de um garoto de 18 anos totalmente desconhecido de Arcueil, Val-de-Marne (subúrbio no sul de Paris), e o contratou como seu assistente. Enquanto trabalhava com Cardin, o namorado de Gaultier, Francis Menuge, o encorajava a fazer sua própria linha de prèt-a-porter. Francis, que morreu em 1990 de Aids, é citado incontáveis vezes por Gaultier como o maior encorajador de seu trabalho: “Eu seria uma pessoa diferente hoje se nunca tivesse conhecido Francis”, declarou certa vez o estilista. “Foi Francis quem realmente me ‘pressionou’ para que eu começasse minha carreira, porque eu sou uma pessoa mais abstrata do que ambiciosa. Ele viu meu talento e sentiu minha paixão, e sempre me colocava pra cima quando eu ficava preguiçoso ou desmotivado. Ele jocosamente encorajou que eu construísse ‘meu império’”, contou ao “Telegraph”.

jpg_coutureDuas de suas coleções recentes de haute couture mais icônicas de Verão 2007 e Inverno 2009 ©Reprodução

Assim, ao lado de Francis, juntaram dinheiro, recrutaram amigos e familiares – a prima Évelyne tricotou os suéteres, o porteiro do prédio ajudou com as costuras, e o próprio Francis fez os acessórios e cuidou das burocracias – e em 1976 Jean Paul Gaultier apresentou sua primeira coleção, no planetário de Paris. Eram nove modelos, que usavam vestidos feitos com jogos americanos, lonas e estofos, e jaquetas biker combinadas com tutus. As roupas eram muito sexies e espirituosas, e faziam uso de motivos icônicos da moda como a estampa toile de Jouy, jaquetas de motoqueiro e figurinos de ballet de maneiras imprevisíveis, e com materiais humildes de maneira respeitosa e reverente. E é esse espírito que tem orientado seu trabalho desde então, transmitindo sua apreciação por coisas híbridas e surpreendentes, e o que ele mesmo explica, “a questão do que é belo e do que não é”. Outra frase que exemplifica admiravelmente seu trabalho é a recorrente “Por que não?”. Gaultier diz que explica muito de suas decisões assim. Por que alguém iria vestir um tutu com uma jaqueta de motoqueiro? “Bem, por que não?”.

jpg_adfragranceCampanhas de seus perfumes mais vendidos ©Reprodução

No começo dos anos 80 foi chamado de “enfant terrible” da moda, título que o acompanha trinta anos depois de sua estreia, e foi um dos primeiros criadores a polemizar sobre a questão de gêneros, ao fazer saias para homens e colocar modelos masculinos em sua passarela, justificando com um “acredito na igualdade dos sexos”.

Gaultier é também um dos mais famosos estilistas fora do métier, tanto por seus perfumes, pilares que pagam as contas do nome Jean Paul Gaultier, como também pelas blusas tatuadas e as  indefectíveis malhas de listras ao estilo Breton. O mais-mais nesse quesito, porém, é sua quedinha pela cultura pop, que começou em 1990, ao vestir Madonna em sua turnê “Blond Ambition” com sutiãs em formato de cone, e persiste até hoje, com o estilista fazendo figurinos para filmes, como “O Quinto Elemento”, de Luc Bresson, e “Kika”, de Pedro Almodóvar; para as turnês de Marilyn Manson e Kylie Minogue; e colocando a vocalista do “The Gossip” Beth Ditto em sua passarela, bem como a burlesca Dita Von Teese.

jpg_figurinoCroquis para a “Blond Ambition” ©Reprodução

jpg_madonnacelebJean Paul Gaultier e suas musas Madonna, Dita Von Teese e Beth Ditto ©Reprodução

E mesmo sendo tão moderninho, o estilista também desfila coleções de haute couture e ficou sete anos à frente da criação da Hermès, uma das marcas mais tradicionais da atualidade.

São trinta e cinco anos de história de um criador que se destaca por seu sempre presente bom humor, sua paixão pelo corpo feminino e por uma moda original e criativa. “É uma época de menos criatividade. Sou um dos últimos dessa geração”, declarou o estilista em entrevista ao FFW em seu último desfile na semana de moda de Paris. Em tempos que o que mais se valoriza em um estilista é a rapidez e a capacidade de gerar dinheiro para um grande conglomerado, é admirável alguém como Gaultier não arredar o pé de suas convicções. A moda – criativamente falando – agradece.

Que os jogos comecem! Dior lança campanha cheia de videogames; veja!

10/10/2011

por | Beleza

dior_abre

Há quem diga que maquiagem é coisa de meninas e videogame é coisa de meninos. Mas a Dior discorda, ainda bem!

Prova disso é o mais recente vídeo de divulgação da coleção de festa da Dior Beauty, que utiliza as novidades em demonstrações dos vídeogames que mais fizeram parte da nossa vida, como Tetris, Pacman e, claro, Super Mario Bros, todos divididos em rounds. Na trilha sonora, além dos característicos barulhinhos dos videogames, há a música “Tigerlily”, da dupla inglesa La Roux.

+ Assista  “Dior Games”:

E se vocês têm prestado atenção, devem ter reparado que vídeos divertidos sobre moda e beleza estão por todo o lado, como os recentes da divisão de beleza da Chanel, a dancinha da Lanvin ao som de Pitbull, e as modelos da Prada fazendo caras e bocas – e passos de dança – na campanha de Verão 2011.

Não é uma delícia quando a moda e a beleza não se levam tão a sério?

Para se inspirar: as cinco melhores belezas da Paris Fashion Week

06/10/2011

por | Beleza

ABRE©Reprodução

E a temporada de moda internacional acabou! Ufa, exclamam aqueles que trabalharam em ritmo alucinante durante tantos dias – e até noites. Mas antes mesmo de dar tchau de vez, selecionamos algumas das belezas mais belas, com o perdão do trocadilho, que desfilaram em Paris.

Inspire-se!

CHRISTIAN DIOR

dior_abre©ImaxTREE

A maquiagem foi assinada por Pat McGrath, e o foco eram os lábios. “O look é sobre uma clássica, linda boca vermelha feita de um jeito moderno”, explicou a maquiadora, que usou três tons diferentes, que variava de modelo para modelo, e aplicava com os dedos. Os cabelos eram de Orlando Pita, que quis fazer algo simples, mas com uma ‘silhueta’ interessante. Para o efeito da franja, ele puxou para trás até fazer o efeito viradinho, colocou um grampo bem na curva, e encheu de spray.

dior©ImaxTREE

ior2©ImaxTREE

CHANEL

chanel_anre©ImaxTREE

Peter Philips, maquiador da Chanel, se inspirou no tema da coleção, que foi “fundo do mar”, para fazer algo que ele definiu como “muito limpo, puro, e fresco”. O principal da maquiagem são os olhos brilhantes, feitos com um mistura de duas sombras “Illusion D’Ombre”, Fantasme e Emerveille, e os “piercings” de pérola, que ora apareciam no rosto, ora nos cabelos.

chanel_dois©ImaxTREE

YVES SAINT-LAURENT

ysl_abre©ImaxTREE

O make-up de Saint-Laurent, assinado por Pat McGrath, era bem dramático, com lábios vermelhos cintilantes, sobrancelhas descoloridas e olhos gráficos escuros, que foram feitos, inclusive, apenas com lápis de olho, nada de sombra. Sobre os lábios, Pat disse: “É uma boca de couture – jovem, mas ao mesmo tempo, rica e excêntrica”.

ysl_dois©ImaxTREE

VALENTINO

valentino_abre©ImaxTREE

“É um make-up muito romântico, bonito – realmente poético”, explicou Pat McGrath sobre a beleza do desfile de Valentino. Há iluminador no topo das bochechas, ossinho do nariz e no arco do cupido da boca. Nos olhos, Pat colocou sombra em pó rosa pálida e iluminador nude, com um pouco de cinza brilhante nos cantos. A menina dos olhos dessa beleza, no entanto, eram os cabelos, arrumados em um conjunto de três tranças folgadinhas feitas em torno da cabeça. Guido Palau, que fez o cabelo, comentou, “É muito leve e feminino”.

valentino_dois©ImaxTREE

valentino_cabelo©ImaxTREE

LOUIS VUITTON

lv_abre©ImaxTREE

Na Louis Vuitton o make-up era de “bonita”, com cílios postiços imensos e cara saudável. O cabelo, feito por Guido, consultor criativo da Redken, era um coque banana com um ‘twist’, que deixava alguns fios para fora. “Hoje é o ultimo dia de Fashion Week, e na Louis Vuitton estamos criando um coque fácil, com um toque meio punkizinho”, explicou o cabeleireiro. Algumas modelos usaram tiaras, deixando o look ainda mais fofo.

lv_dois©ImaxTREE

Ao 50 anos, maison Courrèges tem chances de reviver dias de glória

06/10/2011

por | Moda

courreges_abre©Reprodução

Em 2011 a Courrèges faz 50 anos e em uma espécie de comemoração os novos donos da marca, Jacques Bungert e Frédéric Torloting, que a compraram em janeiro, irão relançá-la durante o inverno do hemisfério norte, começando com um e-commerce, já em meados de novembro.

Esse será o primeiro passo para a reconstrução da marca que leva o nome de Andre Courrèges, ícone do “Space Age” dos anos 60 que possui hoje apena uma flagship, em Paris, sendo que já chegou a contar com 180 pontos de vendas espalhados pelo globo.

“Gostaríamos de estar presente de forma significativa em aproximadamente oito países dentro de três anos”, falou Bungert ao “WWD”. Entre os países citados estão EUA, Alemanha, Espanha, Rússia, Coreia do Sul, México, Brasil e eventualmente China, como mercados prioritários.

Outra boa notícia é que o e-commerce irá oferecer os clássicos do estilista em versõess atualizadas, como os vestidos em “A” e jaquetas cropped de vinil, além de itens resgatados dos arquivos de não vendidos da marca, um potencial paraíso para os amantes de peças vintage. E tem mais! Ainda em outubro será produzida uma edição limitada de 50 peças da jaqueta de vinil branca, uma das assinaturas de Courrèges, que serão vendidas na Colette, em Paris.

courreges_2©Reprodução

Bungert e Torloting também pretendem reavivar os licenciamentos de objetos como óculos de sol, bagagens e objetos para casa, e relançar os perfumes Eau de Courrèges e Empreinte, esses já para junho do ano que vem, quando é o Dia das Mães na França.

Coqueline Courrèges, que tem cuidado da empresa desde que seu marido se aposentou da moda nos anos noventa, tem focado em preservar a herança da marca através de livros e exposições, mesmo com a equipe criativa trabalhando e fazendo coleções que nunca foram fabricadas ou distribuídas. Nas mãos dos novos donos, isso mudou. O time de sete pessoas está trabalhando em novos designs de roupas, além de projetos externos, como uma colaboração com a água Evian, em uma edição limitada que será lançada ainda em outubro. Para o meio de 2012 espera-se o lançamento de relógios, sneakers e talvez até produtos de beleza.

“Há uma grande diferença entre o pequeno tamanho da empresa hoje e sua enorme notoriedade. Assim, a marca precisa recuperar o seu nível. Isso vai levar alguns anos, mas não é um objetivo puramente financeiro”, finalizou Torloting.

courreges_desfileDesfile de Courrèges, em 1969 ©Reprodução

Quer comprar? Osklen anuncia que está avaliando propostas de venda

05/10/2011

por | Moda

osklen_aberOskar Metsavaht no backstage da Osklen, no último desfile de Verão 2012 ©Sergio Caddah/Agência Fotosite

Uma das marcas mais cobiçadas e bem quistas no mercado nacional – e também internacional –, a Osklen anunciou nesta quarta-feira, 5 de outubro, por meio de comunicado oficial do estilista e proprietário Oskar Metsavaht, que está avaliando propostas de grupos interessados na marca.

“Assim como vem ocorrendo com outras empresas do segmento de vestuário nesses dois últimos anos, não é novidade que a Osklen também vem sendo procurada por investidores interessados em uma parceria. Portanto, no momento, Oskar Metsavaht está em processo de avaliação das propostas de três grupos distintos, um europeu, um americano e um brasileiro, não tendo nada além disso a declarar para o momento.”

Em julho de 2010, François Pinault, do grupo francês PPR, dono de marcas como Alexander McQueen, Yves Saint-Laurent e Balenciaga, veio ao Brasil e esteve em reunião de negócios com várias grifes, entre elas a Osklen, o que sugere que o tal grupo europeu citado pelo comunicado oficial seria a PPR. E segundo matéria publicada pela “Folha de S.Paulo” nesta quarta, a Alpargatas (proprietária da Havaianas) seria o grupo brasileiro interessado na marca. As negociações dizem respeito somente à Osklen, e as outras marcas do grupo, como a New Order, de acessórios, ficam de fora.

De acordo com fontes internas da Osklen, a empresa nunca negou que estivesse à venda, e tudo, incluindo o modelo de negócios a ser adotado depois da compra, depende da proposta e das negociações que forem feitas.

Hoje a Osklen possui 390 pontos de venda, além das multimarcas, 32 lojas próprias no Brasil, e também nos EUA, Japão e Itália, e representantes na Austrália, França, Espanha, Portugal e Grécia.

Update: Procurada pelo FFW, a assessoria de imprensa da Alpargatas declarou que a informação não procede de maneira nenhuma.

Confira a programação completa do Pense Moda, que acontece em São Paulo

04/10/2011

por | Moda

pense_abre

A primeira semana de outubro será agitada para os fashionistas mais informados de São Paulo – e por que não, do Brasil? É que do dia 4 ao dia 6 acontece no MuBE – Museu Brasileiro da Escultura — a 5ª edição do Pense Moda, que devido à comemoração estará ainda mais legal.

Em todos os dias há pelo menos duas atividades, com exceção da quarta-feira, quando serão três convidados. Um dos destaques desta edição é o designer Phillip Lim (leia matéria sobre ele aqui), que fará uma palestra, no último dia de evento, sobre sua experiência como estilista e sobre a atual fase da moda nos EUA, com perguntas da editora de moda Maria Prata. Seu mais recente desfile, na semana de moda de NY, teve ótimas críticas e ele é um dos queridinhos da moda americana no momento.

phillipPhillip Lim e fãs: Leighton Meester e Michelle Williams ©Reprodução

Na terça-feira, dia 4, o evento abre com palestra de Cécile Coulot, nada menos que gerente dos acessórios femininos da Lanvin, uma das marcas mais desejadas da atualidade. Depois acontece uma mesa sobre “A criação de uma imagem de moda em filme ou fotografia”, que irá abordar a moda por um viés criativo, com a participação de Bob Wolfenson, Daniel Klajmic, Flavia Pommianosky & Davi Ramos, Graziela Peres (Mag!), Paulo Martinez e Sebastian Orth (Surface to Air), com mediação de Augusto Mariotti.

lanvin_penseAcessórios da mais recente coleção da Lanvin ©Reprodução

No dia 5, quarta-feira, será vez da mesa “A nova força de consumo da Classe C”, com diversos pontos de vista, com Celso Loducca, Gustavo Clauss e André Torreta, um grande especialista do assunto, com Leticia Malta (sócia diretora da agência Mindset) mediando. Logo depois Alexandre Herchcovitch será sabatinado pelo público, com mediação de Erika Palomino. E o dia termina com palestra de Arianne Philipps, figurinista de filmes como “Johnny & June”, “Direito de Amar”, e o mais novo de Madonna, “W.E.”. Arianne já foi indicada ao Oscar por seu figurino em “Johnny & June” e está por trás do visual de muitas celebridades, como Madonna, Julianne Moore, Courtney Love, Lenny Krawitz, etc. Ao final de sua apresentação, o estilista Jum Nakao faz algumas perguntas à figurinista.

figurino“Direito de Amar” e “W.E.”, filmes com figurino de Arianne Phillips ©Reprodução

Para fechar o evento, além de Phillip Lim, haverá um bate papo saboroso entre Charles Cosac, dono da Cosac & Naif, e Glória Kalil, que vão falar sobre moda, fotografia e o papel do editor através do livro “Glamour”, da lendária editora Dianna Vreeland.

As inscrições já estão abertas aqui. Vai perder?

“Shake it out”, novo clipe de Florence, tem anos 20 e possessão; assista!

florece_abreFlorence Welch, a ruiva da moda ©Reprodução

Florence Welch é uma cantora que não pode ser dissociada da moda. Além de aparecer em tapetes vermelhos usando vestidos de grandes designers, estampar capas de revistas de moda e ter os figurinos de sua última turnê de verão feitos por Frida Giannini, estilista da Gucci, o seu mais recente clipe, lançado no dia 3 de outubro, “Shake it Out”, é uma ode ao glamour dos anos 20, que estão tendo sua chance de brilhar no altar das referências do momento. Esse é o segundo clipe do novo álbum de Florence and the Machine, “Ceremonials”, que será lançado mundialmente no dia 31 de outubro.

+ Assista ao clipe de “Shake it Out”:

Durante a semana de moda de Londres, a cantora deu uma entrevista para a “Rolling Stone”, falando sobre seu novo álbum, e contou que artistas como a expoente do Art Deco Tamara de Lempicka, e Gustav Klimt, representante do simbolismo austríaco, são suas maiores influências para o ‘upgrade’ de estilo de seu novo álbum. “É um novo tipo de romantismo. Em oposição ao look ‘pré-Rafaelita’ do último disco”, explicou ela.

No clipe, que já reflete essa mudança, há uma festa com convidados chiquérrimos usando máscaras ainda mais chiques, bebendo muitos bons drinks, e no meio disso tudo acontece uma espécie de ritual, o que deixa Florence bem louca. Nas palavras dela, “Pense em um psicodélico baile formal dos anos 20 com um twist demoníaco. ‘Possessão’ encontra ‘O Grande Gatsby’”. Entre os looks usados pela cantora britânica no clipe, há um vestido vermelho da coleção de Inverno 2011 da Gucci, um Valentino Couture Inverno 2011 dourado e um preto, e um Elie Saab Couture Inverno 2011 branco.

florence_looksOs vestidos Valentino, Gucci e Elie Saab ©Reprodução

Não bastasse tudo isso, nesta terça-feira, ela presidiu o desfile de Primavera 2012 da Chanel, cantando, entre outras músicas, “What the Water Gave Me”, o primeiro single de “Ceremonials”, de dentro de uma concha, em uma imagem que lembrava “O Nascimento de Vênus”, de Botticelli.

florence_dois“O nascimento de Florence” no desfile da Chanel, Primavera 2012, e na capa da edição de outubro da “Interview” ©Reprodução

Se havia dúvidas de que Florence era uma cantora “da moda”, não há mais.