Ana Pinho - Google +

Setembro é o janeiro da moda: veja as capas das principais revistas

19/07/2010

por | Moda

“Setembro é o janeiro da moda”, diz Candy Pratts Price em “The September Issue”, o documentário que acompanha Anna Wintour e sua equipe na produção da edição de setembro de 2007 da “Vogue America”. A razão desta peculiarlidade no calendário é que é em setembro que as coleções de outono/inverno chegam às lojas. Então o mês seria o “começo do ano” para o metiê fashion, pelo menos no Hemisfério Norte.

Como acontece o que é muito aguardado, as cruciais escolhas de capa não ficaram em segredo por muito tempo. O “WWD” divulgou algumas escolhas, e o FFW caçou outras. Confira abaixo!

“Dazed & Confused”: Dakota Fanning

dazed-confused-setembroKristen McMenamy fotografada por Tierney Gearon pra “D&C” de agosto e Dakota Fanning ©Reprodução

A atriz-mirim que cresceu – e está na saga “Crepúsculo” – é uma escolha curiosa para a revista. Resta a dúvida se o público da “D&C”, que acaba de receber uma capa com a top grisalha Kristen McMenamy, vai gostar.

“Elle”: Julia Roberts

elle-setembroDrew Barrymore na capa de agosto por Carter Smith e Julia Roberts ©Reprodução

A “Elle” não quis se arriscar e apostou no que já deu certo por antecedência: Roberts será capa no auge do hype em volta da adaptação cinematográfica do bestseller “Comer, Amar, Rezar”.

“Harper’s Bazaar”: Jennifer Aniston

harpers-bazaar-setembroCameron Diaz clicada por Terry Richardson na edição de agosto e Jennifer Aniston ©Reprodução

Apesar de ser uma escolha previsível, Aniston tem uma empatia incrível com o público americano e é uma campeã de vendas. Mas aí é fácil demais…

“Interview”: Blake Lively

interview-setembroMegan Fox na capa de junho 2010 por Craig McDean e Blake Lively ©Reprodução

Outra aposta certa, já que a loira de “Gossip Girl” estará em todos os lugares graças à nova temporada do seriado e a estréia de “The Town”, o segundo filme dirigido por Ben Affleck.

“T: The New York Times Style Magazine”: Freida Pinto

t-magazine-setembroRebecca Hall por Raymond Meier na capa da edição de verão 2010 e Freida Pinto ©Reprodução

Os efeitos da dança das cadeiras nas revistas gringas começam a aparecer agora. Stefano Tonchi deixou a “T” que, sob o comando de Sally Singer, escolheu a atriz indiana Freida Pinto para a capa. Ela é linda e tem um filme de Woody Allen chegando aos cinemas, mas é famosa o suficiente para uma edição de setembro?

“W”: Emma Roberts, Zoë Kravitz, Jennifer Lawrence

w-setembroOs atores Rebecca Hall e Jon Hamm clicados por Nathaniel Goldberg para a capa de agosto e as três atrizes divulgadas ©Reprodução

O novo editor-chefe, Stefano Tonchi, escolheu um caminho diferente ao invés de colocar alguma personalidade ousada na capa de sua primeira edição. Preferiu escolher estrelas em ascensão em Hollywood, incluindo o trio acima e mais alguns nomes não revelados. Será que agora entra algum dinheiro?

“Vanity Fair”: Lady Gaga

vanity-fair-lady-gagaAngelina Jolie na capa de agosto clicada por Patrick Demarchelier e Lady Gaga ©Reprodução

Dispensa apresentações. As melhores roupas do Inverno 2010, frases bombásticas e fotos de Nick Knight devem fazer desta edição um sucesso de vendas.

“Vogue”: Halle Berry

vogue-setembroGwyneth Paltrow clicada por Mario Testino pra capa de agosto e Halle Berry ©Reprodução

Outra surpresa. Afinal, Berry não tem nenhum filme sendo lançado na época, enquanto a queridinha da América, Julia Roberts, estará super exposta. Mas Halle Berry tem o sorriso mais lindo do mundo, um novo perfume e uma separação, então assunto não vai faltar.

Coco Rocha reacende a polêmica em torno de Terry Richardson

16/07/2010

por | Gente

Em entrevista a revista canadense “Fashion”, Coco Rocha falou sobre Terry Richardson: “Fotografei com ele, mas não me senti confortável e não farei novamente”. Mesmo curto, o comentário bastou para reacender a discussão em torno de Richardson.

O editorial em questão, “Baptême en Diable”, foi publicado na edição de dezembro de 2006/janeiro de 2007 da “Vogue Paris”, e provocou polêmica na época não necessariamente pelo conteúdo, já que não havia nada tão chocante ali, mas pela opinião da modelo, na época uma estrela em ascensão.

coco-bapteme-terry-richardsO editorial da discórdia é da “Vogue Paris” ©Vogue Paris/Reprodução

Ela pediu publicamente que o editorial não fosse divulgado, explicando que não sabia que seria interpretada como o diabo e que isso tinha a abalado pessoalmente. A revista saiu como planejado e, embora tenha sido adotada por Anna Wintour e sua “Vogue America”, foram poucas as aparições de Rocha na revista de Carine Roitfeld desde então.

coco-bapteme-terry-richard2Outros cliques de “Baptême en Diable”, fotografado por Terry Richardson ©Vogue Paris/Reprodução

Na mesma entrevista, Coco falou sobre seus planos futuros (além da marca própria, a Rococo): ela quer visitar escolas pelo Canadá, sua terra natal, discutindo auto-estima com estudantes. Ela tem o que falar, já que é uma das modelos mais eloqüentes quando o assunto é a espinhosa questão do peso.

“Doía na época”, ela diz sobre o tempo em que era considerada acima do manequim. “Mas agora eu digo: ‘você não pode dançar com todo mundo.’”

Prada lança concurso de desenho em busca da heroína perfeita

16/07/2010

por | Cultura Pop

Em fevereiro passado, a Prada desfilou seu Inverno 2010 com óculos gatinho bicolores que tinham no arco superior um traço que imitava uma sobrancelha. Enquanto o WGSN aponta o gatinho como tendência no segmento, a falsa sobrancelha talvez tenha sido demais para o consumidor final: a coleção-cápsula Prada Swing Sunglasses, feita em parceria com a Luxottica, foi apresentada sem o detalhe.

O jazz que permeou a campanha foi aproveitado no lançamento da coleção, que rolou no dia 14 de julho: tanto a festa quando os anúncios foram feitos no tradicional Joe’s Pub, em NY. Os óculos em si devem custar US$ 245, de acordo com o WWD, e chegam às lojas Prada e Luxottica em outubro.

Para bombar os modelos, a Prada foi atrás de vários ilustradores de quadrinhos, dos mais conhecidos aos estudantes da profissão, propondo a criação de uma heroína fantasiosa – a única regra é que a mulher use os óculos Prada Swing na tira. Quem ganhar terá sua protagonista publicada em um quadrinho Prada.

prada-oculosNos detalhes, um dos modelos da coleção; do lado direito, a Gata Negra, da Marvel Comics, em colagem com outro modelo Prada Swing: como vai ser a tirinha vencedora? ©Reprodução

Uma curiosidade da campanha, na qual Angela Lindvall aparece cantando (ou não, não se tem certeza) uma versão de “Fever”, de Peggy Lee, é que Steven Meisel gravou tudo em vídeo: os anúncios publicitários são, na verdade, stills de altíssima qualidade.

Isabella Rossellini cria bolsas para a Bulgari inspiradas em filme “pornô”

16/07/2010

por | Moda

A atriz Isabella Rossellini criou, em parceria com a Bulgari, uma nova linha de bolsas. “Uma bolsa é um acessório indispensável para nós mulheres, e tentamos fazer dela um objeto de elegância e luxo, como uma joia.” A conexão com a Bulgari vem da infância, quando Rossellini acompanhava a mãe, a também atriz Ingrid Bergman, à loja da Via Condotti, em Roma.

bvlgariAs bolsas criadas por Isabella Rossellini para Bulgari ©Reprodução

Ao WGSN, o CEO da marca, Franceso Trapani, disse: “Isabella personifica o ideal feminino que sempre inspirou as criações Bulgari.” As bolsas, que chegaram às lojas com etiquetas entre US$ 1.700 e US$ 2.600, vêm com revestimento inspirado na famosa série criada pela italiana, “Green Porno”. Sucesso!

WGSN exclusivo: verdadeiro ou falso? A macrotendência do inverno 2011

15/07/2010

por | Moda

Em maio, Francesca Muston apresentou as três macrotendências do bureau para o Outono/Inverno 2011. Uma delas, intitulada Faux Real (mistura de francês e inglês que significa “falso verdadeiro”), ganhou sua própria análise de tecidos – a chave desta estética é introduzir um elemento surpresa na peça, que pode ser uma ilusão de ótica ou um acabamento diferente.

PELE FALSA

No impressionante desfile ártico de Inverno 2010 da Chanel, todas as peles eram falsas, e foram criadas usando angorá, penas e tweed trabalhado. Na Donna Karan, o casaco foi feito com uma estampa aumentada que parece uma camuflagem natural, revestida com um tipo de pelúcia. No desfile de John Rocha, o tecido foi revestido com poliuretano, o que criou a aparência de pele encerada.

wgsn-pele-falsaChanel (e as penas que parecem peles), Donna Karan, John Rocha ©WGSN/Reprodução

ESTAMPAS ENGANOSAS

Ainda na Chanel, um tradicional quadriculado de tweed revelou-se uma estampa. No desfile de Inverno 2010 da Ashish, o quadriculado foi feito com paetês laranjas e azuis cuidadosamente costurados. O quadriculado texturizado de Anna Sui é outro truque: é a maneira como o tecido foi tingido que dá a impressão de movimento.

wgsn-estampas-enganosasChanel, Ashish, Anna Sui ©WGSN/Reprodução

TRUQUES ÓPTICOS

O mais divertido dos efeitos é mesmo o trompe l’oeil. O desfile de Inverno 2010 de Mary Katrantzou estava repleto de uma estampa digital feita com vários tons de cetim amarrados em laços. A dupla da Basso & Brooke fez algo parecido, estampando fotos de sedas dobradas em vestidos de jérsei. A Cacharel foi mais longe e estampou em seda o que parecia um tecido bem amassado.

wgsn-truques-opticosMary Katrantzou, Basso & Brooke, Cacharel ©WGSN/Reprodução

ILUSÃO VISUAL

Francisco Costa escolheu, para a Calvin Klein, uma seda que mais parecia pêlo, além de imprimir a forma de botões no tecido. Já Karl Lagerfeld usou um novo (e caro) couro brilhante na Fendi, fazendo muitos acharem, de longe, que aquilo era PVC. Narciso Rodriguez introduziu um belo truque ao apresentar um casaco tingido de tal maneira que parecia estar sombreado pela luz.

wgsn-tecidosCalvin Klein, couro rico e novo na Fendi, Narciso Rodriguez ©WGSN/Reprodução

ACABAMENTOS ENGANOSOS

Para a coleção de Inverno 2010, a Pollini preferiu revestir uma peça de algodão para dar uma cara de jeans lavado. Em seu desfile, a Blumarine escolheu um acabamento emborrachado para criar a impressão de pele de crocodilo. Mais conceitual, a AF Vandevorst apresentou peças com riscos e pó de giz – algumas sujas de verdade e outras densamente entrelaçadas com algodão branco.

wgsn-acabamentosPollini, Blumarine, AF Vandevorst ©WGSN/Reprodução

Pinturas, colagens, gravuras, desenhos e polas de Eduardo Sancinetti na Mezanino

14/07/2010

por | Cultura Pop

No dia 16 de julho, a Galeria Mezanino apresenta a exposição solo do artista Eduardo Sancinetti e aproveita a data para inaugurar a nova casa do projeto de Renato de Cara: a Galeria Mundo Mix, na rua Augusta, em São Paulo.

Para formar a expo “Verde e Vermelho”, Sancinetti, que é formado em artes plásticas pela UNESP, escolheu pinturas, colagens, gravuras, desenhos e polaroides. “Seus retratos têm forte conotação espontânea, são cheios de energia e referências pictóricas, com linhas sobrepostas e manchas de cores”, disse de Cara.

Veja algumas obras na galeria.

“Verde e Vermelho”, de Eduardo Sancinetti
De 16 de julho a 14 de agosto
Galeria Mezanino na Galeria Mundo Mix: R. Augusta, 2559, Jardins – SP
Tel.: (11) 3063-1892

Sasha Pivovarova mostra desenhos e ensina seu olhar fatal ao FFW

13/07/2010

por | Gente

Em 1985, Sasha Pivovarova nasceu na Rússia. Em 2005, seu atual marido enviou polaroides suas para a agência IMG e, duas semanas depois, lá estava ela desfilando para a Prada. Cinco anos depois, a top ocupa confortavelmente a 2ª posição no ranking do Models.com e se livrou de vez da alcunha de “irmã má da Gemma Ward” (as duas eram mesmo muito parecidas).

O FFW conversou com a modelo entre um clique e outro, num estúdio em São Paulo. “Não vi muita coisa, na verdade. Só uma bela vista da cidade da janela do meu hotel”, disse Sasha, que esteve no Brasil por três dias fotografando a nova campanha da marca Santa Lolla.

O que estava fazendo antes de vir pra São Paulo?
Estava na praia, aproveitando o sol, o mar.

Pulou a semana de alta-costura?
Sim. Fiquei na praia! Daqui volto pra lá de novo.

Você disse uma vez que adora açaí…
É minha comida favorita pela manhã! Como em um restaurante em Nova York, mas ainda não comi açaí aqui, na verdade. Não tem no meu hotel!

Seu primeiro desfile foi para a Prada. Você lembra o que estava pensando naquele momento?
Estava muito curiosa. Antes do desfile, passei 5 dias no escritório da Prada fazendo fittings e testes de maquiagem. Era muito instigante ver o trabalho dos stylists, dos estilistas, eu gostei muito.

Você estudava história da arte antes de se tornar modelo. Pretende terminar a faculdade?
Eu sou uma auto-didata. Nas aulas de história da arte, os professores nos mostravam quadros diferentes de vários artistas em livros ou slideshows. Hoje posso simplesmente ir ao museu e ver as obras com meus próprios olhos – em melhor qualidade, é claro [risos].

Quem são seus artistas favoritos?
São tantos. Dos velhos mestres, Leonardo da Vinci, Caravaggio, Delacroix, Gustav Moreau. Meu artista contemporâneo favorito é meu marido [Igor Vishnyakov, que acompanhou Sasha na viagem].

Que livro está lendo?
Uma cópia em russo de “Viagem ao Oriente”, de Hermann Hesse.

No ano passado, você disse que publicaria um livro de ilustrações. Há novidades sobre isso?
Se chama “Snow Maiden”, e é baseado num conto russo. Terminei as ilustrações há tempos, agora a editora está lidando com as coisas técnicas, deve ser publicado em breve. São 42 ilustrações.

Muitos de seus desenhos são auto-retratos, e você é uma modelo muito dramática, cheia de expressões faciais. Você acha que modelar te melhora como artista?
Desenho desde sempre e depois comecei a modelar. Acho que não melhorei porque sou modelo. Sou muito criativa.

Lembra de seu primeiro editorial?
Acho que foi com meu marido, meio que um editorial em casa. Quando ele foi para Moscou, sempre tentava me bookar para alguma capa que estava fazendo e as pessoas diziam: ‘quem vai usá-la? Está maluco?’ Quando me tornei uma topmodel, aí todos pediam: ‘você pode fazer uma foto dela?’. Ele respondia: ‘desculpe, mas você perdeu sua chance’ [risos].

Angelina Jolie vai interpretar o papel que imortalizou Liz Taylor nos cinemas

13/07/2010

por | Gente

Atualmente, Angelina Jolie está ocupada fazendo o circuito de imprensa para promover “Salt”, seu novo filme de ação – e que originalmente tinha Tom Cruise como protagonista. Em entrevista ao jornal “O Estado de São Paulo”, a atriz confirmou sua participação em outro (potencialmente enorme) filme: “Cleópatra”!

“Ainda não temos diretor nem elenco, mas a ideia, com base numa bibliografia recente, é contar a verdadeira história de Cleópatra. Quem foi, realmente, essa mulher? Qual a fonte do seu poder? A lenda fala de sua extraordinária beleza, mas o que se diz hoje é que nem era bonita”, disse Jolie.

O livro em questão é “Cleopatra: A Life”, escrito pela ganhadora do Pulitzer Stacy Schiff, que também deve ser a responsável pela adaptação; já a produção é do poderoso Scott Rudin.

Considerando que a mais famosa versão cinematográfica da última rainha do Egito é aquela megalomaníaca e multimilionária de 1963 com Liz Taylor, a internet já está em polvorosa com comparações e idéias: quem é mais bonita? Jolie não deveria ser negra? Brad Pitt fará Marco Antônio? Qual cobra vai participar do dramático final?

cleopatrasMoeda com o perfil de Cleópatra (propriedade da Universidade de Glasgow), Liz Taylor como a rainha e Angelina Jolie ©Reprodução

Ainda são muitas as lacunas, mas a coisa deve andar rápido: o lançamento do novo “Cleópatra” está marcado para 2011, quando a monarca faria 2080 anos.

Abaixo, veja a triunfal entrada de Cleópatra em Roma, no filme de ’63. (Só esta cena custou 2 milhões de dólares.)

Diretora da Quintessentially no Brasil explica o que é um “conciérge de luxo”

13/07/2010

por | Cultura Pop

Há 10 anos, o britânico Ben Eliott decidiu criar uma companhia que atendesse aos pedidos feitos por amigos e conhecidos e até então respondidos de graça por ele – reserva de mesas em restaurantes disputados, dicas de viagem, acesso a festas fechadas e outras coisas do tipo. Em sociedade com Aaron Simpson e Paul Drummond, o insight ganhou nome e nicho no mercado: Quintessentially, que signfica “quintessencialmente” em inglês.

Há menos de um ano, a empresa abriu suas portas no Brasil, oferecendo seus serviços de conciérge de luxo aos endinheirados nacionais – o que não sai por menos de 7 mil reais por ano. “Nossa missão é trazer ao cliente apenas o melhor”, disse Luciana Costa, sócia e diretora executiva da empresa no Brasil.

Ainda parece misterioso? O FFW também achou, e perguntou tudo para a diretora executiva. Leia abaixo!

O que é exatamente um conciérge de luxo?
É um serviço exclusivo onde o associado tem um gerente de contas particular que tem todo o seu perfil traçado para atendê-lo da melhor maneira. O gerente de conta oferece pró-ativamente restaurantes, bares, viagens, serviços especializados, etc. de acordo com o perfil deste associado. O serviço é 24 horas nos quatro cantos do mundo, 365 dias por ano.

E como vocês definem a Quintessentially?
A Quintessentially é antes de mais nada um clube para os que acreditam que a vida é demasiado curta para se perder tempo com o cotidiano ou segundas escolhas. Os associados recebem um cartão de sócio com uma enorme variedade de benefícios, muitos dos quais valem muito dinheiro. Além das vantagens monetárias, a adesão também traz a oportunidade de apreciar um conjunto de bens, serviços, presentes e ajuda prática que acreditamos que irá fazer uma grande diferença na vida dos nossos associados. A nossa missão é trazer-lhe apenas o melhor, quer seja ópera, música, arte, viagens, compras, comida ou bebida.

Quintessentially-Japan-1Giftbags distribuídas no lançamento da Quintessentially no Japão ©Divulgação

Qual é o perfil de seus sócios?
Nossos associados são 60% homens e 40% mulheres. São CEOs, empresários, celebridades, com alto poder aquisitivo porém pouquíssimo tempo disponível. A faixa etária média é de 30-65 anos, mas obviamente temos pessoas de todas as idades. São pessoas que precisam da Quintessentially para otimizar o seu tempo, facilitar sua vida e trazer comodidades.

Quais são as expectativas da Quintessentially quanto ao mercado brasileiro?
O mercado de luxo no Brasil cresce numa velocidade muito grande e não temos dúvida de que há um grande público para trabalharmos. O primeiro passo foi fazer um estudo de habilidades e formar parcerias com marcas de luxo como hotéis, restaurates e lojas – Fasano, Unique, Emiliano, Copacabana Palace, NKStore, A Bela Cintra, Trindade, Disco Club, Forneria na Daslu, Antiquarius, etc.

Outro ponto importante é que o Brasil está cada vez mais se tornando referência no mundo do turismo e a Quintessentially atende um número muito alto de estrangeiros que vem ao país. Por outro lado, nossos associados brasileiros têm acesso aos nossos serviços em qualquer lugar do mundo.

Alguns estudos apontam que a parcela mais rica da população mundial agora prefere o luxo discreto ao invés de extravagâncias aparentemente absurdas. Vocês concordam?
Sim, sem dúvida. Hoje em dia, as pessoas de altíssimo poder aquisitivo estão muito mais “low profile”, querendo do bom e do melhor, mas sem muito barulho.

Entre os projetos da empresa, há a QuintessentiallyFoundation. Há planos de implantar essa faceta social no Brasil?
Claro! A Quintessentially Foundation trabalha com algumas instituições específicas durante o ano todo, como pode ver no site da empresa. Nós, no Brasil, temos sim muito interesse e já algumas ideias de ONGs para trabalharmos, porém este é um trabalho que é preciso ser feito com calma e muita pesquisa. É muito importante trabalharmos com o 3° setor e como já temos isto no DNA da Quintessentially, nada mais natural do que implementar este trabalho no Brasil.

Em qualquer negócio, mesmo um com um network reconhecidamente impressionante como o seu, há barreiras instransponíveis. Há algum pedido que a Quintessentially não consiga atender?
Obviamente, não oferecemos ou intermediamos serviços ilegais. Em princípio, buscamos atender qualquer solicitação dos nossos associados, independente de quão estranha ou inacessível pareça. O nosso diferencial é que temos mais de 50 escritórios nos quatro cantos do mundo, que juntos trabalham para atender as solicitações de nossos associados a qualquer hora e em qualquer lugar.

Há casos de pedidos, fora do Brasil, de shows particulares onde um associado quis trazer, por exemplo, o cantor Jack Johnson para fazer um show em sua festa. Infelizmente, o Jack Johnson não faz shows particulares para pessoa física, do mesmo jeito que outros cantores também não fazem. Mas sempre entramos em contato, fazemos todo o possível, e sempre damos um retorno para nosso associado.

Quintessentially-3Livreto com os 150 melhores destinos do mundo, de acordo com a Quintessentially: o gerente compra passagens, reserva hotéis, arranja passeios ©Divulgação

Qualquer tipo de solicitação? Dê alguns exemplos.
Desde uma babá trilíngue, um chef coreano que faça um jantar em sua casa até organizar uma mega festa em apenas 4 horas ou conseguir uma obra de arte de um artista extremamente renomado difícil de encontrar.

Suponhamos que eu seja uma sócia estrangeira rumo à São Paulo e peça um roteiro interessante. O que a Quintessentially sugeriria?
Não trabalhamos com roteiros padronizados e prontos. Nossos roteiros são totalmente pesonalizados de acordo com o perfil e as necessidades de nossos associados.

Infelizmente SP não é uma cidade turística, os passeios são mais limitados. Considerando que é uma cidade muito forte em gastronomia e compras, podemos oferecer acesso aos melhores restaurantes da cidade, conseguir preferência na lista de espera e ter um super atendimento do chef do restaurante. Se ele preferir um jantar com um chef renomado em sua suíte do hotel, podemos providenciar também!

Um passeio pode ser qualquer coisa desde um guia turístico/motorista bilíngüe em um carro blindado que pode fazer um sightseeing pela cidade, algum passeio de helicóptero ou uma tarde em Interlagos para pilotar um carro dos seus sonhos.

Quanto as possibilidades de compras, podemos fazer um atendimento personalizado no hotel da pessoa levando as peças que desejar. Se o associado for às lojas, podemos entregar suas compras no hotel, contratar uma personal shopper para rodar com ele as melhores lojas da cidade, que podem abrir em horários diferentes (antes ou depois do horário de funcionamento normal) para atendê-lo, sempre oferecendo benefícios exclusivos e muitas vezes até descontos especiais apenas para associados Quintessentially.

+ quintessentially.com

Ferragamo lança nova linha de sapatos para atrair jovens clientes

08/07/2010

por | Moda

“Existe uma oferta ampla de sapatilhas e sapatos de salto alto, mas não de saltos médios, um segmento com enorme potencial”, disse o diretor de produtos de couro da Ferragamo, James Ferragamo, ao “WWD”. Para preencher esse vazio, a marca criou a My Ferragamo, uma nova linha focada em jovens clientes.

my-ferragamo-1Sapatilha da My Ferragamo, divulgado pelo WWD ©Reprodução

Inicialmente, serão quatro modelos: uma sapatilha bailarina, uma sapatilha de veludo, um pump com salto médio e uma bota de camurça. As cores também foram escolhidas para atrair as garotas: fúcsia, vermelho, verde esmeralda, amarelo mostarda e cinza. Os produtos, que custarão entre US$ 275 e US$ 350, chegam às lojas gringas em setembro.

Audrey Hepburn, que foi amiga do fundador e usou sapatos da marca a vida inteira, provavelmente iria aprovar este novo modelo.

[WWD]

Tags:

Perfume de Bruce Willis é a “fragrância mais masculina do mundo”

08/07/2010

por | Beleza

O ator Bruce Willis lançou, na Alemanha, seu mais novo perfume, uma parceria com a LR Health & Beauty Systems. De acordo com o “WWD”, a coleção Bruce Willis, oficialmente lançada hoje (08/07) no hemisfério norte, inclui umperfume, um gel de cabelo e outro de banho, um spray desodorante e um creme pós-barba.

A imagem é tão ‘de macho’ que um dos chefes da LR Health & Beauty Systems, Tilo Plöger, disse: “Pessoalmente, acho que a nova fragrância Bruce Willis é a mais masculina do mundo”. Faz sentido, já que o astro é protagonista de filmes como a sequência “Duro de Matar” (1, 2, 3 e 4!).

Os componentes que criaram tanta suposta rusticidade são toranja, pimenta e vetiver – todos favoritos dos lançamentos do 2º semestre, como demonstra a Vitrine de perfumes do FFW.

brucewillisO frasco do perfume Bruce Willis (e) e o astro em ação no filme “Nova York Sitiada”: cheiro de macho ©Reprodução/WWD

[WWD]

Quer cortinas ombré? Rodarte cria tecidos para uso na decoração

07/07/2010

por | Moda

Em uma palestra no Fashion Institute of Technology (FIT), as irmãs Mulleavy, forças criativas por trás da Rodarte, desabafaram: “Toda temporada dizemos que nunca mais faremos isso de novo”.

“Isso” é o estressante processo criativo que leva aos desfiles em Nova York, e é fácil entender o por quê: as peças são tão únicas e originais que as estilistas precisam criar os próprios tecidos – o que pode incluir queimar, tingir, lixar, enfaixar e queimar de novo, tudo à mão.

A fabricante Knoll Luxe resolveu facilitar pros fãs: chamou o duo para criar alguns (caros) tecidos inspirados nas coleções da marca nos últimos anos. Ao todo, são oito: cinco tecidos para revestimentos e três para cortinas, cada um nomeado em homanagem a um poeta – tem John Keats, E.E. Cummings, Lord Byron, Dorothy Parker…

Já imaginou decorar a sua casa assim?

Madonna para Dolce & Gabbana: a segunda metade de um filme

07/07/2010

por | Moda

Em abril de 2010, Madonna fotografou com Steven Klein a nova campanha da Dolce & Gabbana nas ruas do Brooklyn, em Nova York. O resultado caiu na rede, e deve começar a ser veiculado ainda em julho. A ideia é mostrar a rainha do pop em cenas do cotidiano, bem ao estilo italiano: tendo a saia consertada pela avó, indo às compras, jantando com a família…

Ao “WWD”, Stefano Gabbana disse considerar os novos anúncios como “a segunda metade do primeiro filme” – a primeira metade foi a campanha de inverno 2010, também com Madonna. Segundo o estilista, as fotos mostram “um lado mais humano e atingível” da cantora.

[WWD]

Herdeira Daphne Guinness ganha make-homenagem de François Nars

07/07/2010

por | Beleza

A herdeira e fashionista Daphne Guinness foi notícia recente quando decidiu comprar o closet de Isabella Blow. Dessa vez, a manchete é outra: a nova garota-propaganda da Nars ganhou também uma sombra em sua homenagem.

“Eu amo Daphne. Ela tem um estilo incrível, cabe na imagem da marca tão bem. E realmente ama maquiagem. Qualquer makeup artist sonha em ter alguém como ela como musa”, disse François Nars ao “WWD”.

daphneDaphne Guinness na nova campanha da Nars: a sombra roxa leva o nome dela ©Nars/Reprodução

O resultado é a sombra Daphne Guinness: um roxo rico e escuro que recebeu o nome da milionária quando Nars viu o resultado em sua pele. Um pouquinho de Daphne poderá ser seu por 23 dólares, em uma das 860 revendedoras pelo mundo – infelizmente, o Brasil ainda não está incluso na rota.

Quem sabe a Sephora ajuda?

Audrey Básica: atriz ganha retrospectiva no Rio de Janeiro

06/07/2010

por | Gente

Ah, Audrey Hepburn. Nasceu na Bélgica, cresceu na Holanda, morou na Inglaterra, nos EUA, na França, na Suíça e tornou-se Embaixadora da UNICEF antes de Angelina Jolie ou mesmo Lady Di. Faz parte de um seleto grupo de artistas que ganhou um Emmy, um Oscar, um Tony e um Grammy – os mais cobiçados prêmios de cada área.

Além de bondosa e generosa, Audrey também era linda, e frequentemente aparece no topo das listas de ícones de beleza. Há também toda sua história com a moda, que incluí parcerias de vida inteira com Salvatore Ferragamo, Richard Avedon e, a mais famosa, com Hubert de Givenchy. A amizade com o último é o gancho para a mostra “Audrey Básica”, que começa hoje no CCBB do Rio de Janeiro.

audrey-hepburn-givenchyHubert de Givenchy e Audrey Hepburn no set de “Sabrina” (e), o primeiro filme que fizeram juntos, em 1953; Audrey é o rosto do perfume L’Interdit, criado por Givenchy especialmente para ela; a foto é de Bert Stern ©audreyhepburn.com/Reprodução

Em seis dias, serão passados 7 filmes de Hepburn, 4 deles com figurinos de Givenchy (ao todo, foram 9), feitos numa época em que a profissão ainda era um processo colaborativo: os atores podiam ajudar na composição, e os figurinistas-estilistas faziam também seus vestidos de casamento e para premiações.

“Meu look é atingível”, disse humildemente a atriz, que morreu em 1993. “É só colocar o cabelo para cima, comprar óculos escuros grandes e os vestidos sem mangas.” Não é só isso, não, Miss Hepburn.

Abaixo, veja uma linha do tempo com os filmes escolhidos pela mostra.

A PRINCESA E O PEBLEU (1953)

Este foi o primeiro filme que Hepburn protagonizou, e já lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz de cara. Ela faz a princesa Ann, uma jovem entediada que, de férias em Roma, se apaixona por um americano. São muitas roupas luxuosas, todas criadas pela lendária figurinista Edith Head.

princesa-e-o-plebeu

SABRINA (1954)

Em “Sabrina”, a atriz é a filha do chauffeur que passa dois anos em Paris e volta… bem, ela volta Audrey Hepburn. Elegante, sofisticada e dona de uma das peças mais belas que Givenchy criou, ela lida com o triângulo amoroso em que se envolveu com os dois herdeiros da casa.

sabrina

CINDERELA EM PARIS (1957)

Aqui é tudo sobre moda mesmo: a história gira em torno de Jo Stockton, uma vendedora de livraria que cai nas graças de uma editora de moda (meio Diana Vreeland) e um fotógrafo (meio Richard Avedon, que aliás fez as fotos do filme) e começa a trabalhar como modelo (usando Givenchy) – mas ela liga mesmo pra filosofia.

Reprodução

GUERRA E PAZ (1956)

Adaptação cinematográfica do clássico de Leo Tolstoy, “Guerra e Paz” é o filme mais sério da lista: a história gira em torno da relação entre duas famílias aristocratas da Rússia nos tempos de Napoleão – Audrey é Natasha Rostova, a donzela disputada. O figurino aristocrático, cheio de caudas e babados, é de Maria De Matteis.

guerra-e-paz

BONEQUINHA DE LUXO (1961)

Praticamente dispensa apresentações. Grande parte da fama da atriz como ícone de estilo vem da principal peça do filme: o sofisticado tubinho preto criado por Givenchy. Mas não foi só esse momento que transformou a divertida Holly Golightly em lenda: tem as pérolas, a máscara de dormir, os adereços de cabelo, as luvas, os Wayfarers…

(Curiosidade: Truman Capote, o autor da história original, queria Marilyn Monroe para o papel principal. Já imaginou a diferença?)

bonequinha-de-luxo2

MY FAIR LADY (1963)

Baseado numa peça de George Bernard Shaw, “My Fair Lady” virou musical na Broadway e um grande sucesso como musical também nos cinemas. A comédia gira em torno de um genial professor de fonética e uma vendedora de flores de uma área pouco abastada de Londres.

O professor então aposta com um amigo que consegue transformar a garota pobre e apresenta-la em um baile da alta sociedade, sem ninguém desconfiar de suas origens – o que inclui livrá-la de um pesado sotaque cockney.

Quem fez o figurino deste filme pode vir como uma surpresa, mas das mais agradáveis: o fotógrafo Cecil Beaton! Ele também foi figurinista e, inclusive, ganhou dois Oscar.

my-fair-lady

QUANDO PARIS ALUCINA (1964)

De acordo com a biografia da atriz escrita por seu filho, este é o único filme do qual Hepburn se arrependeu. Não porque sua atuação esteja ruim, mas porque o longa é uma comédia-confusão cheia de piadas internas.

Um roteirista que recebeu adiantado e gastou tudo está há dois dias de seu prazo final e contrata uma secretária para ajudá-lo a desenvolver o trabalho. Juntos, eles criam um filme maluco e se imaginam em cada cena, com direito a muitas trocas de figurino – by Givenchy, bien sûr.

(Curiosidade: este é o primeiro filme em que um perfume recebe créditos. No caso, o perfume Givenchy usado por Hepburn.)

quando-paris-alucina