24.09.2012 / Arte / por

O poder da imagem

O livro “M to M of M/M (Paris)”, comemorativo dos seus 20 anos de carreira ©Reprodução

A editora Thames and Hudson vai lançar agora em outubro o livro “M to M of M/M (Paris)”, editado pela historiadora de arte Emily King, com mais de 1000 ilustrações da dupla Michael Amzalag e Mathias Augustyniak, mais conhecida como M/M (Paris). Juntos, eles estão por trás de um dos estúdios de design mais prestigiosos do mundo.

A dupla de artistas parisienses, Michael Amzalag e Mathias Augustyniak ©Stéphane Feugère/Reprodução

A publicação, que celebra os 20 anos de carreira conjunta da dupla parisiense, está organizada “alfabeticamente” – “do M ao M” – e é o maior registro dos seus trabalhos até hoje. Paralelamente ao lançamento do livro, a Gallery Libby Sellers, em Londres, irá exibir do dia 10.10 ao 15.12 a exposição “Carpetalogue, 1992-2012”, também comemorativa do vigésimo aniversário da dupla.

Quando saiu da “Vogue” Paris em 2002, a dupla ofereceu a Carine Roitfeld uma ilustração da tipografia criada em sua homenagem (acima) ©M/M (Paris)/Reprodução

Os caminhos de Michael e Mathias se cruzaram na escola de Artes Decorativas em Paris (Les Arts Décoratifs), e desde então atuam juntos como designers gráficos e diretores de arte realizando trabalhos em moda, música e arte, incorporando tipografias convencionais com ilustrações, fotografia, vídeos e objetos. Originalmente fundado para ser um estúdio gráfico em 1992, o M/M (Paris) rapidamente se tornou sinônimo de criatividade e originalidade na indústria. A dupla de fotógrafos Inez Van Lamsweerde e Vinoodh Matadin são fieis colaboradores do M/M e seus trabalhos resultam em uma interação entre arte gráfica e fotografia, muitas vezes questionando os valores de beleza das imagens de moda. Riccardo Tisci, Marc Jacobs, Nicolas Ghesquière e Yohji Yamamoto estão entre os designers que são clientes habituais do M/M.

Video da islandesa Björk dirigido por Inez van Lamsweerde & Vinoodh Matadin e M/M (Paris):

Cada trabalho produzido é único, sempre com a assinatura reconhecível da dupla, que vai muito além do simples design. Eles trabalham muito com música, dirigindo clipes e ilustrando capas de disco. Entre seus trabalhos mais conhecidos, está o o vídeo da música “Hidden Place”, de Björk, e a arte da capa do último álbum da cantora, “Biophilia”.

Catálogo de 1999 de Yohji Yamamoto ©M/M (Paris)/Reprodução

Em uma entrevista ao site Nowness, a dupla revelou alguns segredos por trás do seu sucesso:

Sobre as colaborações:
Michael
: A maior parte dos nossos relacionamentos aconteceu de forma orgânica. O Riccardo Tisci veio ao estúdio comprar alguns posters, porque ele já gostava do nosso trabalho. Eu era vizinho do Nicolas Ghesquière antes dele começar a trabalhar na Balenciaga; uma amiga nos apresentou a Yohji Yamamoto e conhecemos a dupla Inez e Vinoodh em uma festa da A.P.C. em Paris e nos entendemos naquele instante.

Sobre traduzir a mensagem de um artista:
Mathias: Nós tratamos todos os nossos colaboradores como artistas. Todos têm alguma coisa que querem comunicar visualmente. Em cada colaboração temos que entender o indivíduo e trabalhar na forma como comunicar o seu mundo graficamente. O trabalho que fizemos para a Björk é uma sequência de retratos – ela tem um caráter mutante.

Sobre os seus alfabetos:
Mathias
: Sempre pensamos no nosso trabalho como uma série de sinais e desde o início decidimos que queríamos criar a nossa própria “linguagem” para que as pessoas pudessem reconhecer nosso trabalho rapidamente. As nossas tipografias permitem-nos criar uma linguagem própria; cada letra carrega um significado. Os nossos alfabetos são nossas ferramentas.

Sobre a sua dinâmica de trabalho:
Michael
: Olivier Zahm [editor da revista francesa “Purple”] se lembrou da metáfora perfeita para a nossa relação de trabalho. Ele disse que um é o osso e o outro o músculo. Para mim, esta é a definição mais precisa sobre a maneira como trabalhamos.

Veja na galeria abaixo algumas imagens do interior do livro:


Relacionadas