Retrofit – o neocool

29/07/2010

por | ECOSTYLE

Para quem quer viver da forma mais confortável, moderna, saudável, e ainda ser [muito] admirado, educar o pensar é a grande dica.
Aos que têm a sorte de lidar com construções antigas, a adesão ao Retrofit é tudo, porque é um processo não de restauração, nem de reforma, mas sim de revitalização de espaços.
Se antes, na hora de decorar ou construir, se optava pela ruptura do velho em favor do novo, com a compreensão desse movimento, os proprietários e profissionais da área, agora usam e abusam das técnicas milenares com inovações, aproveitam ao máximo a luminosidade natural, reaproveitam sobras de construções, implantam novas idéias de bioconstruções [como o telhado vivo], e mais, muito mais, já que no Retrofit tudo o que é sustentável é amplamente considerado: alterações meteorológicas, conhecimento histórico, cultura ambiental, postura social, consumo consciente com baixo custo, harmonia estética, e, obviamente, a conservação da fachada original do imóvel.
Em resumo, o Retrofit é incrível, absolutamente funcional, pois permite a revitalização de projetos arquitetônicos de épocas passadas, com a aplicação de tecnologias avançadas, eficiência e praticidade em instalações elétricas e hidráulicas, o mix de produtos com design não só arrojado como responsável, e ainda, o reuso de materiais. Outra supervantagem dele, é a readequação de prédios em áreas aonde não é mais possível construir, como grandes centros.
Cidades onde estive recentemente, como Ouro Preto e Buenos Aires, são exemplos perfeitos do imenso potencial desse processo essencialmente [e deliciosamente] personalizado. Definitivamente neocool.

@ecostylemonica

Ouro Preto - Minas Gerais

Ouro Preto - Minas Gerais | Foto: Cael Horta

Ouro Preto - Minas Gerais

Ouro Preto - Minas Gerais | Foto: Mônica Horta

Buenos Aires - Argentina

Buenos Aires - Argentina | Foto: Mônica Horta

Buenos Aires - Argentina

Buenos Aires - Argentina | Foto: Mônica Horta

Buenos Aires - Argentina

Buenos Aires - Argentina | Foto: Mônica Horta

Ecostyle é tudo!

24/02/2010

por | ECOSTYLE

Ecostyle: um movimento dos bons, que ganhou força e conquistou as ruas em corpos e mentes que bebem na fonte de culturas diversas. Já fazem parte dele pessoas incríveis, com suas ações preciosas e criações desejáveis.

A arquitetura de interiores dos espaços que Marcelo Rosembaum cria, e as ambientações de Daniela Thomas são absurdos. Eles dialogam com excelência entre a nobreza da estética de vanguarda e o uso de materiais comuns, às vezes descartados como lixo. E por falar em arquitetura, supervale comentar sobre o retrofit, que, entre outras coisas, possibilita revitalizar imóveis antigos, preservando integralmente suas estruturas e o meio ambiente.

Os designers Irmãos Campana são desprovidos de qualquer tipo de preconceito; eles exaltam o trabalho manual e servem-se de matérias primas aparentemente banais, para criar peças luxuosas, reconhecidas [e adoradas] pelo mundo afora.


Beatriz Milhazes, então, é só orgulho. Virou celebridade internacional, depois de ter sua obra vendida em leilão internacional por mais de um milhão de dólares. O mais fascinante, é que suas colagens têm como base papéis de balas e de bombons…

“O que é bom para o lixo, é bom para a poesia”. Essa é uma afirmação do Manoel de Barros, considerado o maior poeta brasileiro vivo.

Hermeto Pascoal com seus fabulosos instrumentos de sucata, certamente serve como referência máxima ao métier musical na criação de projetos socioambientais, que geram emprego e renda imediatos em comunidades carentes, e funcionam muitíssimo bem.

2011/10/977_milhazes

Outros dois profissionais impecáveis, Ronaldo Fraga e Erika Palomino, também são adeptos da ecostyle. Ele deixa bem claro isso em suas coleções e com seu cartão de visita. O convite do evento MelissaEu! [chiquetérrimo], do qual Erika foi diretora de criação, também era de papel reciclado.


Responsabilidade socioambiental é a palavra de ordem entre grandes empresas como a Natura – que produziu um evento exemplar ano passado, o Natura About Us.

Louis Vuitton é uma grife total cool, que tem feito várias ações na linha reciclagem de idéias. Lançou coleção de bolsas estampadas com grafite, e em seu site coloca a questão ambiental como prioridade.

Até a Vogue americana se rendeu integralmente em sua edição de novembro/09; nela, o ecostyle bombou, principalmente nos editoriais de moda.

A genial revista Mag!, precursora no Brasil, é a nossa referência máxima de ecoatitude.

Alexandre Herchcovitch arrasou participando do projeto Moda Reciclada, no MorumbiShopping em São Paulo.

Christian Lacroix passou sua vida encantando a todos, também com seus figurinos para teatro e dança, que são verdadeiras obras de arte, sempre trabalhadas manualmente com antigas técnicas, que podem facilmente ser aplicadas em reaproveitamento de tecidos e fios.
2011/10/979_cristian

O jeitinho verde de ser reina mesmo entre poderosos… e entre nós aqui do FFW, que, a partir de agora, vamos megapapear sobre a delícia de ter/ser ecostyle, sem nada de regrinhas ecochatas. Passearemos pelo mundo eco, em busca de sabedoria, para adequar postura sustentável a estilo pessoal, e colaborar seja o quanto e como for. Vem?