Dia de riqueza

Por Graziela Peres*

©Claudia Andujar

Foi um sábado de uma riqueza absoluta.

Ao aceitar o convite de meu grande amigo e curador de fotografia da Pinacoteca do Estado de São Paulo, Diógenes Moura, para organizarmos um bate papo em torno do livro “Projeto Brasil 01: Pensamento”, não imaginava que eu iria ouvir ideias tão inspiradoras quanto as do sociólogo Roberto Gambini ou histórias tão emocionantes quanto as da fotógrafa Claudia Andujar. E um comentário, no final levantado por ele, sobre a memória na  fotografia de moda, abrindo espaço para um outro bate papo.

Abri a mesa apresentando o livro. Para quem não conhece, é uma compilação de ensaios sobre o Brasil que publicamos ao longo dos cinco anos da revista “ffw_MAG!”. Ensaios que cobrem uma vasta área da cultura brasileira, sobre natureza, arte, religiosidade, cultura popular, design, arquitetura e moda em imagens criadas por nomes relevantes da fotografia brasileira.

Feito isso, passamos para o bate papo com a Claudia, que além de comentar o trabalho publicado na “MAG”, um editorial de moda feito nos anos 70, para a revista “70”, da Ed. Abril, contou dos seus passeios e estadias em diversas tribos da Amazônia, em especial dos Yanomamis. Ela contou que mal falava o português e tampouco qualquer língua indígena. Quando começou seu trabalho com os índios ainda não era fotógrafa. Usou a fotografia como uma possibilidade de comunicação. Em uma das viagens ela levou papel e caneta e pediu aos índios que desenhassem em duas dimensões. Até então eles só desenhavam no corpo, em três dimensões. E que esta experiência gerou uma outra forma de expressão e comunicação entre eles que não a palavra ou a pintura corporal.

©Claudia Andujar

Sobre o ensaio de moda (foto acima), explicou que a tribo dos Kayapó-Xikrins tinha muito pouco contato externo, mas como ela já havia estado lá, foi mais fácil levar a equipe, que além dela, da diretora de arte, modelo e da editora de moda, havia apenas o piloto. Não havia maquiador e muitas das roupas foram feitas na hora, com tecidos amarrados diretamente no corpo da modelo. Toda “maquiagem” foi feita pelos índios. É dos ensaios mais lindos que já publicamos na revista. E um privilégio contar com a presença dessa fotógrafa maravilhosa em qualquer situação. O depoimento que ela gravou para a exposição Projeto Brasil 02: Universo Criativo, durante o SPFW, em janeiro deste ano, era pura emoção.

Depois da Claudia, a palavra foi para o Roberto Gambini, analista Junguiano e sociólogo que nos falou sobre “a formação da Alma Brasileira”, uma investigação que fez sobre a relação entre portugueses e índios e de como esta relação influenciou a formação de nossa alma.  Assunto vasto, que hipnotizou não só a plateia mas também a nós, que estávamos na mesa. Parte deste estudo está condensada nas páginas de abertura do nosso livro. E no livro escrito por ele.

©Renato De Cara

Conversamos um pouco sobre memória na fotografia de moda.  Como observado por Renato De Cara (também presente na mesa e no livro, com um ensaio sobre a cidade de São Paulo e seus restos de comunicação), como a imagem foto jornalística pode ser um documento de moda e até o contrário. Também falamos um pouco de quanto a fotografia de moda evoluiu, principalmente no eixo SP/RJ, onde equipes imensas de profissionais desenvolvem e criam uma imagem em conjunto. Falamos da ausência da roupa, do corpo nu, da importância da moda para o desenvolvimento da fotografia de modo geral, por conta de seus recursos, vindos dos veículos e da indústria.

E, para fechar com chave de ouro, Gambini nos presenteou com uma análise de uma fotografia do Fabio Bartelt, criada com nosso editor de moda Paulo Martinez, em Belém. Na foto, duas figuras femininas enormes com seus rostos cobertos por máscaras de animais estão posicionadas como guardiãs de um rapaz deitado numa cama, encolhido em posição fetal. Na sua análise simbólica, essas figuras representariam a grande mãe, exatamente como eram representadas nas culturas primitivas, gordas e muitas vezes com cabeça de animal.

©Fabio Bartelt

Para quem quiser saber mais – “Projeto Brasil 01:Pensamento” (Editora Arte Ensaio)

“Espelho Índio – A Formação da Alma Brasileira”, de  Roberto Gambini (Editora Terceiro Nome)

 

Graziela Peres é diretora da revista “ffw_Mag!”

*Colaborou Renato De Cara