1001 capas de celular

A modelo Alícia Kuczman durante o SPFW Inverno 2012 com a sua capa de coelhinho ©Reprodução

Já se foi o tempo em que o que importava não era o modelo do telefone, mas sim a sua função. Agora, importa o modelo sim e, igualmente, importa a sua decoração. Se o nosso celular é um prolongamento do nosso braço e consequentemente do que nós somos, como mostram hoje vários estudos científicos, ele, assim como a nossa roupa, passa uma mensagem para quem olha. Se uma pessoa é mais divertida, baladeira ou ligada em moda, podemos ter uma ideia olhando o case do seu celular. Capas, stickers e protetores, de uma forma geral, viraram acessório it. Inicialmente criadas para proteger o aparelho de quedas ou arranhões, as capas de celular são mais comentadas no seu look do que o seu sapato ou bolsa.

E as marcas também se deram conta disso. Le Lis Blanc, Vans, Kenzo e Marc Jacobs, entre outras, já investiram na criação de capinhas de celular, para quem quiser proteger o seu aparelho, mas também estar super in.

Capa de iPhone da Vans (esgotadíssima), Marc by Marc Jacobs e Lanvin ©Reprodução

E há vários tipos, várias opções e vários tamanhos.

Tem a categoria das capas tipo “fofas”, como aquelas que fazem referência a algum desenho da Disney, e que normalmente oferecem algum tipo de interatividade (na capa do Stitch, por exemplo, se você apertar um botão, ele abre as orelhas). E há outras mais simples, como a que a modelo Alícia Kuczman usava há algum tempo, com as orelhas de coelhinho, que não são tão dinâmicas, mas também arrancam bons comentários e sorrisos na hora da foto.

Capa de urso da Moschino e do personagem da Disney Stitch ©Reprodução

Tem também a categoria das capinhas amigas do ambiente. Há as capinhas que ajudam os animais em vias de extinção, como as da marca americana Anicase, que criou seis capas em homenagem a espécies em perigo e reverte 10% das suas vendas a ajudar esses grupos. E há as capas feitas em madeira como as da brasileira Casco, feitas em madeira 100% nacional e biodegradável (à venda inclusive nas lojas Richard’s do shopping Leblon, Iguatemi e Higienópolis).

A capa da Anicase, que ajuda o panda gigante da China, com as características do bichinho impressas no seu interior ©Reprodução

As capas 100% em madeira nacional e biodegradáveis da Casco ©Reprodução

E porque uma das principais funções do celular hoje em dia é tirar boas fotos,  majoritariamente para arrasar nas redes sociais, claro que tem as capinhas para os “profissionais da fotografia amadora”. Elas oferecem vários tipos de lentes – umas mais profissionais, outras só para criar efeitos engraçados –, e o resultado são fotos incríveis e muitas curtidas.

Capas de iPhone para os amantes da fotografia: Photojojo Lens Series, Holga e Olloclip ©Reprodução

E há muito mais categorias: tem as capinhas “vintage”, que imitam uma fita cassete ou o jogo Game Boy; as da Pantone (à venda na Choix); as mais “executivo”, com espaço para cartões e dinheiro; as que trazem mensagens de auto-ajuda, do tipo “keep calm”; e as “DIY”, que no fundo são capas brancas, reservadas a quem possui um talento para a customização.

A capa da Pantone e as “vintage” que imitam uma fita cassete e um console do jogo Game Boy ©Reprodução

E claro, há as capinhas simples, essas sim, com o objetivo único (ou quase) de proteger o seu celular.

Quem não quiser gastar muito dinheiro pode visitar a rua 25 de março, no centro de São Paulo, ou o Stand Center, na Avenida Paulista, já descrito como “o mundo das capinhas”.

E aí, qual é a sua capinha de celular?