Why I Never Became a Dancer

15/04/2014

por | ARTE

Há uns quinze anos vi uma exposição coletiva em Londres em que uma das artistas participantes era a britânica Tracey Emin. Sempre gostei de seus trabalhos, das instalações aos neons, aos desenhos. Mas o vídeo “Why I Never Became a Dancer” (1995) me tocou de uma maneira mais profunda. Uma maneira crua e honesta de contar algumas passagens de sua adolescência. Alguns anos mais tarde, a obra foi exibida no Tomie Ohtake, em São Paulo, e fui visitar a mostra com meu amigo Sergio Amaral. Na época eu não achei esse vídeo na internet, mas essa semana, dez anos após a expo no Brasil, o Sergio me manda o link pelo Facebook como uma forma de relembrar os velhos tempos. “Até hoje me emociono quando assisto”, ele disse.

O filme mostra o início da adolescência de Tracey em sua cidade pacata, Margate, e suas primeiras experimentações e desilusões com o sexo. Emin narra a história toda até chegar em um concurso de dança (British Disco Dance Championship) em que ela tinha chances de vencer e participar da final em Londres, em 1978. Mas algo ocorre e muda o caminho das coisas. Essa é a sua revanche. Mesmo que muitos de vocês já possam ter assistido, é irresistível publicar aqui. Shane, Eddy, Tony, Richard: essa ainda é pra vocês.

Moda x Futebol

11/04/2014

por | MODA

Chegou a hora da revanche. Os fashionistas foram mal no quiz que fizemos durante o São Paulo Fashion Week, quando a turma da moda respondeu a questões relacionadas a futebol e Copa do Mundo. Aproveitamos que algumas personalidades do esporte participaram, durante o Fashion Rio, do lançamento do uniforme dos voluntários da Fifa, e fizemos o quiz inverso com os ex-jogadores Cafu e Belletti e as gêmeas do nado sincronizado Bia e Branca. Todos saíram empatados e acertaram só uma das cinco questões. Confira! Fotos ©Mary Cruz.

Bia e Branca

Bia

O que é peplum? (Saiba mais aqui)

Não tenho a menor ideia.

O que faz o stylist?

Ele cria a roupa. Não, não, não. Ele deve vestir alguém. Ele veste a pessoa, é isso.

Quem é o estilista da Chanel?

Sei lá.

Qual estilista colocou somente modelos negros no seu desfile no SPFW, na semana passada? (Veja aqui o desfile)

Não tenho a menor ideia, mas parabéns para ele.

Qual estilista brasileiro foi considerado um dos sete mais originais do mundo e está em exposição em Londres ao lado de Prada e Dior? (Leia mais aqui)

Meu Deus, eu não sei nada!

Branca

O que é peplum?

É uma peça de roupa? É uma coisa tipo Emo, tipo Xuxa?

O que faz o stylist?

Ele veste pessoas.

Quem é o estilista da Chanel?

Hum…

Qual estilista colocou somente modelos negros no seu desfile no SPFW, na semana passada?

Não sei.

Qual estilista brasileiro foi considerado um dos sete mais originais do mundo está em exposição em Londres ao lado de Prada e Dior?

Não faço ideia. Fico o dia inteiro na piscina, não dá tempo de acompanhar.

Belletti

O que é peplum?

Nem ideia.

O que faz o stylist?

Ele produz… Não. Ele ajuda a… Sei lá. Ele ajuda uma pessoa a buscar um estilo próprio.

Quem é o estilista da Chanel?

Chanel.

Ela está viva e continua trabalhando?

Não, não. É que eu fui na casa dela em Miami.

Qual estilista colocou somente modelos negros no seu desfile no SPFW, na semana passada?

Não vi.

Qual estilista brasileiro foi considerado um dos sete mais originais do mundo e está em exposição em Londres ao lado de Prada e Dior?

Minha esposa está lá vendo, mas eu não sei quem é.

Cafu

O que é peplum?

O que é o quê?

Peplum.

Não tenho a mínima ideia.

O que faz o stylist?

Não sei.

Você tem stylist?

Ah, o stylist! Eu sei, só não tenho. Eu mesmo me viro.

Então você sabe o que faz o stylist?

É o cara que veste as pessoas. Procura a roupa, diz qual que fica legal. As minhas sou eu mesmo que me viro.

Quem é o estilista da Chanel?

Quem é o estilista da Chanel? (Perguntando para as pessoas em volta.)

Qual estilista colocou somente modelos negros no seu desfile no SPFW, na semana passada?

Também não sei.

Qual estilista brasileiro foi considerado um dos sete mais originais do mundo e está em exposição em Londres ao lado de Prada e Dior?

Nossa, não sei.

Programação RJ

09/04/2014

por | LIFESTYLE

Muita gente veio de outras partes do Brasil para o Fashion Rio. Como os desfiles só começam no final da tarde, dá para se organizar e fazer vários passeios antes de ir para a Marina da Glória. Confira as dicas dos fashionistas da programação imperdível da cidade:

Thomaz Azulay ©Mary Cruz/FFW

A exposição do trabalho de Ron Mueck, no MAM, é a dica do estilista Thomaz Azulay. “É incrível como esse artista faz figuras humanas gigantes tão realistas. É o exercício da impecabilidade.” Além dessa dica cultural, ele sugere aos visitantes irem ao morro Santa Teresa para um pastel com chope do bar Goiabeira, também em Santa Teresa. “O pastel é uma delícia, a cerveja, bem gelada. É um bar dos anos 1930, calmo, longe do burburinho.”

Augusto Mariotti ©Mary Cruz/FFW

Em vez de dar uma dica confirmada, Augusto Mariotti, diretor de conteúdo da Luminosidade, preferiu dividir o lugar que ele ainda não conhece e que planeja visitar durante esta semana. É a Complex Esquina 111, em Ipanema, uma espécie de bar e espaço cultural criado pelas produtoras Slash/Slash, Escola Perestroika e BDZ. Durante o dia, o local tem aulas multidisciplinares e, à noite, se transforma em bar com cardápio do chef Fabio Battistella.

Alessa ©Mary Cruz/FFW

Alessa deu uma dica peculiar: convidou todo mundo para visitar sua casa. É que o ateliê da estilista fica em sua residência, que está aberta para visitação. “Ali vocês podem ver tudo o que acontece no ateliê, conhecer o meu cachorro, ver a minha casa, e ainda tem peças de acervo.” No local (Rua Nascimento Silva, 399, Ipanema) também funciona a loja da marca. De segunda a sexta-feira, das 10h às 19h, e sábados, das 10h às 14h.

José Camarano ©Mary Cruz/FFW

“Tem que tomar café da manhã no La Bicyclette, no Jardim Botânico”, disse de cara José Camarano. Ele já conhecia o estabelecimento antes de ocupar o Jardim Botânico. Segundo o stylist, mesmo ocupando um espaço maior, a qualidade e o atendimento continuam os mesmos.

Aline Weber ©Mary Cruz/FFW

A modelo Aline Weber acha que a alma do Rio de Janeiro é estar em contato com a natureza, por isso, sugere uma visita à Pedra da Gávea, pelo seu visual. Quando está por aqui, ela aproveita para ir à praia, mas foge de Copacabana e Ipanema e prefere a Barra.

Yasmin Brunet ©Sergio Caddah/Agência Fotosite

Já Yasmin Brunet prefere as praias de Ipanema e Leblon, onde pode aproveitar o mar e a badalação. Ela também indica uma visita ao Jardim Botânico. “É um lugar mágico, para a gente ficar em contato com a natureza.”

Lilian Pacce ©Mary Cruz/FFW

A jornalista Lilian Pacce sugere um passeio de bondinho, no Pão de Açúcar. Para ela, é um passeio obrigatório para quem vier ao Rio de Janeiro. “A vista lá de cima é linda. Dá para ir de bondinho, e os mais aventureiros podem subir pela trilha.”

Fox ©Mary Cruz/FFW

O maquiador e cabeleireiro Fox indica uma visita ao espaço coletivo Casa Nuvem, na Glória, que abriga festas gratuitas todas as quartas-feiras. “As pessoas começaram a organizar essa festa porque não tinha um lugar legal para sair à noite no Rio. Lá tem muita liberdade, rola de tudo, depende do tema da noite.”

Juliana Lattuca ©Mary Cruz/FFW

Juliana Lattuca, do blog Ligadas e Antenadas, indica o Karaokê Indie que acontece toda quarta-feira na Casa da Matriz, em Botafogo. Ela conta que vai uma galera legal e que o estilo de música varia conforme a semana. Nesta quarta-feira (09.04), a noite é especial de Lollapalooza, com muito som do Muse, Soundgarden e Nine Inch Nails.

Carla Biriba ©Mary Cruz/FFW

A maquiadora Carla Biriba sugeriu um passeio para quem quer sair um pouco da zona Sul do Rio. A dica dela é o restaurante Fiorino, na avenida Heitor Beltrão, 126, na Tijuca. “É um restaurante italiano old school, superclássico e com preço honesto, que é muito difícil de achar no Rio de Janeiro.”

Quiz do futebol!

02/04/2014

por | COMPORTAMENTO

Por Elis Martini, em colaboração para o FFW

São experts em moda, mas quando o assunto é a paixão nacional, eles deixam muito a desejar. Aproveitamos o ano de Copa no Brasil para testar os conhecimentos de alguns dos maiores fashionistas do país sobre futebol e a seleção brasileira. Ainda tem muita gente que acredita que o goleiro da seleção é o Rogério Ceni! Os vencedores do quiz foram Sylvain Justum e Erika Palomino, que acertaram todas as perguntas. Confira as respostas:

 

Erika Palomino, publisher da “L’Officiel”

Quem é o goleiro da seleção?

Júlio César!

E onde será o primeiro e o último jogo da Copa?

O primeiro é no Itaquerão e a final é no Maracanã!

 

Gloria Kalil, consultora de moda e dona do site Chic

Qual o nome do técnico da seleção?

Felipão!

E do goleiro?

Não é o Rogério?

 

Lilian Pacce, editora de moda e dona do site lilianpacce.com.br

Qual o nome do goleiro da seleção?

Bruno?

Qual o estádio da abertura da Copa?

Itaquerão.

O que é pênalti?

Por que você não me pergunta qual o último cabelo do Neymar?

 

Marcelle Bittar, modelo

Quem é o goleiro da seleção?

É o Rogério ainda? Não sei, sou da época do Rogério!

Qual foi a última vez que o Brasil foi campeão?

Foi em 2008?

 

Lula Rodrigues, jornalista e consultor de moda

Quem é o treinador da seleção?

Não tenho ideia!

Como funciona o impedimento?

Já me obriguei a entender e foi muito cansativo, não aprendi de jeito nenhum!

 

Lara Gerin, stylist e DJ

Onde acontece o pênalti?

Na área do gol.

E onde será o primeiro jogo da Copa?

Eu sei! Amazonas! Manaus!

 

Cris Guerra, publicitária e escritora

Quem é o técnico da seleção?

Felipão, sei porque ele faz propaganda!

E em quais anos o Brasil foi campeão?

58, 62, 70, 94 e 2002. Sei por causa dos brindes do Mc Donald’s!

 

Chris Francini, consultora de moda

Qual o nome do técnico da seleção?

Felipão!

Onde acontecerá o primeiro jogo?

Não tenho ideia, mas vou em um jogo das quartas de final.

 

Manu Carvalho, stylist

Qual o nome do goleiro da seleção?

Júlio César!

E quando acontece um pênalti?

É quando um jogador faz uma infração grave, tipo dar porrada?

Onde acontece o primeiro jogo da Copa?

Rio de Janeiro.

 

Sylvain Justum, editor da “Harper’s Bazaar”

Quem é o capitão da seleção brasileira?

Thiago Silva

Qual jogo abre a Copa do Mundo?

Brasil x Croácia.

Quantas seleções participam?

32.

O que é pênalti?

É uma falta dentro da grande área cobrada com bola parada a 11 metros do gol.

 

Jorge Wakabara, editor do site lilianpacce.com.br

Quem é o capitão da seleção?

Não sei…

O que é pênalti?

Eu sei, mas não sei explicar.

FFW Shop

01/04/2014

por | DESIGN

Por Mariana Pontual, em colaboração para o FFW

A cada temporada do SPFW, o portal FFW arma a FFW Shop, uma pop-up store recheada de artigos de moda, decoração, lifestyle, arte e design. E, neste Verão 2015, não é diferente: quem passar pelo evento no Parque Cândido Portinari até esta sexta-feira, 4 de abril, pode conferir as novidades supercool que os curadores da loja prepararam. Abaixo, confira uma seleção com 23 dos produtos mais bacanas que estão à venda por lá. Fotos: ©Felipe Abe

1. Bicicleta italiana, Abici, R$ 6506.

2. Óculos artesanais de madeira, Notiluca, de R$ 350 a R$ 410.

3. Camisetas FFW produzidas pela Trendt, R$ 150 (cada).

4. Bolsa customizável, Fad, R$ 454.

5. Bracelete de prata com pedra, Le Tolentino, R$ 790.

6. Fotografias assinadas pela artista Ana Almeida, R$ 1200 (cada quadro).

7. Livro “Arquivo Urbano”, de Jussara Romão, R$ 85 (o lançamento da obra acontece no FFW Shop nesta quinta, 3 de abril, às 18h).

8. Caneca SPFW, R$ 35.

9. Cachaça Yguara, R$ 120 reais (a garrafa) ou R$ 320 (a caixa para presente com duas taças).

10. Luminária cordão, Iluminadas, R$ 475.

11. Terrário, Microcosmo, R$ 700.

12. Marmitinhas, Bento Box, R$ 140 (a rosa) e R$ 154 (a verde).

13. Adesivo decorativo de madeira, Mood Stickers, R$ 120.

14. Luminária de LED, Crysta LED, R$ 580.

15. Meia estampada, Stance, R$ 50 (cada).

16. Livro “Drag”, de Christopher Logan, R$ 160.

17. Livro “Ayami Nishimura”, de Rankin (fotografia), R$ 255.

18. Livro “Vidal Sassoon”, de Vidal Sassoon e Michael Gordon, R$ 193.

19. Livro “A Year in the Life of Face Hunter”, de Yvan Rodic, R$ 75.

20. Bolsa, Namaste Acessórios, R$ 220.

21. Quadro, Tara McPherson, R$ 370.

22. Colar e brinco, Mariah Rovery, R$ 150 (cada).

23. Pulseira em ouro negro, R$ 3900, anel em ouro negro com um diamante, R$ 610, e anel em ouro negro com dois diamantes, R$ 710, tudo Fabi Malavazi.

A semana das tops @ Instagram

21/03/2014

por | LIFESTYLE

 Kendall Jenner é a modelo queridinha do momento, e irmã mais nova de Kim Kardashian. Nesta semana, ela fez uma homenagem ao seu irmão mais velho, Rob Kardashian, registrou a brincadeira das irmãs Kourtney e Khloe, e postou um momento de backstage do desfile da Givenchy, ao lado do diretor criativo Riccardo Tisci ©Reprodução Instragram Kendall Jenner

 

Gisele, como sempre, postou as fotos de sua rotina saudável, que rendem milhões de cliques e com certeza inspiram muitas meninas mundo afora. Ela praticou yoga na praia, fez castelinho de areia com as crianças e mostrou um momento carinhoso com o filho mais velho Ben, devidamente protegido do sol ©Reprodução Instagram Gisele Bündchen

 

Caroline Brasch mostra seu lugar preferido em Copenhague para almoçar, o restaurante Fredco. Ela também passou uma tarde ao lado de amigas e aproveitou para andar de bicicleta pela cidade, justificando o uso de equipamentos de segurança: “Better safe than sorry”, ela escreveu ©Reprodução Instagram Caroline Brasch

 

E a rainha do Instagram Cara Delevingne relembrou sua primeira campanha para a Burberry, em 2011, e prestou uma homenagem a Grandma Betty, senhora de 80 anos que luta contra o câncer. A espivetada Cara ainda teve aulas de aviação, com boné combinado e tudo ©Reprodução Instagram Cara Delevingne

 Behati mostrou os presentes que ganhou momentos antes do programa Late Night, do qual participou ao lado de Alessandra Ambrosio. A top também relembrou o início de sua carreira como Angel da Victoria’s Secret ©Reprodução Instagram Behati Prinsloo

 

Aline Weber aproveitou a semana para sair com os amigos, clicar momento carinhoso com o namorado Matheus Strapasson e relembrar editorial que fez para a “Vogue” italiana em 2008 ©Reprodução Instagram Aline Weber

 

Alessandra Ambrosio também postou uma foto dos bastidores do programa americano “Late Night”. Em São Paulo, aproveitou o tempo para sair com os amigos Matheus Mazzafera e Alexandre Pato e fez um selfie ao lado do beauty artist Max Weber, pouco antes de chegar ao lançamento da Schutz, do qual é garota propaganda ©Reprodução Instagram Alessandra Ambrosio

Prédio de artista

10/03/2014

por | ARTE

Escolha um artista que você gosta muito e imagina viver dentro do seu universo. Como seria um prédio projetado por Picasso ou Mark Rothko? Pensando exatamente assim, o ilustrador de Barcelona Federico Babina criou a série “Archist”, imaginando como seriam construções criadas por 27 artistas famosos, levando em conta a assinatura estética de cada um. Entre os selecionados está o brasileiro Ernesto Neto. Mais incrível ainda seria se de fato alguém construísse esse verdadeiro parque temático! Os pôsteres estão à venda no site do ilustrador por US$ 25 (R$ 50). Eu fico com o Duchamp. Qual é o seu preferido?

Chanel e a cultura do consumo

05/03/2014

por | COMPORTAMENTO

O  público assiste enquanto as modelos vão às compras no supermercado da Chanel ©Reprodução

Os desfiles da Chanel são conhecidos por seus grandes cenários e locações. Sempre magníficos, impressionantes e muito bem executados, eles chamam tanta atenção quanto a roupa e os acessórios, que são os motivos finais.

Nesta temporada de Inverno 2014/15, a marca conseguiu se superar e transformou o Grand Palais em um “grand” supermercado, devidamente montado com corredores e prateleiras lotadas de tudo o que precisamos e queremos no nosso dia a dia: frutas, verduras e legumes frescos, café, os melhores queijos, pães, capachos, vassouras, utensílios para a cozinha e produtos de limpeza. Havia Choco Chanel e Jambon Cambon, boas tiradas com a Coco e a rue de Cambon. Ah, um pequeno, mas importante, detalhe: tudo em embalagens customizadas com os icônicos Cs cruzados. Como brinca uma amiga minha, “sem poqueza”.

+ Veja a coleção completa aqui.

A apresentação termina e uma voz no microfone anuncia que o shopping vai fechar. “Sinta-se livre para pegar uma fruta ou legume de cortesia no seu caminho de saída.” Frutas e legumes? Infelizmente a cortesia da Chanel não foi suficiente para os convidados do desfile.

E o que acontece? As pessoas ficam malucas e voam para as prateleiras. Você já deve ter visto centenas de vezes no seu feed. “Como animais vorazes, membros da primeira fila subiram nos displays, enfiando os souvenirs em suas bolsas e mastigando cenouras com casca. Editoras foram vistas escondendo cebolas em suas clutches”, diz a reportagem da Dazed Digital. Cebola, minha gente. Uma repórter do “The Telegraph” pegou um acessório, mas logo desistiu e se contentou com uma mexerica. Os saqueadores só não imaginavam que, na saída, uma equipe de seguranças confiscava os produtos roubados.

+ Assista aos vídeos:

Karl Lagerfeld é um gênio de marketing e deve estar rindo do frenesi que seu supermercado causou. Mais ainda, bastante satisfeito com os zilhões de virais que isso gerou em perfis de redes sociais do mundo inteiro.

Só o fato de criar um supermercado inteiro para uma apresentação de 15 minutos já mostra onde estamos: um mundo surreal, mágico, perfeito, um Elysium. Esse é o mundo Chanel, construído por uma equipe que vai muito além de Lagerfeld, e que trabalha sob o comando da impecabilidade.

É também o universo do luxo, das experiências únicas. Se pararmos para pensar, luxo é um ponto de vista. Luxo para mim é tempo para ficar com meus filhos sem culpa ou ansiedade. Para a minha avó, nos seus mais de 85 anos, é saúde. Para muitos é uma televisão. Um prato de comida, uma viagem, um sapato com sola vermelha, um iPhone, um casaco para o frio, um teto para dormir, uma companhia.

O que faz frequentadores de um evento de luxo subirem um por cima do outro para roubar uma cebola ou um espanador?

Peraí, nós vemos cenas de pessoas saqueando mercados ou brigando por água e comida e, na maioria das vezes, são outros os motivos que desencadeiam essas ações.

Aqui, o motivo foi a ganância. A falta de educação, de bom senso, que fez pessoas hiper privilegiadas agirem como mortos de fome. O desejo de ter sua casa embrulhada em logomarca. E aí você pega um queijo da Chanel e faz o quê? Pendura na parede? Ou come e guarda a embalagem…

O que aconteceu após o desfile da Chanel é um espelho atual da cultura do consumo. Previsível, e ainda assim inacreditável.

Moda italiana… o que pensar dela?

28/02/2014

por | MODA

Backstage do desfile da Emporio Armani, segunda marca do estilista mais conhecido da Itália ©Imaxtree

Existe, há algum tempo, um certo incômodo de apaixonados seguidores de moda que se perguntam: mas… e as novidades na moda italiana? Não tenho aqui números estatísticos. É uma experiência de ouvir os comentários “all around”. Não apenas eu escuto, mas outros jornalistas escutam, de amigos da profissão. Numa época em que ficou tão acessível ver roupa, ver estilo e acompanhar notícias, parece que a oferta de novidade é menor que a procura. Estamos errados? Tomara. De qualquer modo, a vontade de ver novos nomes existe, mas a Itália parece ter uma certa “culpa” ou uma “obrigação” a mais. Pelo menos em seu calendário. Porque a Itália passa um ar de que é velha.

Primeiro de tudo, vamos pensar no que é moda italiana. Difícil delimitar. Os calendários estão todos mais globais. Tem marca italiana desfilando fora da Itália e marcas de fora desfilando na Itália. Moda italiana é produzida na Itália ou fundada na Itália? Como definir? Cada um vai puxar o peixe pro seu lado, mas não podemos esquecer que a matéria prima italiana de moda é uma das mais importantes do mundo. Os tecidos, os couros, os materiais para bolsas e sapatos. Vide as feiras Lineapelle e Piti Filati, que atraem compradores de todo o mundo, que adquirem a matéria prima italiana para ter um produto final de melhor qualidade. Os italianos são “chatos” para produzir, no bom sentido. Os compradores, chatos pra escolher. Qualquer tiozinho que você cruza num café sabe reconhecer entre uma camisa de bom algodão e uma de poliéster, que vai fazer ele suar e ficar reclamando (reclamar, como buzinar, também é made in Italy).

Melhor pensar no calendário italiano, então. Por que tem sempre alguma coisa que encrenca? É gente que vai embora antes, pulando inclusive o desfile de Giorgio Armani. É marca que se estressa com a Camara de Moda Italiana e fica num sai-e-entra no calendário (Dolce & Gabbana e outras). A questão da semana italiana “grudar” na de Paris é um problema, porque Paris dá o grito final, como se anunciasse: “E a estação então foi assim e ponto”. Não aconteceu uma, mas várias vezes, de perguntarmos alguma coisa para editoras como Suzy Menkes e Carine Roitfeld e ouvirmos um sonoro “vamos esperar Paris”. Ok.

Mas o que tem Paris? Paris tem um calendário denso! Muitas marcas importantes do começo ao fim do dia e são mais dias no total do que a semana de moda italiana. Os grandes nomes se misturam a novos borbulhantes e sempre tem alguma notícia que esquenta a temporada. Numa matéria para o BOF, Didier Grumbach, presidente da Chamber Syndicale (a câmara de moda de Paris), explica por que Paris tem um peso maior: “Nós temos 23 diferentes nacionalidades desfilando na semana de moda feminina. Os italianos acabaram ficando mais italianos. Em Paris, nós acreditamos que a moda não tem nacionalidade.” Pá! Então será que é isso? O bairrismo italiano é forte. Tão forte que não é apenas racismo com estrangeiros (acontece isso com franceses também). Por exemplo, a culinária de uma cidade pode ser muito diferente de outra cidade a menos de 100 km de distância e os respectivos moradores vão falar mal da comida e do vinho do outro.

E a situação atual do calendário italiano? Parece brincadeira, mas a pessoa que está ajudando a “abrir as portas” do calendário é o senhor Giorgio Armani, que está entre os mais antigos estilistas vivos na Itália. Conectado com os concursos Who’s On the Next, da “Vogue”, ele tem emprestado seu maravilhoso teatro Armani para novos estilistas desfilarem, como Andrea Pompilio e Stella Jean, a boa novidade da estação. +Leia entrevista que fizemos com Pompilio

Em conversa com o FFW antes do desfile da Gucci, o jornalista Tim Blanks, do Style.com, vai direto ao ponto: “Paris é vibrante, Milão é importante, mas é em Londres que as novidades acontecem. Londres é a líder”, afirma. E qual o problema de Milão? “Milão é uma cidade boa para estar, mas se vê menos novidade.”

Encontramos as italianíssimas Giovanna Battaglia e Anna dello Russo e perguntamos quais as diferenças que elas percebem entre a semana de moda milanesa e a parisiense. “Diferença entre as semanas de moda? Numa chove, na outra neva”, respondeu Giovanna, sarcástica e mal humorada com a chuva em Milão. Insistimos na pergunta. “Ah, o calendário de Milão pode ter menos desfiles, mas tem muitas apresentações importantes. Você foi na da minha irmã?”, perguntou, referindo-se a Sara Battaglia, que apresentou sua coleção de bolsas num showroom de Milão. Impaciente, Anna dello Russo disse: “Ela sabe a diferença, mas não pode falar. Nós sabemos a diferença, mas não podemos falar. Usem as aspas de outra entrevista que eu dei pra vocês.” A editora Franca Sozzani, também italiana, respondeu de um modo mais centrado: “Acho que as impressões que se tinham sobre a diferença dos calendários estão mudando. Principalmente agora que temos novos nomes, e não podemos esquecer da chegada de Jeremy Scott (novo diretor criativo da italiana Moschino).”

+Veja aqui todos os desfiles da temporada de Inverno 2015 de Milão

Prada: entenda os looks de perto

25/02/2014

por | MODA

A Prada é uma das principais grifes que desfilam na semana de moda de Milão, que terminou nesta segunda-feira (24.02). O FFW foi convidado para o desfile da temporada Outono/Inverno 2014/15 e para o “resee”, uma oportunidade de ver tudo bem de perto e ter uma experiência mais próxima com a roupa e os conceitos da coleção. Nossa correspondente Juliana Lopes esteve nos dois eventos, e pode fotografar os modelos desfilados em detalhes, que você confere aqui.

Miuccia Prada chama esse modelo de “camisa explodida”. Como se uma camisa tivesse existido em seu modelo tradicional e de repente BUM, vira esse vestido, que, aliás, é macio, leve, chique e deve ser uma delícia de usar. Além de que o modelo é bastante democrático. Como um peignoir. O acessório no pescoço, uma quase gravata, já tinha sido anunciado no desfile masculino da marca.

Três elementos da coleção estão presentes aqui: as linhas, que vieram para delinear o corpo de forma conceitual. Porque geralmente a Prada não delineia o corpo, os modelos são sempre existentes em si mesmos, pensando prioritariamente no design deles para depois pensar no corpo, superficialmente analisando. Então aqui as linhas fazem esse papel. Como se ouvíssemos Miuccia dizendo “ok, vou delinear seu corpo, mas o meu modo é esse”. E pronto. O outro elemento é a transparência, o tecido que quase não existe, de tão leve. O terceiro é o lenço no pescoço.

Três looks da mesma série com transparências e pelos coloridos (bastante vistos na semana de moda no geral, cada marca interpretando de um modo, obviamente). A solução da calcinha aparecendo por baixo resolveu a questão no desfile, mas a marca deve pensar em outro modo de lançar a peça comercialmente, como colocando forro (ou não, nesse mundo Prada we never know!).

Série de estampas anos 30 que também influenciaram os anos 70.

Zoom nas estampas com motivos futuristas (o Futurismo nasceu na Itália).

Mais um modelo clássico – o chamado “Little Black Dress”, pra nós pode ser “Tubinho preto” – revistado por Prada, com as linhas que chamam atenção ao corpo e o lenço-gravata.

O desenho sensual deste modelo, nesta e nas próximas duas imagens, nos faz pensar que a Prada, inclusive, leva em consideração o desejo de mulheres de outros hemisférios, lugares onde, inclusive, é verão quando na Europa é inverno. Essa informação não é apenas um chute.

Vestido de manga comprida com estampas anos 30 em motivos futuristas com as linhas que foram destaque na coleção.

Essa bolsa, com a corrente, é um lançamento que relembra um outro modelo antigo de bolsa da Prada.

As peles e os pelos, tudo colorido, item irônico desse inverno que já está na wish list de muita gente, inclusive a nossa.

Segundo look total em vermelho forte. Os pelos viraram regra.